Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Bolsonaro toma posse como 38º presidente do Brasil

Bolsonaro ao lado da esposa após receber faixa de Michel Temer (Foto: Folhapress/Reprodução)

O presidente eleito em outubro passado tomou posse na tarde de terça-feira (1º). Jair Bolsonaro (PSL) deixou a Granja do Torto às 14h e seguiu para a cerimônia que começou na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Em sessão solene Bolsonaro assumiu o compromisso de “manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil”.

Em sua fala, Bolsonaro disse que irá trabalhar para aprovar as reformas estruturantes que, segundo ele, vão ajudar na retomada da economia brasileira. O novo presidente disse que irá respeitar regras, contratos e propriedades e defendeu a abertura do País ao comércio internacional, novamente sem “viés ideológico”.

No Palácio do Planalto o novo presidente recebeu a faixa presidencial do seu antecessor, Michel Temer (MDB). A primeira-dama, Michele Bolsonaro quebrou o protocolo e discursou na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Jair Bolsonaro falou em seguida.

“Me coloco diante da Nação no dia em que o povo começou a se libertar do socialismo”, disse o presidente. “Guiados pela Constituição, com a ajuda de Deus, a mudança será possível”, disse. “Nossa bandeira jamais será vermelha. Só será se for preciso nosso sangue para mantê-la verde e amarela”, continuou.

Com informações da Band

Após candidatura a governador, Lóssio não descarta pleito de 2020 em Petrolina: “Eu vou estar no jogo”

Ele não descartou participar da eleição como candidato em 2020 (Foto: Blog Waldiney Passos)

Ex-prefeito de Petrolina e candidato a governador de Pernambuco em 2018, Julio Lóssio reuniu a imprensa local e apoiadores numa confraternização na noite de quinta-feira (27). Além de comentar como foi o desafio de disputar uma vaga a nível estadual, Lóssio foi questionado sobre seu futuro político e não descartou ser candidato em 2020.

“Foi um ano extraordinário, tive a oportunidade de rodar o estado inteiro e conhecer a força do Sertão Central, nós temos um sistema viário que é deficitário e precisamos melhorar muito. O objetivo maior foi atingido, que era mostrar a Pernambuco que Pernambuco não é só Recife, é Recife e muito mais do que isso”, disse em coletiva de imprensa.

Eleições 2020

Após outubro o futuro de Lóssio ficou em aberto, já que não conseguiu emplacar seu nome e também viu sua esposa, Andréa Lóssio ficar sem o mandato na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Sobre 2020 ele se colocou no jogo, mas não deixou claro como atuará.

“Nós teremos candidatos em Petrolina, eu estarei ajudando ou participando. Ainda não sei bem qual a posição que eu vou assumir, eu vou tá no jogo, se como técnico, se como goleiro, se como volante, se como gandula, se como zagueiro eu ainda não sei isso. Eu vou estar no jogo, eu não se a posição ainda. A gente vai buscar ser escalado em alguma posição”, destacou.

Prazo para justificar ausência no 2º turno da eleição termina amanhã (27)

(Foto: Internet)

Termina amanhã (27) o prazo para justificar a ausência no segundo turno das eleições 2018. O eleitor que não regularizar sua situação ficará impedido de fazer matrícula em universidades públicas, emitir passaporte, tomar posse em cargos públicos e não receber o salário.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o não comparecimento injustificado no dia da eleição é irregularidade punível com multa. Após três ausências consecutivas não justificadas, o título de eleitor é cancelado. Pessoas com 16 anos e maiores de 70 não são obrigados a justificar, já que seu voto é facultativo.

O brasileiro residente no exterior que não votou também precisa justificar o não comparecimento às urnas. Ao requerimento de justificativa eleitoral devem ser juntadas cópias do documento oficial brasileiro de identidade e do comprovante dos motivos para alegar ausência.

