Temer se entrega à Polícia Federal em São Paulo; local de prisão continua indefinido

(Foto: Amanda Perobelli/Reuters)

Por volta das 14h56 de hoje (9), o ex-presidente Michel Temer (MDB) se entregou à Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, após deixar sua casa no bairro Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital. Ele estava a bordo de um carro com vidros escuros. O local onde permanecerá detido ainda não foi definido e deve ser decidido pelo TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região).

A Justiça determinou ontem (8) que Temer voltasse à prisão –o TRF-2 revogou recurso de Temer que permitiu sua saída da prisão. A defesa do ex-presidente recorreu ao STJ (Superior Tribunal da Justiça) contra a decisão da segunda instância. O recurso será analisado pelo ministro Antônio Saldanha Palheiro.

A juíza federal Caroline Figueiredo, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, mandou hoje que o ex-presidente se entregasse à PF até as 17h para ficar preso preventivamente (sem prazo). Após pedido da defesa de Temer, ela encaminhou consulta para que TRF-2 decida sobre a possibilidade de o ex-presidente permanecer detido em São Paulo.

Ontem, o desembargador Abel Gomes, presidente da Primeira Turma Especializada do TRF2, já havia indicado que atenderia o pedido da defesa de Temer e o manteria preso em São Paulo. Segundo o magistrado, seria um custo desnecessário aos cofres públicos mobilizar agentes da Polícia Federal, veículos e um avião para trazê-lo para o Rio, mas deixou a decisão a cargo da juíza federal Caroline Figueiredo. Ela substitui Marcelo Bretas, que está de férias, na 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, responsável pelas ações da Operação Lava Jato no Rio.

Porém, no começo da tarde, a juíza preferiu não decidir sobre o tema. No despacho em que determinou a prisão de Temer, ela decidiu deixar a decisão a cargo do TRF-2: “expeça-se ofício à 1ª Turma Especializada do Eg. Tribunal Regional Federal da 2ª Região consultando acerca da possibilidade de mantê-los custodiados no Estado de São Paulo, local de sua residência”.

Ela ainda determinou que, caso haja autorização do TRF-2, a Superintendência da PF em São Paulo diga se tem condições de custodiar o ex-presidente. A assessoria da PF não comentou se Temer ficaria detido em sua sede –o ex-presidente pediu à Justiça para ficar preso em uma sala do estado maior no Quartel General da PM-SP (Polícia Militar do Estado de São Paulo).

A Justiça também determinou a volta à prisão de João Baptista Lima Filho, conhecido como coronel Lima e amigo do ex-presidente. Ele é tido como braço direito de Temer no esquema de corrupção. As defesas dos dois negam as acusações.

Réu seis vezes

Temer é réu em seis processos na Justiça Federal. No Rio de Janeiro, ele responde a duas ações, oriundas do esquema investigado pelo MPF que o levou à prisão. Em São Paulo, há um processo relacionado a suspeitas envolvendo a reforma de um imóvel de sua filha Maristela.

No Distrito Federal, Temer possui três processos: um sobre valores recebidos da JBS e o “homem da mala”, outro sobre o decreto dos portos e um por organização criminosa e tentativa de obstruir a Justiça.

Com informações do site UOL

Deixe uma resposta