FIEPE promove oficina de Gestão Comercial e Vendas em Petrolina na próxima quarta

Os interessados podem se inscrever no prédio do SENAI de Petrolina.

Na próxima quarta-feira (27), a Unidade Regional da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (URSF/FIEPE) traz a Petrolina o professor universitário e especialista em RH Estratégico Fernando Chalegre para ministrar a oficina de Gestão Comercial e Venda Objetiva.

O objetivo do evento é ampliar os conhecimentos de profissionais e estudantes que atuam nas áreas comercial, de vendas e marketing. O evento acontece das 8h às 17h.

De acordo com o gestor regional do Sistema FIEPE, Flávio Guimarães, em um mercado cada vez mais competitivo se exige que as empresas desenvolvam estratégias comerciais focadas em expansão do ganho de participação do mercado e aumento da lucratividade.

LEIA MAIS

Vendedores ambulantes comemoram aumento das vendas durante São João de Petrolina

Vendas aumentaram em relação ao ano passado.

Os vendedores ambulantes que ocuparam a ‘free zone’ durante o São João de Petrolina, na área externa do Pátio de Eventos Ana das Carrancas, comemoraram o sucesso das vendas deste ano. O aumento foi de quase 20% com relação ao mesmo período do ano passado.

Cerca de cem trabalhadores informais comercializaram alimentos e bebidas no espaço. Pela terceira vez, Maria Hingridy de Souza levou seu carrinho de cachorro quente para o evento, e não se arrependeu. “O São João é sempre uma época boa para gente e sentimos que, a cada ano que passa, o movimento por aqui aumenta e as vendas são melhores”, comenta.

O São João de Petrolina chega a gerar cerca de 10 mil empregos diretos e indiretos, além de injetar na economia local mais de R$ 200 milhões. Além de beneficiar os vendedores ambulantes, o evento também fortalece todos os segmentos do trade turístico, devido a atração de cerca de 20 mil turistas.

Dia das mães deve aumentar vendas no comércio de Petrolina em até 20%

O ‘Dia das Mães’ é considerado a segunda melhor data de vendas para o varejo.

Com a proximidade do dia das Mães, celebrado no próximo domingo (12), a economia petrolinense já está aquecendo. Lojas especialmente decoradas para a data e a variedade de presentes têm atraído os consumidores.

Segundo levantamento realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a maioria dos empresários acredita que as vendas deste ano serão melhores em comparação ao mesmo período de 2018.

A pesquisa realizada com associados à entidade apresentou um crescimento médio nas vendas de 12%. Já os segmentos de confecções, calçados e assessórios apresentaram uma expectativa maior de crescimento em torno de 20%.

O gerente de uma loja de calçados, Paulo Henrique, está animado e argumenta que a procura pelo presente deve se intensificar nos próximos dias. “Muitos clientes deixam para comprar na última hora. Estamos otimistas e esperamos ter um aumento médio nas vendas de 15% a 20%”.

LEIA MAIS

Após recuo em 2018, vendas na Páscoa têm alta de 1,29% este ano

(Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Confirmando a expectativa de que a recuperação econômica segue em ritmo moderado, o volume de vendas a prazo na semana anterior a Páscoa (que, este ano, foi entre os dias 14 e 20 de abril) apresentou um leve crescimento de 1,29% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados são da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Em 2018, as vendas haviam recuado -0,34%, após crescer 3,34% em 2017. Já entre os anos de 2015 e 2016, as vendas no período acumularam queda de -2,24% e -13,34%, respectivamente.

LEIA MAIS

Pesquisa aponta crescimento de até 5% para as vendas na Páscoa

(Foto: Internet)

A Páscoa é umas das datas sazonais mais importantes para o varejo supermercadista. Nesta época, produtos diferenciados ganham destaque no ponto de vendas, dentre eles ovos de chocolate, pescados, azeites e vinhos.

O Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR) projeta um crescimento de 4% a 5% nas vendas deste ano. “A retomada do consumo em 2019 tende a aquecer o varejo e, consequentemente, as vendas na Páscoa. Este número segue o índice do ano passado, que foi de 3,2%, em comparação a 2017”, explica Patricia Cotti, diretora executiva do IBEVAR.

