Linha 192 do Samu Juazeiro voltou a funcionar

(Foto: Ascom/PMJ)

Devido a um problema na rede de telefonia da Oi na tarde desta sexta-feira (5), o atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Juazeiro (BA) ficou indisponível durante a tarde de ontem. Mas de acordo com a Secretaria de Saúde (Sesau) do município, a linha 192 foi restabelecida no início da noite.

Com o sistema telefônico restabelecido, os chamados e registros de ocorrência podem continuar sendo feitos pelo número 192.

Por meio do 192, são acionadas ambulâncias de atendimento móvel para atender as ocorrências e encaminhar as vítimas aos hospitais. Por ser um serviço essencial, a Sesau ressalta que trote é crime previsto em lei com sanções.

Acompanhe a taxa de ocupação dos leitos destinados a pacientes de Juazeiro com Covid-19 nesta sexta-feira (17)

Dados de pacientes de Juazeiro confirmados com a COVID 19 internados em leitos na UPA municipal, em hospitais pactuados pela rede Pernambuco Bahia (PEBA) e na rede privada do Vale do São Francisco:

UPA – Juazeiro: 8 leitos com respiradores,  3 pacientes internados, com 38% de taxa de ocupação. 12 leitos intermediários e 1 paciente internado, com 8% de taxa de ocupação.

Hospital Regional de Juazeiro: 10 leitos com um bloqueado. A unidade tem 4 pacientes de Juazeiro na UTI e 8 pacientes de Juazeiro em leitos intermediários. Todos os leitos de UTI estão ocupados.

Hospital São Pedro – Remanso: 10 leitos de UTI e destes, 2 pacientes de Juazeiro estão internados pactuados pela rede PEBA. Todos os leitos de UTI estão ocupados.

Hospital Neurocardio – Petrolina: 1 paciente de Juazeiro em leito de UTI/SUS pela rede PEBA, 1 em leito de UTI privado e 1 em leito intermediário privado.

Hospital Memorial – Petrolina: 1 paciente de Juazeiro com COVID 19 em leito de UTI/SUS pela rede PEBA, 1 paciente de Juazeiro em leito de UTI privado e 1 paciente de Juazeiro em leito intermediário privado

Hospital PROMATRE – Juazeiro: 8 leitos de UTI/SUS, todos ocupados  com pacientes de Juazeiro. Em leitos intermediários SUS/pela rede PEBA a unidade tem 2 pacientes de Juazeiro internados.

Hospital Universitário – (HU) Petrolina: 1 paciente de Juazeiro com a COVID 19 confirmado internado na UTI.

Unidade de Pronto Atendimento Especializado (UPAE) Petrolina: 1 paciente de Juazeiro internado em leito de UTI pela rede PEBA.

Hospital Geral de Urgências – (HGU) Petrolina: 1 paciente de Juazeiro com a COVID 19 confirmado em leito de UTI privado.

UNIMED- Petrolina:  1 paciente de Juazeiro internado em leito de UTI privado.

Hospital Dom Malan – (HDM) Petrolina: 1 paciente de Juazeiro internada em leito de UTI.

Hospital Materno Infantil de Juazeiro – nenhuma paciente com COVID 19 internada.

Unidade de Atendimento Pediátrico – Juazeiro: nenhum paciente com COVID 19 internado.

SOTE – Juazeiro – Nenhum paciente com COVID 19 internado.

SAMU Juazeiro informa restabelecimento da linha 192

(Foto: Ascom)

A Secretaria da Saúde de Juazeiro (SESAU) informou no início da noite deste sábado (16)  que a linha 192 do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) já foi restabelecida.

O número 192 teria apresentado problemas por volta do meio dia de hoje e por a secretaria teria informado um número alternativo para a comunidade.

Juazeiro: urgência e emergência adulto somente no hospital promatre a partir desta segunda-feira

Hospital passa a realizar atendimentos que eram feitos na UPA 24h.

A Unidade de Pronto Atendimento de Juazeiro (UPA 24h), a partir desta segunda-feira (11), não atende mais urgência e emergência adulto.  A UPA agora só atende paciente com sintomas gripais ou sintomas fortes do novo coronavírus. O anúncio foi feito pelo o prefeito Paulo Bonfim e a secretária de saúde Fabíola Ribeiro de Juazeiro, na última quinta-feira, 07 de maio, durante coletiva com a imprensa no Paço Municipal.

