Desafio de Robótica em Petrolina atrai estudantes de vários municípios

(Foto: Divulgação)

Aconteceu no último sábado (14) a Etapa Nordeste 2019 do Robotics Experience, maior evento de robótica do sul do Brasil. No total, 28 equipes representaram variadas escolas do Vale do São Francisco e cidades circunvizinhas como Araripina (PE), Candeias (BA) e Jacobina (BA). Durante todo o sábado a comunidade pôde assistir à competições e projetos expostos no ensejo.

Liderados por um técnico, os grupos precisaram cumprir 5 desafios com seus robôs, de acordo com o tema proposto: “tecnologia a favor do esporte”. Em cada prova as máquinas tinham que simular um esporte diferente, como futebol, ginástica rítmica e golfe. Três equipes realizaram todas as etapas: Colégio Colibri, de Candeias, Colégio GEO, de Juazeiro (BA) e Colégio Nova Geração, localizado em Araripina. Ambas garantiram a vitória e vão poder se apresentar na edição nacional do evento que acontecerá em Blumenau-SC, no próximo ano.

LEIA MAIS

Evento de robótica acontece neste sábado em Petrolina

(Foto: Divulgação)

O Robotics Experience, um dos maiores eventos educacionais de robótica do Brasil, acontece neste sábado, em Petrolina (PE), e vai reunir estudantes e instituições de ensino do Vale do São Francisco, de regiões circunvizinhas e de localidades metropolitanas de Salvador (BA). Essa é a Etapa Nordeste 2019, que acontecerá neste sábado (14), no Centro de Convenções Senador Nilo Coelho, das 9h às 16h.

Visando estimular o uso de recursos tecnológicos para a transformação positiva da realidade, o evento vai promover mostras de robôs e exposições de pesquisas tecnológicas, como o projeto de lançamentos de foguetes de uma escola municipal de Petrolina. Serão propostos desafios para os estudantes envolvidos, onde cada equipe, seguindo o tema central deste ano, “Tecnologia a favor do esporte”, vai precisar usar seu robô para simular a execução de várias atividades esportivas. O grupo que cumprir todas as provas será premiado pelo desempenho e ganhará a oportunidade de se apresentar no Evento Nacional, em Blumenau (SC).

Também vão ser ofertadas palestras para todo o público presente. Em uma delas, a jovem Anna Luísa Santos, formada em Biotecnologia, vai explicar como sua ideia pode ajudar milhares de pessoas. Ela desenvolveu uma tecnologia que filtra água através da luz solar em locais secos do país, e ganhou vários prêmios, incluindo o HackBrazil, evento brasileiro de tecnologia em Boston, nos Estados Unidos. Além disso, estudantes da Univasf vão expor o projeto Baatinga, que consiste no desafio da construção de um carro monoposto (para apenas uma pessoa), comuns em corridas automobilísticas.

Prefeitura de Petrolina busca parcerias para combater mortandade de abelhas na região

(Foto: Jaquelyne Costa)

A situação de mortandade das abelhas tem chamado atenção ao redor do mundo e também no Vale do São Francisco. O tema vem mobilizando a Prefeitura de Petrolina, órgãos ambientais e demais seguimentos como o Ministério Público de Pernambuco.

Para discutir ações no intuito de evitar a extinção de variadas espécies de abelhas nativas da Caatinga o secretário de Governo e Agricultura (SEGOA), Simão Durando e o diretor-presidente da Agência Municipal de Vigilância Sanitária (AMVS), Marcelo Gama, estiveram reunidos com o coordenador geral do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), Luiz Cezar Pereira e a ecóloga e pesquisadora do Centro, Aline Andrade.

LEIA MAIS

Governos de Pernambuco e da Bahia unificam ações para combater a Mosca das Frutas

(Foto: Divulgação)

Os Governos de Pernambuco e da Bahia vão unificar as ações de controle da Mosca das Frutas no Vale do São Francisco. A decisão foi formalizada na última sexta-feira (30), com a assinatura de um protocolo de intenções entre a Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco (SDA), Secretaria de Agricultura da Bahia (Seagri) e Agências Estaduais de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) e da Bahia (Adab). Também subscreveram o protocolo a Embrapa, o Sebrae, as Federações de Agricultura dos dois Estados, Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas (Abrafrutas), Valexport, Codevasf e a Biofábrica Moscamed Brasil.

