Veja os cinco erros de português mais cometidos em concursos públicos

Dicas podem ajudar na hora de resolver uma prova de concurso

Dicas podem ajudar na hora de resolver uma prova de concurso

Para muitas pessoas quem vão fazer concurso, a prova de Português aparece como o verdadeiro bicho-de-sete-cabeças das seleções para concursos públicos.  Algumas vezes subestimada, a disciplina pode ser decisiva na hora de ser aprovado em um concurso bastante concorrido.

Estar atento à Gramática e ler as questões mais de uma vez podem ser dicas importantes durante a realização do exame.  Confira abaixo os 5 erros mais comuns cometidos na prova de Língua Portuguesa e fique atento para não cometê-los:

1) Interpretação de enunciados e textos
É fundamental que o candidato leia o texto com cuidado e preste atenção aos enunciados das questões com cuidado. Às vezes, há preocupação excessiva com o tempo pode tirar o foco de uma leitura concentrada durante a realização da prova.

Uma dica é sempre destacar os verbos de comando dos enunciados  a exemplo de ” compare”, “justifique”, assim como é fundamental grifar os textos que serão analisados.

2) Uso da crase
A crase é o motivo de confusão para muitas pessoas A fusão do artigo feminino “a” com a preposição “a” tem regras específicas de emprego. Antes de fazer a prova, consulte todos os usos da crase em uma Gramática bem recomendada pelos professores.

3) Ortografia
Se a banca quer for corrigir a redação for muito criteriosa,  é aqui ode o candidato pode ser eliminado. Ler jornais, revistas, livros e sites podem ser um bom caminho para evitar cometer erros de ortografia.

4) Emprego de pronomes
Este é um assunto recorrente em provas. Questões sobre pronomes frequentemente aparecem como “pegadinhas”. O concurseiro precisa tomar cuidado para não confundir as regras sobre colocação de pronomes oblíquos átonos, como “me”, “te”, “se”, “lhe”, “o” e “a”. Revisar o emprego dos pronomes antes de fazer a seleção é uma dica importante para os concurseiros.

5) Onde x aonde
O uso oral de “onde” e “aonde” pode ser um armadilha para o candidato na hora de aplicar  o conhecimento na prova.“Onde” é empregado para ideia de algo fixo, que não tem movimento, como em “Onde você mora?”.

Já “aonde” acompanha verbos que dão ideia de movimento, de mudança, como em “Aonde você foi?”. Uma simples memorização que pode valer muitos pontos e colocações durante a seleção.

Do portal do Correio da Bahia

 

 

Deixe uma resposta