LEIA MAIS

Vendas de material escolar movimentam comércio de Petrolina

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Após o período de festas de fim de ano, que movimenta o comércio como um todo, o período de volta às aulas, é o mais esperado pelo setor de papelaria. Em Petrolina (PE), as lojas de material escolar têm boas expectativas para este, que é o momento mais lucrativo do ano.

Valdivo Carvalho, Diretor Executivo da CDL Petrolina, ressalta a importância desse momento para o comércio varejista da cidade. “Em janeiro e fevereiro, normalmente as vendas caem, e aí vem o segmento de material escolar, e outros segmentos que trabalham essa mesma linha de produtos para manter as vendas também aquecidas, atendendo a demanda das escolas”.

Desde os primeiros anos de fundação, uma loja de variedade no Centro de Petrolina aposta nas vendas de material escolar, solução para lucrar na temporada em que geralmente o comércio fica mais fraco. Nos primeiros meses do ano, no lugar de importados, as principais prateleiras ficam recheadas de cadernos, bolsas, estojos, uma imensa variedade de utensílios escolares.

LEIA MAIS

Vendas no Natal crescem 2,66% e têm melhor resultado desde 2014, aponta CNDL Brasil

(Foto: Ilustração)

A expectativa de retomada da economia levaram os brasileiros a presentear mais neste Natal. Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que as consultas para vendas a prazo nos 21 dias anteriores ao Natal (entre 04 e 24 de dezembro) — data comemorativa mais lucrativa para o varejo —, cresceram 2,66% na comparação com o mesmo período de 2017.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, os números refletem   o clima de otimismo quanto aos rumos do país. “Após um período de retração da economia, observa-se uma perspectiva positiva do cenário pós-eleições, que estimulou muitos consumidores a irem às compras neste Natal”, avalia.

De acordo com um levantamento da CNDL e do SPC Brasil, o gasto médio do brasileiro com o total de presentes de Natal foi estimado em R$ 115,9. A previsão era de que a data movimentasse cerca de R$ 53,5 bilhões na economia.

Contratação temporária para o Natal deve ser menor do que em 2017

(Foto: Ilustração)

Com a expectativa de venda reduzida para o Natal deste ano, o comércio varejista deve colocar o pé no freio também em relação ao número de contratações temporárias em todo o País. De acordo com levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), no fim de 2018 o comércio deve criar 72,7 mil vagas temporárias, recuo de 1,7% em relação aos 73,9 mil postos criados em 2017.

O número menor de pessoas contratadas deve-se, sobretudo, à perspectiva de empresários e lojistas em relação às incertezas econômicas e à percepção de que este será um Natal de ‘lembrancinhas’. Enquanto em 2017 as vendas de fim de ano cresceram 3,9%, em 2018, o percentual não deve passar dos 2,3%. “A lentidão na queda da taxa do desemprego é uma marca de 2018, além do avanço dos preços administrados, como energia e plano de saúde. Tudo isso sacrifica o consumo e deixa o consumidor cauteloso, principalmente na compra a prazo”, diz o economista chefe da CNC, Fábio Bentes.

Até mesmo a temporada de oferta de vagas deve ser ampliada. Diferente de outros anos, quando pelo menos 20% dos temporários eram efetivados ainda em outubro, as contratações devem se estender até dezembro. “Temos expectativa moderada. O fim do ano tem injeção do 13º salário, as vendas obviamente aumentam e iremos contratar, mas nada grande”, afirma o presidente da CDL-Recife, Cid Lobo.

Os maiores volumes de contratação se concentram no segmento de vestuário (47,9 mil vagas) e hiper e supermercados (11,5 mil vagas). O salário deve alcançar R$ 1.230, avançando 3,9% em termos nominais na comparação com 2017.

Shoppings do interior

LEIA MAIS

Dia dos pais deve alavancar vendas em 5% em Petrolina, segundo CDL

(Foto: Ilustração)

Em realizada com os segmentos de vestuário, calçados, perfumaria, eletroeletrônicos, relojoaria, entre outros, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Petrolina constatou que os lojistas esperam um aumento de 5% nas vendas no comércio da cidade, em relação ao mesmo período do ano passado.

