Retrospectiva 2016: Niéde Guidon determina a paralisação de todos os serviços no Parque Nacional da Serra da Capivara

niéde guidon

O simbolismo desse caso leva a pensar que a meta do ICMBIO é: se não podemos manter o exemplo que é a Capivara, então vamos deixá-lo exatamente como os outros parques nacionais, largados, entregues à própria sorte”. Foto: Internet

O Parque Nacional da Serra da Capivara, localizado nos municípios piauienses de Canto do Buriti, Coronel José Dias, São João do Piauí e São Raimundo Nonato, há tempos vem funcionando em situação precária por falta de recursos financeiros.

Agora no entanto, a situação parece ter chegado ao extremo, ou seja, não existe mais nenhuma fonte de recursos disponível, pelo contrário, teria ocorrido um bloqueio de aproximadamente 4 milhões, por falta de interesse do Governo Federal em manter oficialmente o convênio com a Fundação Museu do Homem Americano (FUDHAM), o valor estaria depositado na Caixa Econômica Federal.

Ambientalistas foram tomados de surpresa com a situação drástica de fechamento do Parque Nacional da Serra da Capivara, principalmente porque no dia 1 de junho deste ano, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, esteve em São Raimundo Nonato para visitar o Parque e se reunir com Niéde Guidon, na pauta um dos principais assuntos era a escassez de recursos que por diversas vezes, tivera sido denunciada pela própria arqueóloga.

A visita teria sido uma completa frustração, justamente porque na ocasião o ministro se comprometeu com a liberação dos recursos bloqueados, na ordem de cerca de 4 milhões de reais, para a manutenção e preservação do Parque Nacional da Serra da Capivara, bem como do seu patrimônio histórico, ambiental e cultural.

Ademais, Sarney Filho sequer conseguiu  a assinatura para a renovação do termo de cogestão já existente desde a década de 1990, entre FUNDHAM e  ICMBIO, resultando no bloqueio da referida verba.

Niéde Guidon disse que comunicou à UNESCO sua saída das ações de conservação e manutenção do parque. Com isso, todo o patrimônio cultural da humanidade ficará ameaçado, sujeito aos riscos e insegurança de um parque no papel, como estão quase todas as unidades de conservação do país. “O simbolismo desse caso leva a pensar que a meta do ICMBIO é: se não podemos manter o exemplo que é a Capivara, então vamos deixá-lo exatamente como os outros parques nacionais, largados, entregues à própria sorte”, finalizou a arqueóloga.

 

Deixe uma resposta