Anac suspende operações de aeroclube dono de avião que caiu com Gabriel Diniz

Avião que caiu com Gabriel Diniz (Foto: Iata Anderson Brandão Alves/Arquivo pessoal)

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou nessa segunda-feira (27) que decidiu suspender as operações do Aeroclube de Alagoas, proprietário da aeronave que caiu nesta segunda-feira, em Sergipe, vitimando o cantor Gabriel Diniz e os dois pilotos. A agência interditou também as nove aeronaves pertencentes à empresa.

“A aeronave, de matrícula PT-KLO, da fabricante Piper Aircraft e de propriedade do Aeroclube de Alagoas, estava registrada na categoria Instrução e não poderia prestar serviço fora da sua finalidade, incluindo o transporte remunerado de pessoas”, disse a Anac.

O serviço de táxi-aéreo é autorizado e fiscalizado pela Anac e só pode ser prestado por empresas que cumpram uma série de requisitos para garantir a segurança no transporte de passageiros.

A agência informou ainda que abriu um processo administrativo para apurar possíveis irregularidades em relação à operação da aeronave acidentada. Entre as apurações, estão as condições em que estava sendo feito o transporte de passageiro em aeronave de Instrução, categoria destinada a voos de treinamento.

LEIA MAIS

Cantor Belchior morre aos 70 anos

(Foto: Internet)

O cantor e compositor Belchior, autor de “Apenas Um Rapaz Latino Americano” e “Como Nossos Pais”, morreu na noite de sábado (29) em Santa Cruz, no Rio Grande do Sul, aos 70 anos. Ainda não há informações a respeito da causa da morte.

A notícia foi confirmada pelo governo do Ceará, onde ocorrerá o sepultamento na cidade de Sobral, cidade natal do artista. Em nota, o governador Camilo Santana decretou luto oficial de três dias. “Recebi com profundo pesar a notícia da morte do cantor e compositor cearense Belchior. O povo cearense enaltece sua história, agradece imensamente por tudo que fez e pelo legado que deixa para a arte do nosso Ceará e do Brasil”.

Um dos compositores mais emblemáticos dos anos 1970, Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes nasceu em 1946 em Sobral, no Ceará, onde trabalhou em rádio e bebeu direto na fonte do repente, influência sentida em suas letras.

LEIA MAIS

Jerry Adriani morre aos 70 anos no Rio

Jerry Adriani em foto de 29/10/2012 (Foto: Divulgação)

O cantor Jerry Adriani, ídolo da Jovem Guarda, morreu às 15h30 deste domingo (23), aos 70 anos, no Rio. Ele enfrentava um câncer e estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

A família confirmou a morte do artista ao G1 por telefone. Recentemente, Jerry Adraini havia sofrido uma trombose em uma das pernas. O corpo do cantor será velado no Cemitério Francisco Xavier, no Caju, Zona Portuária do Rio, na manhã desta segunda-feira. O enterro será às 17h, no mesmo cemitério.

Ícone da Jovem Guarda, Jair Alves de Souza nasceu em 29 do janeiro de 1947, no bairro do Brás, em São Paulo.

Adotou o nome artístico de Jerry Adriani quando começou sua carreira como cantor, em 1964. O primeiro disco foi “Italianíssimo”, quando cantava músicas em italiano, algo que seguiu fazendo em toda a carreira.

Em 1965, o cantor passou a gravar em português, com músicas reunidas no disco “Um grande amor”.

Carreira na TV e no cinema

Também na década de 1960, Jerry virou apresentador do programa “Excelsior a Go Go”, da TV Excelsior. O programa coapresentado por Luiz Aguiar era um musical com apresentações de artistas como Os Vips, Os Incríveis e Cidinha Santos.

Outro programa musical que ele comandou foi “A grande parada”, no ar pela TV Tupi em 1967 e 1968. Ele era um dos apresentadores ao lado de Neyde Aparecida, Zélia Hoffmann, Betty Faria e Marilia Pera.

Além da TV, Jerry se aventurou pelo cinema. Ele cantou e atuou em “Essa gatinha a minha” (com Peri Ribeiro e Anik Malvil); “Jerry, A grande parada”; e “Jerry em busca do tesouro” (com Neyde Aparecida e os Pequenos Cantores da Guanabara).

