Covid-19: possível vacina é autorizada para novo teste no Brasil

(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

A fase três de testes clínicos para a vacina contra o novo coronavírus Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em pareria com o Instituto Butantan, foi aprovada pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). A informação foi anunciada nesta quinta-feira (9) pelo governador de São Paulo (PSDB-SP) João Doria no Twitter.

A previsão é que a Coronavac comece a ser testada em brasileiros nas próximas semanas. Em entrevista coletiva, o governador revelou que o processo de testagem pode iniciar no dia 20 de julho em São Paulo, Brasília, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná. A fase vai custar R$ 38 milhões o governo paulista.

A possível vacina vai ser testada em 9 mil voluntários brasileiros em um estudo liderado pelo Instituto Butantan. Os participantes serão apenas profissionais de saúde. As inscrições para o voluntariado poderão ser feitas a partir do dia 13 de julho, por meio de um aplicativo, ainda não lançado.

Testes de vacina chinesa contra coronavírus começa dia 20 no Brasil

(Foto: CDC/Unsplash)

O governo de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (6) que o recrutamento de voluntários para a terceira fase de testes da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa de biotecnologia Sinovac começa na próxima segunda-feira (13).

Na sexta (3), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a nova etapa do projeto realizado pelo laboratório chinês em parceria com o Instituto Butantan. Em todo o Brasil, serão escolhidos 9 mil voluntários distribuídos em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná e Distrito Federal. Segundo o governador João Doria (PSDB), após o recrutamento, a vacina deve começar a ser aplicada nos voluntários no dia 20 de julho.

LEIA MAIS

Vacinas poderão controlar a covid-19, diz diretor do Butantan

As vacinas em desenvolvimento no mundo contra o novo coronavírus, oficialmente denominado SARS-CoV-2, poderão conseguir controlar a doença causada por ele, a covid-19. No entanto, nenhuma delas será capaz de acabar com a circulação do coronavírus no planeta.

A declaração é do médico Ricardo Palacios, diretor de Pesquisa Clínica do Instituto Butantan, um dos centros de pesquisa do mundo que participa do desenvolvimento de vacinas contra o vírus.

“Nós queremos gerar uma expectativa correta para a população. Nós não vamos acabar com o coronavírus com uma vacina. Qualquer uma que seja a vacina. O coronavírus veio e veio para ficar. Ele vai nos acompanhar. Durante todo o tempo de nossas vidas, nós teremos coronavírus circulando”, disse hoje (2), em um debate virtual promovido pela Agência Fapesp e o Canal Butantan.

De acordo com o diretor, as vacinas que estão em desenvolvimento no mundo pretendem controlar a covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. O pesquisador faz uma analogia entre a covid-19 (causada pelo coronavírus), e a gripe, causada pelo vírus influenza.

LEIA MAIS

Juazeiro: Prazo para vacinação contra a gripe é prorrogado até 24 de julho e público alvo ampliado

(Foto: Internet)

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe que seria encerrada nesta terça-feira (30/06) foi prorrogada pelo Ministério da Saúde até o dia 24 de julho. As vacinas continuarão sendo aplicadas nas Unidades Básicas de Saúde da sede e interior de Juazeiro, disponibilizadas para todos os públicos alvos contemplados ao longo da campanha e também para profissionais de serviços essenciais e população em geral em datas preestabelecidas.

A partir desta quarta-feira (01), a aplicação das vacinas será da seguinte forma: até o dia 10 de julho público alvo já contemplado anteriormente; a partir do dia 13 de julho, profissionais de serviços essenciais, que devem apresentar comprovante de vínculo trabalhista ativo como  carteira de trabalho ou contrato de trabalho e a partir do dia 20 de julho a população em geral. A SESAU ressalta que estes públicos serão contemplados conforme estoque final da vacina disponível no município.

LEIA MAIS

Vacina de Oxford pode ser distribuída este ano, diz Astrazeneca

A vacina contra o covid-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, com testes no Brasil, poderá ficar disponível à população ainda este ano. A afirmação foi feita por Maria Augusta Bernardini, diretora-médica do grupo farmacêutico Astrazeneca. O grupo anglo-sueco participa das pesquisas da universidade inglesa em parceria com Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

“Esperamos ter dados preliminares quanto a eficácia real já disponíveis em torno de outubro, novembro”, disse Bernardini. Segundo ela, apesar de os voluntários serem acompanhados por um ano, existe a possibilidade de distribuir a vacina à população antes desse período.

“Vamos sim analisar, em conjunto com as entidades regulatórias mundiais, se podemos ter uma autorização de registro em caráter de exceção, um registro condicionado, para que a gente possa disponibilizar à população antes de ter uma finalização completa dos estudos”, acrescentou, destacando que os prazos podem mudar de acordo com a evolução dos estudos.