Com informações da Agência Brasil

Eleitor queria fim da política de “toma lá, dá cá”, afirma Pérsio Antunes sobre vitória de Bolsonaro

Ex-vereador afirma que extinção do Ministério do Trabalho não afeta trabalhador (Foto: Blog Waldiney Passos)

Ex-vereador de Petrolina na gestão de Julio Lóssio, Pérsio Antunes apoiou o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições de 2018 e espera que o novo governo traga de fato mudanças ao país. Durante uma entrevista no programa Super Manhã com Waldiney Passos, Pérsio analisou o cenário político nacional e as mudanças nos ministérios.

“Eu acho que o eleitor, nós cansamos da política que foi implantada no nosso país: a política do toma lá, dá cá. A política de loteamento do Governo Federal nas suas instituições, a Caixa Econômica era com um partido, a Saúde era com outro, a Educação era com outro, o Trabalho era com outro. O Ministério do Trabalho era só pra fazer movimento sindical”, analisou Pérsio.

Ministério do Trabalho

Na opinião do ex-vereador a extinção do Ministério do Trabalho não muda o fato de existirem leis trabalhistas. “É obrigatório que as leis que existem elas continuem, que o trabalhador seja protegido, tenha o seu direito, mas o Ministério do Trabalho como estava era um cabide de emprego pra gastar milhões de reais e para dar cargos sindicais”, disse.

Para Pérsio, o Ministério do Trabalho “era de fachada e não defendia o trabalhador”, fortalecendo um grupo político no poder (o PT). “O Congresso Nacional não pode votar contra as leis [já existentes] e não é o Ministério do Trabalho que vai fazer a lei”, finalizou.

Campanha de Haddad gastou 15 vezes mais que a de Bolsonaro

Derrotado na eleição presidencial, Fernando Haddad (PT) gastou 15 vezes mais que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). A informação foi repassada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no sábado (17), último dia para os candidatos participantes do segundo turno prestarem contas ao órgão.

Pelas informações prestadas, Haddad arrecadou aproximados R$ 35,4 milhões (sendo R$ 33,7 em recursos financeiros) e gastou R$ 37,5 milhões, restando uma dívida de campanha de cerca de R$ 3,8 milhões. Enquanto isso Bolsonaro (PSL) arrecadou R$ 4,4 milhões e gastou R$ 2,5 milhões.

O presidente eleito já havia declarado suas informações ao TSE que apontou 17 indícios de irregularidade na documentação entregue. A defesa do pesselista já esclareceu os fatos e agora cabe ao Tribunal julgar as informações.

Com informações da Folha de Pernambuco

Promessas de campanha, Paulo Câmara apresenta propostas para ajustar contas do estado

(Foto: Internet)

Governador reeleito em Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) enviou duas mensagens à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) com propostas de campanha no pleito de 2018. Câmara busca ajustar as contas do estado e aposta na redução da alíquota dos impostos.

Uma delas é o Pacto pelo Emprego, cuja principal meta é reduzir o imposto sobre o diesel de 18% para 16%, tornando-se o mais baixo do Norte e Nordeste, o que consequentemente colocaria Pernambuco na frente dos outros estados na geração de emprego.

Além dessa proposta há a Nota Fiscal Solidária, elaborada para contemplar as classes menos favorecidas, concedendo benefício de até R$ 150 para 1,1 milhão de beneficiários do Bolsa Família que fizerem compras de produtos da cesta básica em estabelecimentos os quais gerem a nota fiscal, combatendo a sonegação.

Os projetos têm caráter de urgência e devem tramitar com prioridade sob as outras na Alepe. O Governo de Pernambuco prevê injeção de R$ 172 milhões na economia do estado dentro de um ano (entre março de 2019 e março de 2020).

“Estamos cumprindo o compromisso firmado com a parcela mais necessitada da população e que deve ser vista com um olhar diferenciado na elaboração das políticas tributárias. Também atendemos a uma reivindicação dos caminhoneiros, permitindo uma maior concorrência no modal rodoviário, tão importante para Pernambuco, que terá o diesel mais barato do Norte/Nordeste”, afirmou Paulo Câmara.