Esses procedimentos agora estão sendo atendidos em um local bastante conhecido da população juazeirense. O hospital Promatre, passa a ser, novamente, a referência para casos de urgência e emergência adulto no município de Juazeiro. Os procedimentos infantis estão sendo feitos no hospital São Lucas, que fica na avenida São João, bairro Jardim Flórida, em Juazeiro.

A UPA está recebendo novos equipamento para receber exclusivamente pessoas com suspeitas de infecção pelo novo coronavírus.

Problema técnico afeta 192 e SAMU informa número alternativo para atendimento em Petrolina

(Foto: Jonas Santos)

A Prefeitura de Petrolina informa que o número de emergência do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), o 192, não está funcionando por problemas técnicos da operadora responsável. Quem precisar de atendimento deve ligar para os números (87) 98845-7660 (durante o dia) ou (87) 98827-4360 (durante a noite).

O problema técnico que afetou a linha emergencial ocorre desde o início da tarde desta sexta-feira (27). A medida de emergência foi adotada para minimizar o transtorno.

“A operadora de telefonia já foi comunicada sobre o problema, mas não deu prazo para normalização da rede. As pessoas que precisarem de atendimento devem entrar em contato com o número alternativo. Todos os esforços estão sendo feitos para que o serviço seja restabelecido e assim que tudo voltar a normalidade um comunicado será feito à sociedade”, destaca a coordenadora do SAMU de Petrolina, Cristiane Nunes.

Forte crise afeta rede de urgência e emergência em Juazeiro

O equipe de reportagem do Jornal A Tarde de Salvador está realizando o projeto “Olhar Cidadão”, visitando e identificando os principais problemas de algumas cidades do Estado da Bahia. A quinta visita foi a cidade de Juazeiro onde a superlotação na rede de urgência e emergência foi um dos problemas encontrados.

De acordo com a reportagem, a rede de urgência e emergência do município passa por uma forte crise em suas duas principais unidades: a UPA e o Hospital Materno-Infantil. Em junho, o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), por meio de uma ação civil, solicitou uma liminar que determinasse imediata reforma, adaptação e aquisição de equipamentos à maternidade (ver matéria ao lado). Esta situação é também acompanhada por falhas no atendimento das unidades básicas de saúde.

Desde o último dia 9, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) adotou uma política de redimensionamento e qualificação dos serviços de urgência e emergência. A urgência pediátrica do Hospital Materno-Infantil foi deslocada para UPA. Já os serviços de urgência ortopédica básica e de média complexidade, antes realizados na UPA, passaram a ser prestados pelo Instituto Viver Sote, através de serviços contratados pela prefeitura.

Secretária de Saúde de Juazeiro, Fabíola Ribeiro

A secretária de Saúde, Fabíola Ribeiro, avalia que as mudanças estão proporcionando melhor atendimento à população. Mas o que encontramos foi muita reclamação dos usuários.

“Agora está uma mistura de crianças e adultos. Na urgência do Materno-Infantil tinha berço para as crianças. Aqui não tem nada disso. Nossos filhos deveriam seguir sendo atendidos lá”, disse a vendedora Regina Souza, 36 anos, que levou o filho Ricardo, 6 anos, à emergência pediátrica.

Outra reclamação é que os acompanhantes, exceto de crianças e idosos, não entram na UPA. Foi erguido um toldo provisório em frente à unidade. “Somos proibidos de entrar, não sabemos como os pacientes estão lá dentro. Ficamos aqui fora apreensivos, sem cadeiras suficientes para sentar, sem água e sem banheiro. Isso é desumano”, afirmou o motorista Carlos Nascimento, 54 anos.

As reclamações e críticas dos usuários ganharam as ruas de Juazeiro. Na última segunda-feira, aconteceu uma manifestação em frente à prefeitura. Usuários reivindicavam melhorias na UPA e no Hospital Materno-Infantil. “O atendimento na UPA já era ruim, agora que a emergência pediátrica foi removida pra lá, a situação piorou. Inclusive, fizemos uma denúncia no Juizado da Infância e Adolescência sobre esta situação”, disse Davi Lima, membro do Comitê Estadual contra a Corrupção, um dos organizadores do protesto.

