Recuperado da covid-19, Bolsonaro deve visitar Bahia e Piauí nesta quinta-feira 

Equipe do Governo já está no Piauí (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Depois de se recuperar da covid-19, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) cumprirá a agenda que precisou ser adiada há 20 dias. Nesta quinta-feira (30) ele deve desembarcar em Campo Alegre de Lourdes (BA) para inaugurar um sistema de abastecimento de água na zona rural do município.

O compromisso precisou ser adiado, pois na semana da inauguração Bolsonaro testou positivo para o novo coronavírus. Além de visitar a Bahia, o presidente também fará uma parada no Piauí. Equipes do Governo Federal já estão em São Raimundo Nonato, organizando a chegada da maior autoridade do país.

Oficialmente os compromissos não constam na agenda de Bolsonaro, mas a informação já foi veiculada por veículos do Piauí e Bahia, além dos jornais O Globo e UOL.

Bolsonaro cumpre agenda na Bahia nesta terça-feira

(Foto: Internet)

Dias após sua fala sobre governadores nordestinos repercutir na imprensa nacional, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) cumprirá agenda na Bahia nesta terça-feira (23) para inaugurar o Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista.

Ontem (21) durante entrevista Bolsonaro afirmou não ter problemas em ir à região. “A Bahia é Brasil. Sem problemas. Sou amigo do Nordeste, poxa. Se eu tenho um problema no Sul, não se fala na Região Sul, Centro-Oeste e Norte. Por que essa história? Vocês mesmos da mídia querem separar o Nordeste do Brasil. O Nordeste é Brasil, é minha terra e eu ando em qualquer lugar do território brasileiro”, disse.

Na última sexta-feira (19) o presidente fez um comentário que foi criticado por alguns nordestinos e parte da mídia. O grupo de governadores do bloco emitiu uma carta cobrando esclarecimentos de Bolsonaro.

Sobre o compromisso de amanhã, o Palácio do Planalto não informou o horário do evento e qual será a agenda do presidente. Sabe-se apenas que o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas estará na Bahia juntamente com o Bolsonaro.