A iniciativa tem como meta atender às exigências do mercado europeu, que passou a exigir ações de controle e monitoramento da Mosca das Frutas para a entrada de produtos na Europa. Até então, para exportar frutas para os países da Zona do Euro bastava a adoção de procedimentos para a eliminação de larvas, como o processo hidrotérmico para as mangas ou o tratamento a frio para as uvas.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco, Dilson Peixoto, a unificação das ações tem grande importância para a competitividade da fruticultura do Vale do São Francisco e a manutenção dos mercados para os produtores dos dois Estados. “Não adianta um produtor de Pernambuco ou da Bahia realizar o controle e o monitoramento da Mosca das Frutas se o seu vizinho não implantar essas ações. A mosca não reconhece limite de propriedades nem divisas entre os Estados”, destacou.

LEIA MAIS

Virarte encerra Aldeia do Velho Chico com grande programação neste sábado

O pernambucano Almério é uma das atrações do Virarte. (Foto: Divulgação)

Após 15 dias de intensa programação cultural, a Aldeia do Velho Chico – Festival de Artes do Vale do São Francisco, realizado pelo Sesc Petrolina, será encerrado neste sábado (31), com o tradicional Virarte. Serão mais de dez horas ininterruptas de atrações, em uma grade que conta com shows musicais, espetáculos de dança, teatro e o Mercado Cultural.

Entre as atrações mais esperadas da programação estão a cantora baiana Larissa Luz e o pernambucano Almério. Natural de Altinho, no Agreste de Pernambuco, Almério subirá ao palco alternativo da Aldeia às 20h, para apresentar ao público sucessos do seu segundo CD “Desempena”, e outras canções. O cantor e compositor é ganhador do Prêmio da Música Brasileira 2018 na categoria Cantor Revelação.

Às 23h será a vez da cantora Larissa Luz colocar todo mundo para dançar. Cantora, compositora e atriz, Larissa é um dos principais nomes da música negra contemporânea da Bahia. Atualmente em cartaz vivendo Elza Soares no musical “Elza”, a soteropolitana concilia carreira de atriz e cantora.  Em seu novo trabalho, “Trovão” Larissa constrói um ritual Baile que propõe conexão do sublime com o terreno, atualizando mitos yorubás e conduzindo um encontro entre som e movimento na pista.

LEIA MAIS

Deputado Tum solicita realização de censo agrícola no Vale do São Francisco

(Foto: Divulgação)

O setor agrícola da região do Vale do São Francisco, no norte da Bahia, caminha para ter seus dados atualizados por meio de um censo. A pauta foi levada pelo deputado estadual Tum (PSC) ao secretário estadual de agricultura, Lucas Costa, durante audiência na última quarta-feira (28), em Salvador (BA). O encontro foi acompanhado pelo representante do governo do estado em Brasília, Bebeto Galvão, e pelo prefeito de Casa Nova (BA), Wilker Torres. A demanda passará, agora, por uma avaliação interna da secretaria.

O deputado Tum lembra que a fruticultura, pecuária e a produção de verduras são responsáveis por movimentar boa parte da economia de, pelo menos, dez cidades banhadas pelo Rio São Francisco, a exemplo de Sobradinho, Casa Nova, Juazeiro, Remanso, Uauá, Sento-Sé, Curaçá, Pilão Arcado, Campo Alegre de Lourdes e Canudos.

Dessa forma, o parlamentar destaca que a elaboração de um censo, que possa dar um retrato do que se produz, do volume da produção e dos empregos gerados, é “uma ferramenta de balizar e definir as estratégias para a adoção de programas essenciais ao crescimento do setor, fortalecendo a agricultura e a pecuária da nossa região, sobretudo porque a geração de empregos no campo requer menor investimento que na indústria, por exemplo”.

LEIA MAIS

Cemafauna coordena investigação sobre morte e desaparecimento de abelhas na região do Vale do São Francisco

(Foto: Divulgação)

Pesquisadores do Centro de Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), estão investigando as possíveis causas de morte e desaparecimento de abelhas na região. A pesquisa foi motivada a partir de um inquérito, instaurado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), após criadores de abelha e produtores de mel relatarem que houve uma diminuição na ocorrência da espécie Apis mellifera, nos últimos anos, sem causa identificada. Para a realização do estudo, o Cemafauna conta com o apoio da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade de Cardiff, no País de Gales.

Para o estudo, o Cemafauna realizou a coleta de abelhas mortas e do mel produzido por essa espécie. “A pesquisa envolveu somente a Apis melliferapor ser a espécie de interesse dos apicultores que diagnosticaram o problema na região”, conta a coordenadora da pesquisa no Cemafauna, a bióloga Aline Andrade. Ela destaca que esta espécie é responsável por grande parte da polinização de frutos. “Embora seja exótica, ela tem ampla distribuição por todo o país, com importante papel ecossistêmico nos serviços de polinização e, consequentemente, na produção de frutos”, explica.