Com informações do Diário de Pernambuco

Eleições 2018: quem não votou nem justificou ausência deve regularizar situação

(Foto: Ilustração)

O eleitor que não votou nem apresentou justificativa no primeiro e segundo turnos do pleito das Eleições 2018 tem 60 dias, a contar de cada turno, para regularizar sua situação junto a Justiça Eleitoral. Para isso, deverá preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral – pós eleição, e escolher de que forma o documento deve chegar ao juiz da zona eleitoral na qual está inscrito: entrega pessoal no cartório, envio pelos Correios ou via internet, por meio do Sistema Justifica.

A justificativa deverá ser apresentada para cada turno em que o eleitor esteve ausente ou deixou de apresentar justificativa. Assim, quem não votou nem justificou nos dias 7 e 28 de outubro, deverá preencher dois requerimentos. O Requerimento de Justificativa Eleitoral – pós eleição deve ser preenchido corretamente com os dados do eleitor. Também é necessário declarar o motivo da ausência às urnas e anexar documentação comprobatória digitalizada. O cidadão receberá um protocolo para acompanhar o andamento do requerimento, que será encaminhado para exame pelo juiz competente. Se acolhida a justificativa, o eleitor será notificado da decisão.

Consequências

LEIA MAIS

Lorenzoni afirma que área econômica será prioridade de Bolsonaro no início de governo

(Foto: Reprodução/Youtube)

Deputado federal pelo DEM e um dos principais nomes de confiança de Jair Bolsonaro (PSL), Onyx Lorenzoni afirmou nessa segunda-feira (29) que a área econômica será prioridade no início do governo de Bolsonaro, eleito presidente no segundo turno.

Segundo Lorenzoni, a futura Reforma da Previdência irá separar as despesas com benefícios previdenciários e com assistência social. Ele negou que haja tratativa para utilizar a reforma da Previdência do governo Michel Temer (MDB) e destacou que Cesare Batisti será extraditado à Itália.  “Já temos homicidas demais no Brasil. Ele tem de voltar para a Itália”, disse a Rádio Eldorado.

O deputado federal também informou sobre a saúde do novo presidente. Segundo Lorenzoni, Bolsonaro fará a retirada da bolsa de colostomia nas primeiras semanas de dezembro.

Segundo turno das eleições em Petrolina termina com saldo positivo

(Foto: Taísa Alencar/G1 Petrolina)

Nas três Zonas Eleitorais de Petrolina, a votação de domingo (28) correu de forma tranquila. Apesar de haver registro de uma prisão que repercutiu na cidade, a Justiça Eleitoral do município avaliou o processo eleitoral como dentro do esperado.

A prisão foi registrada na 145ª ZE e segundo o chefe de cartório, Edvanilson Araújo de Lima, o pleito “ocorreu dentro do esperado”. Quatro urnas precisaram ser substituídas e a mesária presa ontem já foi liberada. Ela exercia a função de presidente na seção 383 e foi até a 377 interferir na situação.

Segundo a Justiça Eleitoral, ela utilizou um aparelho celular para registrar uma tecla colada com supercola na urna, mesmo após ser aconselhada a não fazê-lo. “Ela responderá em liberdade por se tratar de um crime de menor potencial”, disse Edvanilson.

LEIA MAIS

Eleições: abstenções superam 21%, nulos somam mais de 7%

(Foto: Ilustração)

O resultado das urnas no segundo turno das eleições presidenciais terminou com um número que chama atenção. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 21,25% dos eleitores se abstiveram de votar, enquanto brancos somaram 2,15% e nulos, 7,44%.

No total, esses dados representam 30% dos eleitores brasileiros que optaram por não escolher entre nenhum dos dois candidatos à Presidência da República. Segundo o TSE, esse número é o maior desde 1989.