Jerry Adriani e Restart se apresentam no ‘Som Brasil’ que homenageia a Jovem Guarda em 24/04/2012 (Foto: TV Globo/Matheus Cabral)

Parceria com Raul Seixas

Jerry Adriani também aproveitou de sua fama para dar apoio a novos artistas. Ele, por exemplo, foi um dos primeiros a incentivar um então pouco conhecido Raul Seixas.

Raulzito e os Panteras atuaram como banda de apoio de Jerry por três anos. O cantor gravou músicas de Raul (”Tudo que é bom dura pouco”, “Tarde demais” e “Doce doce amor”) e foi produzido pelo maluco beleza entre 1969 e 1971.

Depois da TV e do cinema, Jerry tentou a sorte no teatro. Em 1975, participou do musical “Brazilian Follies”, tendo ficado um ano e meio em cartaz.

Após essa experiência, ele seguiu fazendo shows e gravando discos. Em 1985, lançou “Tempos Felizes”, com regravações dos tempos de Jovem Guarda.

No inicio da década de 1990, Jerry se dedicou a um disco sobre as origens do rock, com o nome “Elvis Vive”. Em 1994, participou da novela “74.5 uma onda no ar”, exibida pela TV Manchete. Um ano depois, fez shows para comemorar os 30 anos da Jovem Gurda e participou como convidado especial de uma coletânea do estilo.

Em 1996, voltou à música italiana, com o disco CD “IO”. Em 1997, teve duas músicas em trilhas de novelas da Globo. “Engenho” fez parte da trilha de “A indomada”, e “Con te partiró”, dueto com a italiana Mafalda Minnozzi, foi parar na trilha de “Zazá”.

Versões de Legião Urbana

Também na década de 1990, saiu o disco “Forza Sempre” (1999). O trabalho tinha apenas músicas da Legião Urbana regravadas em italiano.

Foi um dos maiores sucessos da carreira de Jerry Adriani desde os tempos da Jovem Guarda. De acordo com o site oficial do cantor, bateu a marca de 200 mil cópias. De quebra, “Santa Luccia Luntana” foi bastante tocada na novela “Terra Nostra”.

O primeiro DVD da carreira foi gravado em 2007, no Canecão, no Rio. “Jerry Adriani Acústico Ao Vivo” trouxe sucessos e inéditas em formato acústico. Em 2011, lançou o CD “Pop, Jerry & Rock”, incluindo homenagem para Raul Seixas e Tim Maia na música “2012”. A ideia de cantar outros ícones da músicas brasileira e do rock rendeu ainda o show “Jerry toca Raul & Elvis”.

Em 2014, Jerry Adriani completou 50 anos de carreira. Ele seguia em turnê pelo Brasil.

Jerry Adriani mandou mensagem aos fãs quando foi internado (Foto: Reprodução/Facebook)

Com informações do G1.

Ex-vocalista da banda Chiclete Com Banana faz show em prol do Hospital de Câncer em Petrolina

Missinho ex-vocalista da banda Chiclete Com Banana/Foto: Blog Waldiney Passos

Neste sábado (14), um grande músico baiano estará se apresentando em um evento beneficente em prol da construção do Hospital do Câncer em Petrolina-PE. Missinho, cantor, compositor e ex-vocalista da banda Chiclete Com Banana, volta ao Vale do São Francisco para cantar seus grandes sucessos.

Em visita ao nosso blog, Missinho falou da sua história com a música e relembrou as lindas composições de sua autoria que embalaram a juventude nos anos 80 e que continuam fazendo sucesso na atualidade.

Confira a entrevista:

Geraldo Azevedo receberá o título de Professor Honoris Causa em maio

geraldo

O título concedido por universidades a pessoas que tenham prestado serviços relevantes e pelo saber ou atuação em prol das artes, das ciências, da tecnologia, filosofia e letras.

A Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) concederá o título de Professor Honoris Causa ao artista petrolinense Geraldo Azevedo no próximo dia 05 de maio. A homenagem, aprovada por unanimidade pelo Conselho Deliberativo Autárquico (CDA) da instituição, faz parte das comemorações dos 40 anos da faculdade.

