Vereadora Cristina Costa pede construção da Casa do Parto em Petrolina

Cristina afirmou que o IMIP não consegue atender toda a demanda que chega ao hospital. (Foto: Blog Waldiney Passos)

A morte da jovem gestante, de 17 anos, no IMIP foi o ponto principal das discussões na Câmara de Vereadores de Petrolina (PE) nesta reça-feira (14). A vereadora Cristina Costa (PT) fez um requerimento, durante a sessão, no qual pediu a construção da Casa do Parto na cidade para que as gestantes do município sejam melhor atendidas.

Segundo a Cristina, O Hospital Dom Malan/IMIP não tem condições de atender toda a demanda, já que o hospital recebe pacientes de 55 municípios da região.

“Eu quero chamar atenção para a Casa do Parto, que já foi aprovada aqui na gestão passada, a maternidade da mulher. Nessa discussão a gente sempre debateu que é importante que Petrolina tenha também a sua maternidade feminina. Temos o IMIP, mas ele atende cerca de 55 municípios. Esse hospital não dá mais para atender toda essa demanda”.

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A parlamentar reconheceu que alguns profissionais da saúde que prestam serviço no hospital não têm atuado de forma responsável. “Existe sim a falta de responsabilidade de alguns profissionais médicos. Mas nós não podemos generalizar. Assim nós vamos ter a oportunidade de conhecer quem são os profissionais de verdade”.

Demanda IMIP

A vereadora fez questão de ressaltar a quantidade de mulheres que o IMIP tem que atender durante todo o ano. Cristina afirmou estar preocupada com a situação do hospital, pois os números de mortes de gestantes ainda são altos.

“O Dom Malan é a maternidade que faz mais partos no Nordeste. São em torno de 600 partos por mês naquele hospital, ou seja, por dia são cerca de 38 partos. Observando os dados, a quantidade de parto caiu, mas em compensação o número de mortes não caiu. Em relação ao número de partos, aproximadamente 20% dos partos são abortos”.

Parecer Técnico

De acordo com a vereadora, a secretária de Saúde esteve no prédio, onde deveria funcionar a maternidade, para analisar a possibilidade de adequar o local aos critérios do Ministério da Saúde.

“A Secretaria de Saúde esteve no local e foi solicitado um parecer técnico, pois é preciso adequar aquilo aos critérios do Ministério da Saúde. E eu estou requerendo o parecer técnico à Secretaria de Saúde que trata do funcionamento da maternidade da mulher no hospital da saúde”.

Deixe uma resposta