A média histórica nacional em eleições presidenciais é de 4,45% nulos, o maior pico foi em 2006, quando a marca atingiu 7,38%. De acordo com os dados das urnas, além da polarização entre PT e PSL existe uma terceira via que não se sente representada.

Haddad vence em Petrolina, com 68,03% dos votos, e em Juazeiro

Bolsonaro foi eleito o novo presidente do Brasil. (Foto: Reprodução)

Mesmo com a confirmação do nome de Jair Bolsonaro (PSL) para presidência da República, Fernando Haddad (PT) venceu em boa parte do nordeste. Até o momento, com 99,66% das urnas apuradas em Pernambuco, Haddad teve 66,48% dos votos e Bolsonaro 33,52%.

Em Petrolina (PE), com 100% das urnas apuradas, o petista somou 68,03%, enquanto Bolsonaro apareceu com 31,97% dos votos válidos. Em Juazeiro (BA), com 98,87% das urnas abertas, Haddad aparece com 69,56% dos votos e Bolsonaro com 30,44%.

Com 96,27% das urnas apuradas em todo o país, Bolsonaro já é o novo presidente do país.

Bolsonaro é o novo presidente do Brasil

Bolsonaro impõe primeira derrota ao PT após quatro eleições com vitória.

Jair Messias Bolsonaro (PSL) vence as eleições de 2018 e é o mais novo presidente do Brasil. Mandato começa em 2019 e vai até 2022. Fernando Haddad (PT) disputava o segundo turno com Bolsonaro.

Bolsonaro confirmou o que previam as pesquisas e se tornou o 42º presidente da história do país. Resultado encerra sequência de vitórias do Partido dos Trabalhadores ao cargo de presidente da República.

Bolsonaro deve ter um árduo caminho à frente da presidência, já que o país vive um dos momentos mais delicados da sua história. Em breve o presidente eleito deve se pronunciar sobre a eleição.

Ibope: Bolsonaro tem 54% e Haddad 46%

A pesquisa do Ibope divulgada na noite desse sábado (27) coloca Jair Bolsonaro (PSL) com 54% dos votos válidos, enquanto Fernando Haddad (PT) tem 46%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Nos votos válidos não são levados em conta os brancos e nulos. Nos votos totais, Bolsonaro chega a 47% e Haddad vai a 41%. Brancos e nulos chegam a 10%, não sabe ou não opinou, 2%.

No levantamento anterior do Ibope, divulgado na terça-feira, Bolsonaro tinha 57% dos votos válidos, contra 43% de Haddad.

CNT/MDA: Bolsonaro tem 56,8%, Haddad tem 43,2%

A pesquisa encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgada nesse sábado (27) aponta que Jair Bolsonaro (PSL) tem 56,8% das intenções de votos válidos contra 43,2% de Fernando Haddad (PT). A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

O instituto MDA ouviu 2.002 eleitores entre dos dias 26 e 27 de outubro em 137 municípios de 25 estados. O índice de confiança é de 95%. Em comparação ao último levantamento encomendado pela CNT, Bolsonaro tinha 57% e Haddad 43%.

Véspera do segundo turno será marcada por atos pró-Bolsonaro e Haddad

(Foto: Ilustração)

O sábado (27) será dedicado à manifestações a favor dos dois candidatos à Presidência da República. Em Petrolina, a partir das 9h eleitores e simpatizantes de Fernando Haddad (PT) se reúnem na Praça do Bambuzinho em defesa da democracia e contra o fascismo, de acordo com os organizadores do evento.

Em Juazeiro (BA) eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) fazem o último ato no Vale do São Francisco em apoio ao nome do deputado federal do Rio de Janeiro. A concentração está marcada para 15h no Vaporzinho, na Orla Nova. A coordenação do ato pede aos participantes que vistam suas camisas amarelas e com o rosto de Bolsonaro, além de levar bandeiras do Brasil.

O segundo turno acontece neste domingo (28). Tanto na Bahia quanto em Pernambuco os eleitores elegeram seus governadores em primeiro turno, restando apenas a escolha para presidente da República.

123