Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Eleitor queria fim da política de “toma lá, dá cá”, afirma Pérsio Antunes sobre vitória de Bolsonaro

Ex-vereador afirma que extinção do Ministério do Trabalho não afeta trabalhador (Foto: Blog Waldiney Passos)

Ex-vereador de Petrolina na gestão de Julio Lóssio, Pérsio Antunes apoiou o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições de 2018 e espera que o novo governo traga de fato mudanças ao país. Durante uma entrevista no programa Super Manhã com Waldiney Passos, Pérsio analisou o cenário político nacional e as mudanças nos ministérios.

“Eu acho que o eleitor, nós cansamos da política que foi implantada no nosso país: a política do toma lá, dá cá. A política de loteamento do Governo Federal nas suas instituições, a Caixa Econômica era com um partido, a Saúde era com outro, a Educação era com outro, o Trabalho era com outro. O Ministério do Trabalho era só pra fazer movimento sindical”, analisou Pérsio.

Ministério do Trabalho

Na opinião do ex-vereador a extinção do Ministério do Trabalho não muda o fato de existirem leis trabalhistas. “É obrigatório que as leis que existem elas continuem, que o trabalhador seja protegido, tenha o seu direito, mas o Ministério do Trabalho como estava era um cabide de emprego pra gastar milhões de reais e para dar cargos sindicais”, disse.

Para Pérsio, o Ministério do Trabalho “era de fachada e não defendia o trabalhador”, fortalecendo um grupo político no poder (o PT). “O Congresso Nacional não pode votar contra as leis [já existentes] e não é o Ministério do Trabalho que vai fazer a lei”, finalizou.

Campanha de Haddad gastou 15 vezes mais que a de Bolsonaro

Derrotado na eleição presidencial, Fernando Haddad (PT) gastou 15 vezes mais que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). A informação foi repassada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no sábado (17), último dia para os candidatos participantes do segundo turno prestarem contas ao órgão.

Pelas informações prestadas, Haddad arrecadou aproximados R$ 35,4 milhões (sendo R$ 33,7 em recursos financeiros) e gastou R$ 37,5 milhões, restando uma dívida de campanha de cerca de R$ 3,8 milhões. Enquanto isso Bolsonaro (PSL) arrecadou R$ 4,4 milhões e gastou R$ 2,5 milhões.

O presidente eleito já havia declarado suas informações ao TSE que apontou 17 indícios de irregularidade na documentação entregue. A defesa do pesselista já esclareceu os fatos e agora cabe ao Tribunal julgar as informações.

Com informações da Folha de Pernambuco

Promessas de campanha, Paulo Câmara apresenta propostas para ajustar contas do estado

(Foto: Internet)

Governador reeleito em Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) enviou duas mensagens à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) com propostas de campanha no pleito de 2018. Câmara busca ajustar as contas do estado e aposta na redução da alíquota dos impostos.

Uma delas é o Pacto pelo Emprego, cuja principal meta é reduzir o imposto sobre o diesel de 18% para 16%, tornando-se o mais baixo do Norte e Nordeste, o que consequentemente colocaria Pernambuco na frente dos outros estados na geração de emprego.

Além dessa proposta há a Nota Fiscal Solidária, elaborada para contemplar as classes menos favorecidas, concedendo benefício de até R$ 150 para 1,1 milhão de beneficiários do Bolsa Família que fizerem compras de produtos da cesta básica em estabelecimentos os quais gerem a nota fiscal, combatendo a sonegação.

Os projetos têm caráter de urgência e devem tramitar com prioridade sob as outras na Alepe. O Governo de Pernambuco prevê injeção de R$ 172 milhões na economia do estado dentro de um ano (entre março de 2019 e março de 2020).

“Estamos cumprindo o compromisso firmado com a parcela mais necessitada da população e que deve ser vista com um olhar diferenciado na elaboração das políticas tributárias. Também atendemos a uma reivindicação dos caminhoneiros, permitindo uma maior concorrência no modal rodoviário, tão importante para Pernambuco, que terá o diesel mais barato do Norte/Nordeste”, afirmou Paulo Câmara.

Com informações do Diário de Pernambuco

Eleições 2018: quem não votou nem justificou ausência deve regularizar situação

(Foto: Ilustração)

O eleitor que não votou nem apresentou justificativa no primeiro e segundo turnos do pleito das Eleições 2018 tem 60 dias, a contar de cada turno, para regularizar sua situação junto a Justiça Eleitoral. Para isso, deverá preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral – pós eleição, e escolher de que forma o documento deve chegar ao juiz da zona eleitoral na qual está inscrito: entrega pessoal no cartório, envio pelos Correios ou via internet, por meio do Sistema Justifica.