O material coletado foi enviado para a Universidade de São Paulo, para ser analisado por pesquisadores. Nas primeiras análises, foi identificada a presença de substâncias químicas nas cutículas (pele) das abelhas. Estas substâncias são encontradas em pesticidas utilizados nas lavouras agrícolas.

LEIA MAIS

Universidade Federal do Vale do São Francisco se manifesta contrária ao ‘Future-se’

(Foto: Divulgação)

O Conselho Universitário, órgão superior deliberativo da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Conuni-Univasf), tornou pública a Decisão Nº 65/2019 que trata da posição institucional da Univasf sobre o programa Future-se. No último dia 9, o Conuni, órgão máximo da instituição, que conta em sua composição com representantes das comunidades acadêmica e externa, aprovou Carta de Recusa à minuta do Projeto de Lei (PL) do programa, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) em julho deste ano.  O ato sinaliza alterações à proposta original do MEC, com base no princípio constitucional da autonomia universitária.

Segundo avaliação dos conselheiros, o modelo proposto, conforme minuta do PL, poderá impactar o direcionamento de atividades de pesquisa, ações de ensino, extensão e de inovação tecnológica das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes). A previsão de contrato com Organizações Sociais (OS), de modo impositivo para adesão das Ifes ao programa, também foi apontada como ameaça à autonomia da universidade. Dividido em três eixos, Gestão, Governança e Empreendedorismo, Pesquisa e Inovação, e Internacionalização, o Future-se prevê, ainda, entre outras iniciativas, a criação de diferentes tipos de fundos de investimento e fomento às ações programadas, e de um comitê gestor externo à universidade, caracterizado como entidade de supervisão e controle.

LEIA MAIS

Aldeia do Velho Chico celebra 15 anos com grande programação em Petrolina, Juazeiro e Lagoa Grande

(Foto: Ascom)

Durante o mês de agosto Petrolina vai se tornar a capital cultural do Sertão pernambucano.  De 16 a 31 o Sesc, em parceria com a Prefeitura Municipal, movimentará a cidade com a realização da 15ª edição da Aldeia do Velho Chico – Festival de Artes do Vale do São Francisco. A programação comemorativa de 15 anos do festival, que acontecerá em Petrolina, Juazeiro (BA) e Lagoa Grande (PE), foi lançada na manhã desta quinta-feira (8)  no Teatro Dona Amélia. Consolidado como importante projeto multicultural do Vale do São Francisco, a Aldeia é um desdobramento do Palco Giratório, maior projeto de artes cênicas em circulação no país, e contará com a participação de mais de cem artistas regionais e nacionais.

O homenageado desta edição será o Grupo TPA (Teatro Popular de Arte) de Petrolina, companhia que contribuiu para a construção do movimento teatral na região, com uma trajetória de mais de 30 anos. O tema escolhido para a edição é a hashtag  #SOMOSALDEIA. “O projeto solidificou uma política de cultura. Desde 2005, se a gente for fazer uma avaliação, a quantidade de grupos que surgiu a partir da expectativa do festival, para acolher suas produções, é muito grande. Percebemos ao longo dos anos o crescimento das linguagens artísticas, mostrando que é possível profissionalizar a arte. É o festival que tem trazido espetáculos atuais, contemporâneos, artistas que trazem outros modos de produzir. É um festival atento ao tempo, as discussões atuais, como: racismo, intolerância, violência contra a mulher, homofobia. Pensar isso dentro dos recortes curadoriais também são demandas deste festival, que acaba sendo também um lugar de educação através da arte”, destaca o supervisor de cultura do Sesc Petrolina, Jailson Lima.

Programação

A abertura acontece no dia 16 de agosto, a partir das 15h, no Sesc Petrolina, com a Mostra Pedagógica das Oficinas que terão início no dia 12, seguida pelo Painel de Visualidades da Aldeia, apresentação do Reisado da Comunidade Quilombola Mata de São José (Orocó-PE) e Maracatu Beira-rio (Petrolina). Logo depois, às 17h, o tradicional cortejo Abre Alas pro Velho Chico parte do Sesc e vai percorrer as principais ruas do centro comercial da cidade com a Frevuca, até a Orla. A partir das 18h, a programação acontecerá no palco montado na Orla de Petrolina, com apresentações do Reisado da Comunidade Quilombola do Lambedor (Lagoa Grande-PE), São Gonçalo de Amarante de Zezinho do Vira Beiju (Petrolina), Quadrilha Explode Coração (Petrolina) e Quadrilha Buscapé (Juazeiro-BA). Os shows musicais serão abertos às 19h30 com a cantora caruaruense Gabi da Pele Preta e logo depois o grupo Mande in Quebrada (Juazeiro-BA). A noite de abertura será encerrada com o show Tecnomacumba, da cantora maranhense Rita Beneditto.