LEIA MAIS

Fiocruz firmará acordo para produção de vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) firmará acordo com a biofarmacêutica AstraZeneca para compra de lotes e transferência de tecnologia da vacina para Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford. O acordo será resultado da cooperação entre o governo brasileiro e a biofarmacêutica, anunciado no último sábado pelo Ministério da Saúde.

Trata-se de uma encomenda tecnológica em que a instituição adquire o produto antes do término dos ensaios clínicos previstos, em função do movimento global de mobilização e para aquisição de vacinas. O acordo com a biofarmacêutica prevê duas etapas de produção.

A primeira consiste na produção de 30,4 milhões de doses antes do término dos ensaios clínicos, o que representaria 15% do quantitativo necessário para a população brasileira, ao custo de 127 milhões de dólares. O investimento inclui não apenas os lotes de vacinas, mas também a transferência de tecnologia para que a produção possa ser completamente internalizada e nacional.

LEIA MAIS

Governo anuncia parceria para produzir vacina contra Covid-19

Coronavirus

Brasil fechou acordo para disponibilização no futuro de doses de uma vacina que está sendo testada para o tratamento da Covid-19. O medicamento está sendo desenvolvido em uma iniciativa conjunta da Universidade de Oxford e de um laboratório no Reino Unido e já está sendo testado no país.

O acordo prevê a produção de 100 milhões de doses de vacina por meio da aquisição de insumos e transferência de tecnologia para produção no país.

LEIA MAIS

Vacina para covid-19 mostra resultado promissor

O laboratório americano Moderna informou nesta segunda-feira (18) que sua vacina experimental contra a covid-19 mostrou potencial em um estudo de estágio inicial, já que produziu anticorpos neutralizadores do vírus semelhantes àqueles encontrados em pacientes recuperados, o que fez o preço das ações dispararem cerca de 25%.

A vacina da empresa está na vanguarda dos esforços de desenvolvimento de um tratamento para o vírus de disseminação veloz e, na semana passada, recebeu o selo de “aprovação rápida” da agência de saúde dos Estados Unidos para que a revisão regulatória seja acelerada. A Moderna espera iniciar um estudo de estágio final mais amplo em julho.

Atualmente não existem tratamentos ou vacinas aprovados para a covid-19, causada pelo novo coronavírus, e especialistas preveem que uma vacina segura e eficiente pode demorar de 12 a 18 meses.

LEIA MAIS

Crianças e adolescentes de Juazeiro estão sendo convocados para se vacinar contra a meningite

A Secretaria da Saúde de Juazeiro recebeu do Núcleo Regional de Saúde da Região Norte as novas vacinas contra meningite. A vacina meningocócica ACWY (conjugada) terá como público alvo adolescentes de 11 e 12 anos de idade. De acordo com o Ministério da Saúde, os adolescentes em situações de surto da doença são os mais afetados. As vacinas começaram a ser distribuídas nos postos de saúde na segunda-feira (18).

A vacina é uma das principais formas de prevenção contra a doença. ­Segundo nota técnica do Ministério da Saúde, o objetivo d introdução da vacina meningocócica ACWY (conjugada) para os adolescentes tem como intuito garantir a sustentabilidade da oferta da vacina contendo o sorotipo C para a população alvo da vacinação e suprir as necessidades de demanda, além de proteger contra o sorogrupo W, considerando a gravidade da doença.

Adolescentes que estejam com febre ou quadro gripal não podem tomar a vacina, bem como mulheres que estejam amamentando.  De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Tatiane Malta, a vacinação no grupo descrito é para reforço. “A vacinação para proteção da meningite faz parte do calendário nacional de vacinação, a imunização acontece ainda nos primeiros meses de vida da criança. O reforço acontece a partir dos 11 anos de idade. Esta é uma vacina nova, incluindo outros componentes e abrangendo um número maior imunobiológico”, descreveu.

Tatiane ainda ressalta que “esta não é uma campanha de vacinação, é um imuno do calendário normal de vacinação. Solicitamos aos adolescentes de 11 e 12 anos para buscar a partir desta segunda-feira (18), as unidades básicas de saúde para reforço na imunização contra a meningite”, finalizou.

Mais de 3 mil gestantes e professores são vacinados em esquema de ‘drive thru’ em Petrolina

Gestantes e professores de Petrolina foram vacinados no último sábado (16), por meio do sistema drive thru, como parte da terceira e última etapa da campanha nacional de vacinação contra a gripe. Montada pela prefeitura em dois pontos da cidade – um na Avenida da Integração e outro no bairro Vila Eulália -, a estratégia conseguiu imunizar 3.153 pessoas.