Para os lojistas, esse resultado é esperado devido a campanhas internas, promoções e variedades em produtos que contribui para gerar um ambiente de oportunidades de compras a preços mais acessíveis. A comemoração que se dá no segundo domingo de agosto já é tradicionalmente comemorada no comércio.

Anvisa suspende venda de fraldas da marca Huggies Turma da Mônica; confira os lotes

(Foto: Internet)

Em resolução publicada no Diário Oficial da União, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, nessa segunda-feira (18), a suspensão da venda de parte dos lotes de fraldas descartáveis do modelo Tripla Proteção, da marca Huggies Turma da Mônica, recomendando que os consumidores que já tenham comprado unidades consideradas irregulares evitem utilizá-las.

A medida foi tomada pois a fabricante, a multinacional Kimberly-Clark, não seguiu adequadamente os procedimentos que garantiriam que o material do produto é atóxico e seguro para bebês, de acordo com a Agência.

Segundo a Anvisa, a empresa deixou pendentes os exames de irritações cutâneas primárias e cumulativas e de sensibilização, capazes de detectar se o produto pode causar alergias.

Atualmente, a legislação brasileira prevê que fabricantes de fraldas e absorventes higiênicos repitam esses testes, chamados de pré-clínicos, toda vez que alterem algo em sua cadeia de produção. As marcas também são obrigadas a elaborar um estudo de estabilidade dos produtos, registrando, além dos resultados dos testes, metodologias analíticas, condições de conservação da amostra, periodicidade de análise e data de vencimento.

LEIA MAIS

Aproximação do São João intensifica as vendas no comércio de Petrolina

É esperado um crescimento médio de 5% nas vendas neste período junino em relação ao mesmo período do ano passado

Petrolina já respira o clima das festividades de São João. Em todos os locais da cidade e principalmente na região central já é possível ver as lojas decoradas com balões, bandeirolas, chapéus, além de uma infinidade de produtos que fazem referência aos festejos.

Nesta semana que antecede a abertura oficial dos grandes shows no Pátio Ana das Carrancas as vendas em vários setores do comércio estão mais esquecidas. O aumento é registrado nas lojas de roupas, calçados, adereços, bebidas, alimentação, entre outros. Esse incremento na economia local também faz aumentar os serviços gerando emprego e renda.

Em levantamento realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas(CDL), junto aos comerciantes, estima-se um crescimento médio de 5% nas vendas neste período junino em relação ao mesmo período do ano passado.

“Fizemos um levantamento e a resposta do lojista foi muito positiva. Esperamos boas vendas em torno do nosso tradicional São João”, revela o diretor executivo da CDL, Valdivo Carvalho.

A organização do São João de Petrolina espera receber nos nove dias de festa cerca de 800 mil pessoas, entre turistas, atrações nacionais e forrozeiros locais, em uma média de 80 mil de pessoas por dia. A expectativa é que, este ano, se tenha uma injeção de cerca de R$ 200 milhões na economia local.

Terceira edição da Mega Promo surpreendeu os lojistas de Petrolina e superou as expectativas

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Petrolina e o Sindicato do Comércio Varejista de Petrolina (Sindilojas), avaliaram como positiva terceira edição da Mega Promo. A feira, que aconteceu no último final de semana (06, 07 e 08), no Centro de Convenções Senador Nilo Coelho, em Petrolina, superou as expetativas e agradou organização, empresários e consumidores que puderam aproveitar os preços com até 70% de descontos.

Foi o caso da Professora Zélia Santos, que ainda não conhecia a Mega Promo, mas aproveitou a oportunidade para adquirir alguns produtos.

“Quando soube da feira, eu me programei para uma visita despretensiosa, mas quando cheguei aqui, vi que tinham coisas que eu estava precisando. Aproveitei os preços super acessíveis, realmente diferente dos preços que encontramos normalmente nas lojas, e estou saindo satisfeita com as minhas compras. Ano que vem pretendo voltar novamente”, celebrou.