A Sesau diz entender algumas reclamações dos usuários, mas ressalta que as ações de redimensionamento e qualificação dos serviços tem contribuído para um melhor atendimento, pois permite direcionar os pacientes de forma qualificada e também classificar o perfil dos usuários.

“Muitos dos usuários que buscam atendimento na UPA poderiam ser atendidos nas unidades básicas de saúde. Dos 3.617 atendimentos que realizamos este mês na UPA, 2.353 foram classificados na cor verde, ou seja, baixa complexidade. Amarelo e vermelho, considerados como de maior urgência, foram 603 e 31, respectivamente. Isso nos mostra que é importante a qualificação dessa porta de entrada para que o usuário esteja vindo à UPA quando de fato se encaixar no perfil do atendimento da unidade”, destacou a titular da secretária de saúde.

LEIA MAIS

UPA 24hs de Petrolina atendeu mais de 10 mil pacientes no mês de março; foi o maior número de atendimentos desde a inauguração

(Foto: ASCOM)

A Unidade de Pronto Atendimento de Petrolina (UPA 24hs/IMIP) alcançou seu recorde histórico no mês de março com 10.906 atendimentos, sendo 10.387 relacionados à urgência e emergência de clínica médica e 519 referentes aos atendimentos de urgência e emergência odontológica.

O número corresponde a 150% da meta contratual. “Por mês, recebemos uma média de 7 a 9 mil pacientes. Mas, em março realmente alcançamos o maior número desde a inauguração da UPA em 2013”, ressalta a coordenadora geral da Unidade, Ana Beatriz Mota Aguiar.

Desse total, 80% entrou na classificação de risco verde (pouco urgente). “É comum isso acontecer. A UPA sempre acaba atendendo muitos casos que deveriam ter como referência a atenção básica, enquanto que o nosso perfil é de atenção intermediária à saúde”, reforça a coordenadora.

Ainda com relação aos dados de março, vale destacar, que mesmo com o número recorde de atendimentos, o serviço alcançou 97,9% de resolutividade e que 69% dos usuários classificaram o serviço como bom e excelente.

“A gente acredita que isso seja reflexo de um trabalho sério de 292 funcionários e do padrão de atendimento ofertado na Unidade. Ficamos felizes com esses resultados, pois, mesmo trabalhando acima da nossa meta, conseguimos manter a qualidade do serviço”, avalia Ana Beatriz.

Hospital Universitário de Petrolina está superlotado e informa que não pode receber mais pacientes este fim de semana

(Foto: Internet)

Devido a diversas reclamações sobre o atendimento no Hospital Universitário de Petrolina (HU), o órgão emitiu nota explicando os motivos pelos quais não está atendendo diversos pacientes que chegam a unidade, principalmente, enfermos que precisem de ventilação mecânica ou que estejam na iminência de necessitar de entubação e consequente ventilação mecânica.

De acordo com a nota, o hospital atende pacientes de mais de 50 municípios e desde a última quinta-feira (29) encontra-se com toda a infraestrutura de suporte à vida (nas Salas de Emergência e Unidade de Tratamento Intensivo) totalmente ocupada e sobrecarregada.

O HU informou ainda, que a Central Interestadual de Regulação de Leitos (CRIL) e a Rede Interestadual Pernambuco e Bahia (PEBA) já foram comunicados sobre esta situação, assim como suas possíveis consequências e estão cientes da total extrapolação da capacidade de atendimento hospitalar que hoje se reflete em uma taxa de ocupação de quase 150%.

Clique aqui e leia o comunicado na íntegra.

SAMU de Petrolina está com serviços reduzidos

(Foto: ilustração)

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (SAMU), de Petrolina (PE),  informa à população que se encontra com os serviços reduzidos, pois, as macas das ambulâncias saíram para ocorrências e ficaram retidas com pacientes nos hospitais da cidade.

Durante o fim de semana, as ocorrências, sobretudo acidentes, aumentam bastante, e, com isso, acontece a  retenção de macas pelos hospitais, impedindo que as ambulâncias se desloquem do SAMU para atender aos chamados da população.