LEIA MAIS

Hospital Universitário inicia implantação de projeto para agilizar atendimentos na emergência

(Foto: Internet)

O Hospital Universitário (HU-Univasf), em parceria com o Hospital Sírio Libanês, começou o processo de implementação do projeto Lean nas Emergências, com o propósito o propósito de otimizar e dar maior resolutividade aos atendimentos emergenciais. A execução da metodologia é mais uma iniciativa da unidade para tentar controlar e amenizar os efeitos da superlotação. Durante o mês de julho, o hospital registrou uma média de ocupação de 168%.

A equipe do hospital paulista esteve na unidade reunida com profissionais de diversas áreas do HU entre os dias 31 de julho e 01 de agosto. Esse foi o segundo dos 12 encontros que acontecerão nos próximos meses. Na ocasião, foram apresentados as características e objetivos da ferramenta e o resultado de uma análise realizada no setor de Emergência e Urgência do HU. “Esse primeiro momento de diagnóstico foi importante para mostrar a nossa situação. Percebemos que é possível reduzir o tempo de espera e o quantitativo de pacientes no nosso corredor. Os colaboradores estão engajados e acredito que vamos conseguir bons resultados”, comentou o chefe da Unidade de Planejamento do HU, Thiago Magalhães.

LEIA MAIS

Alerta: falso anúncio de emprego para obras de Petrolina circula em grupos de WhatsApp da região

(Foto: Internet)

Nos últimos dias, os grupos de WhatsApp da região foram tomados por uma anúncio falso que promete vagas de emprego em obras de uma suposta duplicação da “Rodovia BR Petrolina ao Vivendas”. O informativo fraudulento apresenta mais de 20 vagas nas áreas de auxiliar administrativo, operador de trator, auxiliar de escritório, copeira, auxiliar de produção, técnico em enfermagem, eletricista, entre outras.

A equipe de Produção do Blog Waldiney Passos apurou o conteúdo do anúncio e verificou que a empresa “A GG Construtora” é inexistente, o endereço de e-mail disponibilizado é inválido, e o número de celular disponível para contatos, pertence à uma pessoa que afirma desconhecer a empresa.

Em nota divulgada na tarde de hoje (31), a Prefeitura Municipal de Petrolina alerta a população:  “Para evitar qualquer tipo de constrangimento, a prefeitura esclarece que trata-se de um  anúncio falso que deve ser descartado por quem o receba. A Secretaria de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos (Seinfra) reforça ainda que todos os processos seletivos verdadeiros são comunicados nas páginas oficiais nas redes sociais da prefeitura e orienta que a comunidade não forneça qualquer tipo de dado pessoal”, conclui a nota.

Protagonismo feminino: jornalistas do Vale do São Francisco criam projeto para pautar esporte

Maria Akemi e Thamires Santos, criadoras do projeto de jornalismo esportivo. (Foto: Blog Waldiney Passos)

“O esporte sob a ótica delas”. Essa é a frase que descreve no Instagram, o projeto “Elas e os Esportes“, das jornalistas Maria Akemi e Thamires Santos. Com o objetivo de pautar esporte, o projeto pioneiro na região do Vale do São Francisco foi lançado em abril deste ano, e surgiu em meio à ausência da atuação feminina no jornalismo esportivo e do desejo de protagonizar a área ainda muito restrita aos homens.

“Uma oportunidade de dar visibilidade também a quem faz o esporte no Vale, principalmente mulheres. Não somos sexistas, quem acompanha sabe que também falamos de qualquer esporte de maneira geral. Não esquecendo do cenário nacional. Não queremos apenas falar de mulheres no esporte, queremos falar de tudo!”, explicou Thamires Santos.

Destemidamente, as jornalistas do “Elas” escolheram as redes sociais como plataforma de atuação. É pelo Instagram, Facebook e youtube, que as comunicadoras, mentoras do projeto, produzem conteúdo nos mais diversos formatos: fotografias, podcasts, vídeos, entre outros.