LEIA MAIS

Sebrae orienta empreendedores para realizarem boas vendas durante a Páscoa

(Foto: Ilustração)

A Páscoa está próxima, mas ainda dá tempo de alavancar bons resultados nas vendas. E não é só quem vende chocolates que pode garantir o saldo positivo. Segundo o técnico do Sebrae Bahia Diógenes Silva, outros segmentos devem ficar atentos à data, como quem se dedica à venda de produtos infantis, ao turismo e a outros alimentos, como os peixes, ligados à comemoração religiosa da Páscoa.

O especialista aponta questões que ainda podem ser ajustadas para garantir um resultado melhor na Páscoa para os pequenos negócios desses segmentos. Confira as dicas:

– Não deixe para a última hora. “Monte um planejamento, mesmo que seja simples”, aconselha Diógenes. Nele, não esqueça de destacar o que precisa providenciar para a data.

– Verifique produtos que podem ser customizados. “Não necessariamente é preciso comprar algo novo. Às vezes, o empresário pode buscar no mix dele o que pode ser adaptado para a data”, lembra o especialista.

– Cuide da identidade da loja, seja física ou virtual. “Aqui entram vitrine, iluminação, peças publicitárias. Não pode ficar escondido na loja”. Diógenes destaca que o cliente deve visualizar que o negócio tem opções para a Páscoa com facilidade.

– Atenção à logística. O técnico do Sebrae Bahia alerta: “Se o produto chegar fora do prazo, o estoque vai ficar parado”. Então ainda há tempo para dar atenção à logística do negócio, para reverter possíveis problemas.

– Buscar grandes compradores. A dica aqui é procurar por empresas que comprem em grande volume, como escolas, que costumam distribuir lembranças da data.

– Preparar uma ação pós-vendas. “Também é preciso fazer com que esses clientes, que buscaram a loja na Páscoa, voltem depois desse período”, resume Diógenes.

Vendas do Natal no comércio de Petrolina superaram as expectativas

(Foto: ASCOM)

De acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrolina (CDL), a movimentação de consumidores nas lojas da cidade foi melhor que os comerciantes esperavam. Para o presidente da CDL Petrolina, Manoel Vilmar, a cidade seguiu o ritmo do crescimento de vendas no período natalino observado em todo o país.

“Nós superamos a expectativa com o crescimento de 7% no varejo, e intenção de contratação de 30% dos empregos temporários. Um alento para os comerciantes e um fator positivo também para o consumidor, pois prova que o seu poder de compra aumentou neste fim de ano”, comemorou o presidente.

Depois de três anos seguidos de retração, o comércio obteve a maior alta nas vendas de Natal. De acordo com dados do Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, em todo o país houve aumento de 5,6%, o maior desde 2010.

LEIA MAIS

Vendas no Natal cresceram 4,72% em relação a 2016, diz pesquisa

(Foto: ASCOM)

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), mostra que a retomada da economia teve seus primeiros reflexos na confiança dos consumidores.

Segundo os dados coletados, a quantidade de consulta de vendas a prazo positivo é o resultado mais expressivo de todas as datas comemorativas de 2017.

As consultas para vendas a prazo na semana anterior ao Natal (entre 18 e 24 de dezembro), a data comemorativa mais lucrativa para o varejo no ano, aumentaram 4,72% na comparação com 2016. Trata-se do primeiro ano de crescimento após três anos consecutivos de retração.

O natal também é a data comemorativa de 2017 com o aumento mais expressivo: Páscoa (+0,93%), Dia das Mães (-5,50%), Dia dos Namorados (-9,61%), Dia dos Pais (-2,18%), Dia das Crianças (+3,00%).

Neste ano, segundo um levantamento do SPC Brasil, o gasto médio do brasileiro com o total de presentes de Natal girou em torno de R$ 461,91. A estimativa era de que a data movimentasse cerca de R$ 51 bilhões na economia.

O cálculo de vendas a prazo é baseado no volume de consultas realizadas ao banco de dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional, entre os dias 18 e 24 de dezembro deste ano.

123