Câmara rejeita pedido de urgência à proposta de reforma trabalhista

Parlamentares da oposição comemoraram a rejeição da urgência, enquanto governistas defenderam a necessidade de reforma/Foto: J.Batista – Câmara dos Deputados

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou nesta terça-feira (18) o requerimento de urgência da proposta de reforma trabalhista (PL 6787/16). Foram 230 votos favoráveis, 163 contrários e uma abstenção, mas eram necessários 257 votos para aprovar a urgência.

O requerimento encurtaria os prazos para votação em Plenário, possibilitando sua análise na próxima quarta-feira. Agora, o projeto precisa seguir os prazos regimentais na comissão que analisa o tema.

A rejeição da urgência foi comemorada por deputados da oposição, que gritaram palavras de ordem e criticaram a proposta. “Esta votação mostra que, havendo mobilização da rua, se a sociedade lutar, nós podemos derrotar os projetos deste governo. Tentaram atropelar a votação da reforma trabalhista, mas não conseguiram”, disse o deputado Paulo Pimenta (PT-RS).

Vice-líder do governo, o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) minimizou o resultado. “Perdemos essa votação, mas foi uma batalha. Não perdemos a guerra e vamos transformar o País. Reforma se faz com dificuldades e com muito foco. O relatório virá para cá e nós vamos ganhar”, afirmou.

O relatório do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) sobre a reforma trabalhista amplia o poder dos acordos entre patrões e empregados sobre a legislação; faz ressalvas à recém-aprovada lei sobre terceirização (13.429/17); regulamenta o teletrabalho; e retira da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) a obrigatoriedade da contribuição sindical para trabalhadores e empregadores.

A proposta torna regra geral a prevalência dos acordos coletivos, enquanto o texto original previa a negociação mais forte que a lei em apenas 13 pontos. Agora, pelo texto de Marinho, o rol dos casos de acordo coletivo maior que a legislação é apenas exemplificativo e traz 16 temas, como banco de horas, parcelamento de férias e plano de cargos e salários. Por outro lado, Marinho acrescentou uma lista de 29 direitos que não podem ser reduzidos por negociação, como a liberdade sindical e o direito de greve, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e o salário mínimo.

Debate

Rogério Marinho disse que a proposta vai modernizar a legislação. “Tivemos o marco de 1943. O segundo, aconteceu com a Constituição de 1988. Agora, temos a oportunidade de colocar a lei no espírito do tempo, em 2017”, afirmou.

A proposta, no entanto, foi criticada pela oposição. Para o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ), haverá perda de direitos com a prevalência dos acordos coletivos. “Imaginem o trabalhador brasileiro ter os seus direitos negociados por um sindicato corrompido e comprado por um setor econômico. Isso vai ter mais força do que a lei. O acordado já pode prevalecer sobre legislado hoje, desde que seja melhor para o trabalhador. Isso não está proibido, se for para garantir mais direitos ao trabalhador, mas, se for para garantir menos, está proibido”, afirmou.

UPAE/IMIP de Petrolina informa perfil de serviços e fluxo de atendimentos

A UPA de Petrolina é uma unidade de Pronto Atendimento de porte I e atende, em média, 300 pacientes por dia. (Foto: Ilustração)

Com o objetivo de esclarecer à população sobre o perfil dos seus serviços e fluxos de atendimentos, a Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) divulgará uma série de matérias informativas e de utilidade pública, a partir desta semana para o seu público interno e externo.

A coordenadora geral da Unidade explica que “a iniciativa surgiu da necessidade de levar ao público algumas informações importantes sobre o funcionamento da UPAE, pois muitos não sabem como ter acesso às consultas e cirurgias, por exemplo. Então, foi montado um projeto, que leva, através da mídia e das redes sociais, a informação que os usuários do SUS precisam”.

A direção informa que a Unidade dispõe dos serviços de ambulatório, que conta com 16 especialidades médicas; laboratório de imagem e diagnóstico (Bioimagem); clínica e bloco cirúrgico (para realização de cirurgias de pequeno e médio porte); e Pronto Atendimento (urgência e emergência clínica/odontológica). Na matéria de hoje a UPAE apresenta este último segmento.