Nossa rotina de trabalho é corrida, ter a rede social como carro chefe do Elas foi talvez a melhor escolha que fizemos”, relatou Maria Akemi em entrevista ao Blog Waldiney Passos, ressaltando que outro diferencial do projeto é o tratamento destinado às mais diversas modalidades esportivas, como artes marciais e futebol americano, além do espaço dado ao esporte masculino. “O fato de sermos mulheres não exclui nossa vontade de tratar do esporte masculino, que aqui, vem em segundo plano”, afirmou.

LEIA MAIS

Alta dos custos fixos afeta produção de acerola no Vale do São Francisco

(Foto: Divulgação)

O produtor de acerola do interior de Pernambuco gastou em média R$ 5 mil por hectare para implantar a fruta na última safra 2018/2019. O levantamento foi realizado pelo Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf). Em termos mais usuais, o agricultor teve que produzir pelo menos 250 caixas por hectare em média, para cobrir os custos com o fruto.

Levando em consideração o preço médio de R$ 20 por caixa, a mão-de-obra de R$ 9 por cada colheita, o custo da irrigação e os tratos culturais (adubação, capinação e fertilização), a entidade calcula que o produtor tirou uma rentabilidade de 4,00 caixas, por hectare.

“Anos atrás, o cultivo de acerola em Petrolina trazia um retorno [comercial] mais satisfatório porque tinha um baixo custo de produção. Porém, de uns tempos para cá houve uma alta da mão-de-obra, uma baixa procura pela fruta, uma redução de preços e, consequentemente, a diminuição dos lucros para o agricultor”, avalia o levantamento.

Efeito dominó

Segundo a presidente do Sintraf, Isália Damacena, a entidade prevê uma melhora com relação aos preços das próximas safras, no entanto, pelo motivo errado: recentemente muitos produtores erradicaram suas áreas de acerola, o que também reduzirá em breve a disponibilidade da fruta.

LEIA MAIS

Professor de oratória produz e disponibiliza conteúdo gratuito na internet

Há mais de dois anos, o Radialista e professor de oratória Paulo Ricardo Moreira, tem desenvolvido no Vale do São Francisco, um trabalho sobre a técnica de comunicação que promete ser a chave para o sucesso de muitas pessoas que têm dificuldade para se comunicar.

Focado inicialmente em cursos e palestras de oratória, sobre como dominar o medo de falar em público, o trabalho de Paulo Ricardo avança com o intuito de expandir e facilitar o acesso ao conteúdo produzido por ele.

“Algumas pessoas têm a necessidade de aprimorar a comunicação pessoal, mas não sabem, não se apercebem para isso, outras até sabem, mas por falta de tempo ou por algum outro fator elas não procuram ajuda de um profissional para aprimorar essa comunicação pessoal. Por esse motivo, eu decidi compartilhar conteúdos gratuitos por meio das redes sociais”, disse Paulo Ricardo.

LEIA MAIS

Hospital Universitário restringe recepção de novos pacientes fora do perfil hospitalar

(Foto: Internet)

Em decorrência da superlotação das instalações e falta de espaço físico, o Hospital da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-Univasf) emitiu um comunicado informado sobre a restrição de recepção de novos pacientes fora do perfil hospitalar. De acordo com o Hospital Universitário a conjuntura atual demanda efetivação do critério de perfil assistencial.

O hospital adota o Protocolo de Manchester para classificar os pacientes de acordo com a complexidade do caso. Segundo a pactuação da Rede Interestadual de Atenção à Saúde do Vale do Médio São Francisco (Rede PEBA), o HU é responsável pelo atendimento aos casos de alta e média complexidade, identificados com as cores amarelo, laranja e vermelho (casos que apresentam risco imediato de perda de função de órgãos ou membros e/ou risco de morte), em referência ao Protocolo, e os casos de baixa complexidade (azul e verde) devem ser atendidos pelas outras unidades que compõem a Rede e que possuem a finalidade de assistir esses casos.

“Há anos, o Hospital Universitário tem se desdobrado, trabalhando muito além de sua capacidade estrutural e de quantitativo de profissionais. O HU-Univasf compreende que tais pacientes não têm culpa pela insuficiência da Rede, contudo, tal conjuntura é extremamente prejudicial não somente para população em geral, como também para os colaboradores que atuam no hospital. Hoje (11), existem 198 pessoas internadas, o que corresponde a uma taxa de ocupação de 154%”, diz um trecho do comunicado.

LEIA MAIS
123