A justificativa deverá ser apresentada para cada turno em que o eleitor esteve ausente ou deixou de apresentar justificativa. Assim, quem não votou nem justificou nos dias 7 e 28 de outubro, deverá preencher dois requerimentos. O Requerimento de Justificativa Eleitoral – pós eleição deve ser preenchido corretamente com os dados do eleitor. Também é necessário declarar o motivo da ausência às urnas e anexar documentação comprobatória digitalizada. O cidadão receberá um protocolo para acompanhar o andamento do requerimento, que será encaminhado para exame pelo juiz competente. Se acolhida a justificativa, o eleitor será notificado da decisão.

Consequências

LEIA MAIS

Lorenzoni afirma que área econômica será prioridade de Bolsonaro no início de governo

(Foto: Reprodução/Youtube)

Deputado federal pelo DEM e um dos principais nomes de confiança de Jair Bolsonaro (PSL), Onyx Lorenzoni afirmou nessa segunda-feira (29) que a área econômica será prioridade no início do governo de Bolsonaro, eleito presidente no segundo turno.

Segundo Lorenzoni, a futura Reforma da Previdência irá separar as despesas com benefícios previdenciários e com assistência social. Ele negou que haja tratativa para utilizar a reforma da Previdência do governo Michel Temer (MDB) e destacou que Cesare Batisti será extraditado à Itália.  “Já temos homicidas demais no Brasil. Ele tem de voltar para a Itália”, disse a Rádio Eldorado.

O deputado federal também informou sobre a saúde do novo presidente. Segundo Lorenzoni, Bolsonaro fará a retirada da bolsa de colostomia nas primeiras semanas de dezembro.

Segundo turno das eleições em Petrolina termina com saldo positivo

(Foto: Taísa Alencar/G1 Petrolina)

Nas três Zonas Eleitorais de Petrolina, a votação de domingo (28) correu de forma tranquila. Apesar de haver registro de uma prisão que repercutiu na cidade, a Justiça Eleitoral do município avaliou o processo eleitoral como dentro do esperado.

A prisão foi registrada na 145ª ZE e segundo o chefe de cartório, Edvanilson Araújo de Lima, o pleito “ocorreu dentro do esperado”. Quatro urnas precisaram ser substituídas e a mesária presa ontem já foi liberada. Ela exercia a função de presidente na seção 383 e foi até a 377 interferir na situação.

Segundo a Justiça Eleitoral, ela utilizou um aparelho celular para registrar uma tecla colada com supercola na urna, mesmo após ser aconselhada a não fazê-lo. “Ela responderá em liberdade por se tratar de um crime de menor potencial”, disse Edvanilson.

LEIA MAIS

Eleições: abstenções superam 21%, nulos somam mais de 7%

(Foto: Ilustração)

O resultado das urnas no segundo turno das eleições presidenciais terminou com um número que chama atenção. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 21,25% dos eleitores se abstiveram de votar, enquanto brancos somaram 2,15% e nulos, 7,44%.

No total, esses dados representam 30% dos eleitores brasileiros que optaram por não escolher entre nenhum dos dois candidatos à Presidência da República. Segundo o TSE, esse número é o maior desde 1989.

A média histórica nacional em eleições presidenciais é de 4,45% nulos, o maior pico foi em 2006, quando a marca atingiu 7,38%. De acordo com os dados das urnas, além da polarização entre PT e PSL existe uma terceira via que não se sente representada.

Haddad vence em Petrolina, com 68,03% dos votos, e em Juazeiro

Bolsonaro foi eleito o novo presidente do Brasil. (Foto: Reprodução)

Mesmo com a confirmação do nome de Jair Bolsonaro (PSL) para presidência da República, Fernando Haddad (PT) venceu em boa parte do nordeste. Até o momento, com 99,66% das urnas apuradas em Pernambuco, Haddad teve 66,48% dos votos e Bolsonaro 33,52%.

Em Petrolina (PE), com 100% das urnas apuradas, o petista somou 68,03%, enquanto Bolsonaro apareceu com 31,97% dos votos válidos. Em Juazeiro (BA), com 98,87% das urnas abertas, Haddad aparece com 69,56% dos votos e Bolsonaro com 30,44%.

Com 96,27% das urnas apuradas em todo o país, Bolsonaro já é o novo presidente do país.

Bolsonaro é o novo presidente do Brasil

Bolsonaro impões primeira derrota ao PT após quatro eleições com vitória.

Jair Messias Bolsonaro (PSL) vence as eleições de 2018 e é o mais novo presidente do Brasil. Mandato começa em 2019 e vai até 2022. Fernando Haddad (PT) disputava o segundo turno com Bolsonaro.

Bolsonaro confirmou o que previam as pesquisas e se tornou o 42º presidente da história do país. Resultado encerra sequência de vitórias do Partido dos Trabalhadores ao cargo de presidente da República.

Bolsonaro deve ter um árduo caminho à frente da presidência, já que o país vive um dos momentos mais delicados da sua história. Em breve o presidente eleito deve se pronunciar sobre a eleição.