Professor Honoris Causa é o título concedido por universidades a pessoas que tenham prestado serviços relevantes e pelo saber ou atuação em prol das artes, das ciências, da tecnologia, filosofia e letras. Segundo o presidente da Facape, Rinaldo Remígio, este é o primeiro título concedido oficialmente pela autarquia.

“Geraldo Azevedo receberá pela primeira vez o título de Professor Honoris Causa, assim como também este é o primeiro título concedido pela Facape após a regulamentação junto ao CDA. Para nós, é uma grande honra homenagear esse petrolinense no ano em que a autarquia completa 40 anos”, ressaltou Remígio, que propôs o título ao CDA justificando a importância do artista para a região e para a música e cultura brasileira.

LEIA MAIS

Cantor Billy Paul morre aos 81 anos nos Estados Unidos

b1d991ff8629ddf3b429690fb17c622b

Billy Paul em apresentação no Recife, em 2006 Foto: Alexandre Belém/Acervo JC Imagem

O cantor Billy Paul morreu neste domingo (24) aos 81 anos, nos Estados Unidos. O artista norte-americano famoso pelo sigle ‘Me and Mrs. Jones’ foi diagnosticado com câncer e foi hospitalizado na última semana no hospital Temple University. A informação foi publicada no site oficial do artista. Ele morreu em casa, em Nova Jersey.

Batizado Paul Williams, mas conhecido mundialmente como Billy Paul, o norte-americano marcou os anos 1970 ao combinar estilos como o pop, soul e funk, com influências das músicas eletrônica e psicodélica.

Em agosto de 2015, a lenda do soul norteamericano esteve no Recife onde se declarou apaixonado pela música brasileira – citando nomes como Elis Regina, Maria Bethânia, Jorge Benjor e Tim Maia – e pelo Carnaval pernambucano.

Com informações do NE10

Cantor Papa Wemba morre após convulsão em show

Papa-wemba

Um dos artistas mais populares na África, ele se apresentava em um festival na Costa do Marfim quando caiu no palco

O cantor congolês Papa Wemba morreu na madrugada deste domingo, 24, após sofrer uma convulsão durante um show na Costa do Marfim.

Ele executava a terceira música de sua apresentação em um festival de música em Abidjan quando caiu no palco. Membros de sua equipe correram para socorrer o artista e, em seguida, equipes da Cruz Vermelha chegaram. Segundo o jornal The Mirror, o artista de 66 anos morreu a caminho do hospital.

Jules Shungu Wembadio Pene Kikumba, conhecido como Papa Wemba, era um dos músicos mais populares da África.

Corpo do cantor Jean Pierre será sepultado nesta segunda-feira

pierrehomeSerá sepultado nesta segunda-feira (28), no cemitério público de Vitória de Santo Antão, na Mata Norte do Estado, o corpo do cantor Jean Pierre dos Santos, 39 anos. O artista faleceu após passar mal em uma sauna, no bairro da Boa Vista, na área Central da Capital, na madrugada de ontem. O ex-vocalista do grupo Asas da América, onde atuou por 18 anos, chegou a ser socorrido para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, mas não resistiu as cinco paradas cardíacas vindo a óbito no início da manhã de ontem (27).

Segundo informações de familiares, o corpo do artista passou por exame tanatoscópio no Instituto de Medicina Legal (IML), também na área Central do Recife, que confirmou infarto fulminante como decorrência da morte. “O serviço social do hospital nos ligou e avisou que ele (Pierre) estava internado. A informação que nos repassaram é que ele passou mal na sauna, ficou roxo e com muita falta de ar. O colocaram no táxi e socorreram, mas infelizmente não adiantou. O meu irmão era uma pessoa regrada, parou de beber e não usava drogas. Morreu com vários planos de sua carreria solo. Uma perda para todos nós”, lamentou a irmã do cantor, Cleide Dayane, acrescentando que Pierre cantava desde os 15 anos.

Atualmente, o artista seguia carreira solo e usava o nome artístico de Pierre a Pressão. O corpo do cantor será velado no Plenário da Câmara de Vereadores de Vitória de Santo Antão. Pierre deixa um filho de 13 anos. (Fonte: FolhaPE)