A vacinação em sistema drive thru – em que não é necessário sair do veículo para receber as doses – faz parte das ações do município no sentido de diminuir o risco de transmissão de infecções respiratórias, evitando aglomerações nos postos de saúde.

LEIA MAIS

Vacina para Covid-19 nem existe ainda e já gera disputas entre países e empresas

(Foto: CDC/Unsplash)

Antes mesmo de existir, a vacina para a Covid-19 tem gerado desentendimentos entre países e empresas e também grupos contrários à obrigatoriedade de vacinas no mundo. Há estudos para o desenvolvimento de vacinas nos Estados Unidos e na China, e esses dois países têm se acusado de um tentar espionar a pesquisas.

A França e a União Europeia protestaram contra uma farmacêutica que afirmou que daria prioridade aos EUA na eventual distribuição de vacinas.

LEIA MAIS

Em teste, professor de Oxford diz que vacina contra Covid-19 pode estar pronta em junho

(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Centenas de pessoas na Inglaterra foram vacinadas em um teste para encontrar uma maneira de combate ao novo coronavírus. Segundo o portal Uol, a informação foi divulgada pelo professor de medicina da Universidade de Oxford, Sir John Bell, em entrevista ao programa “Today”, da Rádio 4 da BBC. O médico disse que o desafio será a produção em grade escala, caso o resultado seja positivo.

“Também queremos garantir que o resto do mundo esteja pronto para fazer esta vacina em larga escala para chegar às populações dos países em desenvolvimento, por exemplo, onde a necessidade é muito grande”, contou. A previsão é que os resultados dos testes estejam disponíveis em junho.

O teste contra a Covid-19 começou a ser feito em voluntários humanos no fim de abril, por uma equipe de pesquisadores da universidade.  Uma equipe do Imperial College também deve começar testes em humanos no próximo mês. Enquanto a vacina de Oxford tem o objetivo de estimular o sistema imunológico usando um vírus da gripe comum, o Imperial College usará gotículas de líquido para transportar o material genético necessário para a corrente sanguínea.

Terceira fase de vacinação contra Influenza terá início nesta segunda em Juazeiro

(Foto: Ilustração)

A Secretaria da Saúde em Juazeiro informa que na segunda-feira (11), terá início a terceira fase da vacinação contra a Influenza em Juazeiro. De acordo com a nota técnica enviada pelo Ministério da Saúde, esta fase será dividida em duas etapas: do dia 11 a 17 de maio deverão ser vacinadas crianças de seis meses a menores de seis anos e pessoas com deficiência.

A segunda etapa da terceira fase que terá início no dia 18 de maio e segue até 05 de junho será destinada aos adultos de 55 a 59 anos e professores da rede pública e privada. Para a superintendente de Vigilância em Saúde, Tatiane Malta, as vacinas estão sendo realizadas nos 54 postos de saúde do município.

LEIA MAIS

Vacina contra COVID-19 começa a ser testada em humanos nos EUA

(Foto: Ilustração)

Na corrida global por respostas ao novo coronavírus (SARS-CoV-2), há mais de 100 vacinas contra a COVID-19 em desenvolvimento e, desse total, espera-se que pelo menos 20 delas comecem a ser testadas em humanos ainda esse ano.

Devido à urgência da pandemia, as farmacêuticas tentam operar verdadeiros milagres científicos, como as empresas Pfizer e BioNTech que começaram, desde terça-feira (5), seus testes de imunização em pessoas saudáveis nos Estados Unidos.

Buscando determinar padrões de segurança, imunogenicidade e nível ideal de dosagem, as duas companhias testam, no momento, quatro opções de vacina contra a COVID-19, que atuam a partir de RNA mensageiro (mRNA). Caso uma das injeções funcione, os desenvolvedores alegam ter capacidade para disponibilizar o produto entre setembro e dezembro deste ano.

LEIA MAIS

Gripe: prefeitura vacina mais de 500 policiais no primeiro dia da segunda fase da campanha

A Prefeitura de Petrolina vacinou 511 policiais nesta quarta-feira (22), iniciando a segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. A aplicação das doses foi feita na Policlínica do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) e na delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Policiais civis também se vacinaram nesta quarta-feira.

A programação continua nesta quinta-feira (23), contemplando policiais do 2º Batalhão Integrado Especializado (BIEsp) e agentes da Guarda Civil Municipal (GCM).

A vacinação acontecerá nas sedes das respectivas corporações, manhã e tarde. Na sexta-feira (24), também manhã e tarde, serão vacinados bombeiros, motoristas de ônibus e o restante da tropa do 5º BPM e demais agentes da Polícia Civil. Os motoristas serão vacinados na garagem da empresa.

LEIA MAIS
123