Vinhovasf lança projeto para conquista da Indicação de Procedência Vinhos do Vale

vinho

Nesta região, estão implantados 400 hectares de uvas viníferas ( para vinhos) e funcionam seis vinícolas que juntas produzem quatro milhões de litros de vinhos finos e espumantes por ano

Já está bem encaminhado o projeto que vai instituir a Indicação de Procedência para os Vinhos do Vale do Submédio São Francisco. A iniciativa vai possibilitar uma maior divulgação e notoriedade dos vinhos da região, melhor reconhecimento pelos consumidores nacionais e estrangeiros, garantia de qualidade, incremento do Enoturismo e a sustentabilidade dos produtores e vinícolas.

Tendo à frente o Vinhovasf – Instituto do Vinho do Vale do São Francisco, em parceria com a Embrapa, UCS – Universidade de Caxias do Sul, UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o IF Sertão – PE, o projeto será implementado na RIDE – Região Integrada de Desenvolvimento, que abrange uma área de 35 mil quilômetros quadrados distribuída em quatro municípios pernambucanos (Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista e Orocó) e quatro baianos (Juazeiro, Sobradinho, Curaçá e Casa Nova).

Nesta região, estão implantados 400 hectares de uvas viníferas ( para vinhos) e funcionam seis vinícolas que juntas produzem quatro milhões de litros de vinhos finos e espumantes por ano. De acordo com o pesquisador em Enologia da Embrapa, Giuliano Pereira o Vale possui hoje cerca de 50 rótulos de vinhos e espumantes que já são reconhecidos nacional e internacionalmente através da conquista de vários prêmios em concursos pelo mundo inteiro. “São 20 variedades de uvas finas que permitem a elaboração de vinhos jovens, leves e frutados com aromas  e coloração intensas, que após a conquista desta Indicação vai obter novos investimentos e o surgimento de novas vinícolas”, prenunciou.

Segundo o presidente do Vinhovasf,  José Gualberto Almeida  a delimitação da área geográfica do projeto permitiu a descrição dos climas e solos, do sistema de produção das uvas e a caracterização físico-química e sensorial dos vinhos.

O polo vitivinícola do Vale do São Francisco responde hoje por 15% do mercado nacional. “O passo seguinte é a elaboração do “Dossiê” que será entregue ao INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial (órgão que estabelece as condições de registro) até junho de 2017. A perspectiva é que o Vale tenha a certificação já em dezembro deste mesmo ano”, concluiu o presidente do Vinhovasf.

Deixe uma resposta