Urgência e emergência clínica/odontológica

A UPA 24h é um serviço de urgência e emergência médica e odontológica, de complexidade intermediária entre o posto de saúde e a rede hospitalar, capaz de prestar acolhimento aos pacientes que precisam de atendimento imediato, ou seja, que apresentam algum problema de saúde que esteja atrapalhando gravemente a sua vida cotidiana.

Neste serviço, o usuário encontra consultas médicas, remédios, alguns tipos de exames, procedimentos de enfermagem e salas de observação dia (de até 24h). Vale ressaltar que a Unidade não atende trauma, vítimas de queimadura ou acidentes, e nem doenças crônicas que estejam estabilizadas.

LEIA MAIS

Janot pede ao Supremo urgência para definir novo relator da Lava Jato

(Foto: Internet)

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu hoje (24) ao Supremo Tribunal Federal (STF) urgência na decisão sobre a escolha do relator das ações da Operação Lava Jato. Com a morte do ministro Teori Zavascki, a Corte busca internamente uma solução para o impasse. Não há data para que uma decisão seja tomada. O STF está em recesso e os trabalhos devem ser retomados na semana que vem.

Ontem (23), a presidente do Supremo, Cármen Lúcia, começou a fazer consultas informais em busca de uma solução consensual. Além de procurar alguns ministros informalmente, Cármen foi ao gabinete de Teori conversar com servidores e os juízes auxiliares do ministro sobre o andamento do processo de homologação das delações de executivos da empreiteira Odebrecht.

LEIA MAIS

FBC e Humberto Costa apoiam manobra de Renan para votação de pacote anticorrupção; Armando Monteiro votou contra

(Foto: Internet)

(Foto: Internet)

Os senadores pernambucanos Fernando Bezerra Coelho (PSB) e Humberto Costa, líder do PT no Senado Federal, votaram a favor da manobra do presidente da casa, Renan Calheiros (PMDB), que pretendia votar com urgência o pacote anticorrupção na noite desta quarta-feira (30). O senador, também pernambucano, Armando Monteiro Neto (PTB) foi um dos que votou contra a manobra. Ao total foram 14 votos favoráveis e 44 contrários à medida.

O pacote de medidas contra corrupção proposto pelo Ministério Público Federal (MPF) foi completamente desfigurado para votação. A emenda mais polêmica foi a que cria a possibilidade de punição a juízes e integrantes do MPF por abuso de autoridade. Essa alteração motivou uma nota de repúdio emitida pela força-tarefa da Operação Lava Jato, que ameça renunciar à ação caso a medida seja sancionada pelo presidente Michel Temer.

Senadores rejeitam urgência para pacote anticorrupção aprovado pela Câmara

senado-anticorrupcao

Renan Calheiros (PMDB) salientou que o requerimento não era de sua autoria e que apenas o colocaria em votação, para decisão soberana do Plenário

Os senadores rejeitaram nesta quarta-feira (30) por 44 votos a 14 requerimento de urgência para votação imediata do projeto de lei com o pacote de medidas contra a corrupção. O texto — baseado na proposta “10 Medidas Contra a Corrupção” —, foi uma iniciativa do Ministério Público, com o apoio de mais de dois milhões de assinaturas da população. Mas foi modificado pela Câmara dos Deputados, tendo sido aprovado nesta madrugada.

Com a rejeição do pedido, colocado em votação pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, o texto segue para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Todos os senadores que se pronunciaram em Plenário foram contra o requerimento de urgência ao projeto (PLC 80/2016), que foi rejeitado, A votação foi nominal, conforme pedido do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES).

O projeto contém diversas medidas para combater crimes relacionados ao patrimônio público, como aumento de penas para crimes de corrupção, escalonamento das punições de acordo com o prejuízo para os cofres públicos e previsão do crime de caixa dois, de uso de dinheiro não declarado oficialmente nas campanhas eleitorais.

Entre as mudanças mais polêmicas feitas na Câmara está a inclusão de punição a membros do Ministério Público e juízes que cometerem abuso de autoridade. Críticos da medida dizem que o objetivo é barrar as investigações da Operação Lava Jato.