Ibope: Bolsonaro tem 54% e Haddad 46%

A pesquisa do Ibope divulgada na noite desse sábado (27) coloca Jair Bolsonaro (PSL) com 54% dos votos válidos, enquanto Fernando Haddad (PT) tem 46%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Nos votos válidos não são levados em conta os brancos e nulos. Nos votos totais, Bolsonaro chega a 47% e Haddad vai a 41%. Brancos e nulos chegam a 10%, não sabe ou não opinou, 2%.

No levantamento anterior do Ibope, divulgado na terça-feira, Bolsonaro tinha 57% dos votos válidos, contra 43% de Haddad.

CNT/MDA: Bolsonaro tem 56,8%, Haddad tem 43,2%

A pesquisa encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgada nesse sábado (27) aponta que Jair Bolsonaro (PSL) tem 56,8% das intenções de votos válidos contra 43,2% de Fernando Haddad (PT). A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

O instituto MDA ouviu 2.002 eleitores entre dos dias 26 e 27 de outubro em 137 municípios de 25 estados. O índice de confiança é de 95%. Em comparação ao último levantamento encomendado pela CNT, Bolsonaro tinha 57% e Haddad 43%.

Véspera do segundo turno será marcada por atos pró-Bolsonaro e Haddad

(Foto: Ilustração)

O sábado (27) será dedicado à manifestações a favor dos dois candidatos à Presidência da República. Em Petrolina, a partir das 9h eleitores e simpatizantes de Fernando Haddad (PT) se reúnem na Praça do Bambuzinho em defesa da democracia e contra o fascismo, de acordo com os organizadores do evento.

Em Juazeiro (BA) eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) fazem o último ato no Vale do São Francisco em apoio ao nome do deputado federal do Rio de Janeiro. A concentração está marcada para 15h no Vaporzinho, na Orla Nova. A coordenação do ato pede aos participantes que vistam suas camisas amarelas e com o rosto de Bolsonaro, além de levar bandeiras do Brasil.

O segundo turno acontece neste domingo (28). Tanto na Bahia quanto em Pernambuco os eleitores elegeram seus governadores em primeiro turno, restando apenas a escolha para presidente da República.

Propaganda eleitoral na TV e rádio termina hoje (26)

A dois dias do segundo turno da eleição o eleitor tem até essa sexta-feira (26) para acompanhar a propaganda eleitoral gratuita no rádio e TV. Hoje também é o último dia para divulgação de campanha paga na imprensa. Neste sábado, véspera do pleito, os candidatos podem fazer propaganda eleitoral com alto-falante das 8h às 22h.

Amanhã também é permitida carreatas, atos públicos e distribuição de material gráfico da campanha. Já no domingo conforme prevê a Lei Eleitoral, ainda podem ser divulgadas as pesquisas de intenção de votos realizadas na véspera.

Entretanto, boca de urna só poderá ser publicada após a votação em todo território nacional. No dia da eleição é vetada aglomeração de pessoas com camisetas padronizadas dos candidatos. Somente é permitida a manifestação individual e silenciosa.

1500 policiais militares atuarão no interior de Pernambuco durante segundo turno da eleição

(Foto: Divulgação)

1.500 policiais militares embarcaram para o interior de Pernambuco nessa sexta-feira (26). Os agentes atuarão no segundo turno das eleições neste domingo (28), para reforçar a segurança do pleito. De acordo com o Quartel do Comando Geral de Recife, durante a tarde 288 policiais deixarão Petrolina e 20 de Custódia e seguirão para cidades vizinhas.

No total, a PM terá 21.688 postos extraordinários de trabalho destinados à guarda das urnas antes do pleito, segurança nas seções eleitorais e reforço no policiamento dos municípios até domingo. O retorno dos policiais acontece apenas na segunda-feira (29).

O efetivo extra não irá afetar o policiamento cotidiano de rondas ostensivas durante o final de semana, afirma a PM, já que são agentes em férias ou folgas que serão gratificados com o pagamento de diárias.

Com informações do JC Online

Defesa de Bolsonaro contesta denúncia do PT sobre disparos de notícias no Whatsapp

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro. (Fernando Frazão/Agência Brasil)

A defesa de Jair Bolsonaro (PSL) disse ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o Partido dos Trabalhadores (PT) tentou “criar fato político inverídico” ao dar entrada na Corte com um pedido de investigação sobre o disparo de mensagens anti-PT no aplicativo WhatsApp.

LEIA TAMBÉM:

Empresas bancam disparos de mensagens contra PT e a favor de Bolsonaro

Bolsonaro alega não existir provas de que houve a campanha anti-PT nas eleições 2018 e que a denúncia dos adversários se baseia única e exclusivamente na matéria feita pelo jornal Folha de São Paulo. Na semana passada a jornalista  Patrícia Campos Mello denunciou um suposto esquema de disparos de fake news bancada por empresários ligados ao presidenciável.

LEIA MAIS
123