Gás de cozinha tem aumento de 4%, segundo Petrobras

(Foto: Ilustração)

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (22) o reajuste médio de 4% no preço do gás de cozinha para venda em botijão de 13 quilos, mais usado em residências. Os novos valores entram em vigor na próxima segunda (25) e os repasses para o consumidor dependem da política comercial de distribuidoras e revendedores.

Trata-se do segundo aumento seguido no preço do gás. Eem outubro, houve alta média de 5%. Após cinco ajustes no ano, o combustível tem alta acumulada de 4,8%. O preço de venda nas refinarias da Petrobras representa cerca de 40% do preço final do botijão. O resto são margens de lucro e impostos.

Preço do botijão de gás residencial aumenta para as distribuidoras

(Foto: Ilustração)

O gás de cozinha residencial (GLP) aumentou 5% nas distribuidoras e o GLP industrial e comercial 3%, desde a meia-noite desta terça-feira (22). O anúncio foi feito pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) em nota à imprensa e confirmado pela Petrobras.

Os aumentos são médias, pois o valor terá variação, para maior ou menor, dependendo da área de distribuição nacional, segundo o Sindigás. O preço para o consumidor final poderá ser diferente, pois as distribuidoras acrescem ao percentual de aumento os custos com mão de obra, logística, impostos e margem de lucro.

LEIA MAIS

Gás de cozinha mais barato em até 12% para residências a partir de hoje

Anúncio significa que o preço médio de venda do botijão pela Petrobras às distribuidoras deve cair de R$ 26,20 para R$ 24,06

O gás de cozinha ficará mais barato a partir desta segunda-feira (5/8), divulgou, na última sexta-feira (2/8), o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás). A Petrobras vai diminuir o preço dos botijões de gás usados em casa e em empresas. O GLP residencial, de embalagens até 13 kg, deve ficar de 6,5% a 12% mais barato. O empresarial terá redução de 11% a 17%, a depender da localidade.

O anúncio significa que o preço médio de venda do botijão pela Petrobras às distribuidoras deve cair de R$ 26,20 para R$ 24,06. Já o repasse ao consumidor final é incerto, porque ainda depende da incidência de impostos e da margem de lucro visada pelas empresas, que é variável.
De acordo com o Sindigás, que se pronunciou em nota, o ágio praticado pela Petrobras está em cerca de 31% em relação ao preço praticado no mercado internacional, “o que vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial empresas que operam com uso intensivo de GLP”.

Governo avalia novas medidas para reduzir preço do gás de cozinha

(Foto: Ilustração)

Com a promessa de derrubar o preço do gás natural em até 40%, a nova política para o setor precisará de medidas adicionais para que a redução chegue à cozinha do brasileiro. Estudo divulgado nesta semana pelo Ministério da Economia lista três medidas para melhorar a competitividade do preço aos consumidores residenciais.

Produzido pela Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (Secap) da pasta, o documento defende o fim da política que concentrou o mercado de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) nos botijões de até 13 quilogramas (kg). A medida pode ser implementada ainda neste mês.

O documento também pede que o Conselho Nacional de Política Econômica (CNPE) recomende à Agência Nacional do Petróleo (ANP) um posicionamento sobre duas medidas anunciadas pelo governo: a liberação da venda fracionada de gás de cozinha e o enchimento de um mesmo botijão por diferentes marcas.

LEIA MAIS

Petrobras diminui preço do gás de cozinha residencial

(Foto: Ilustração)

A Petrobras reduziu o preço do gás de cozinha (GLP) vendido nas refinarias às distribuidoras para botijões de 13 quilos de R$ 26,20 para R$ 24,06. O novo preço entra em vigor na próxima segunda-feira (5) nas unidades da empresa.

Segundo o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), a queda do GLP residencial oscilará entre 6,5% e 12% nas refinarias.

LEIA MAIS

Caminhão de botijão de gás roubado entre Petrolina e Afrânio é recuperado em Exu

Caminhão havia sido roubado entre Petrolina e Afrânio. (Foto: Divulgação)

Na noite dessa quarta-feira (18), por volta das 19h, a Patrulha Rural da 7º BPM localizou um caminhão carregado com 378 botijões de gás que havia sido roubado na BR 407, entre Petrolina e Afrânio, em Pernambuco.

O veículo – que havia sido roubado no dia 17 deste mês, por volta das 14h – foi encontrado próximo à Rodovia Asa Branca, PE 545, Serra do Araripe na cidade de Exu.

De acordo com o proprietário, o motorista e o ajudante teriam sidos levados de reféns pelos assaltantes, mas já haviam sido liberados. A ocorrência foi apresentada na DP.

Após falta de gás em Pernambuco, governo vai pedir explicações à Petrobras

O Procon-PE tem elaborado uma série de recomendações para as distribuidoras de gás.

Na tarde desta terça-feira (12), o secretário de Justiça de Pernambuco, Pedro Eurico, vai encaminhar uma notificação à Petrobras a respeito da não regularização do comércio de gás de cozinha no estado, mesmo após dez dias do fim da greve dos caminhoneiros. Após entregue a notificação, a empresa tem até 72h para responder a secretaria.

O secretário esteve com os representantes das distribuidoras de gás que atuam em Pernambuco e o Ministério Público Estadual. De acordo com o secretário, os comerciantes alegam que falta empenho da Petrobras para atender aos pedidos das revendas.

“Hoje temos um déficit de cerca de 650 mil botijões/dia para atender a população. As revendas trabalham sem estoques e quem sofre é a população que não consegue encontrar o gás de cozinha para comprar”, afirmou o Pedro.

LEIA MAIS

Preço do gás de cozinha deve cair 5% nas refinarias a partir de sexta

O preço do botijão do gás de cozinha (GLP) cairá 5% a partir de amanhã (19) nas refinarias da Petrobras em todo o país e os reajustes do botijão de até 13 kg passarão a ser trimestrais e não mais mensais. A informação foi divulgada hoje (18) pela estatal.

As revisões feitas pela Petrobras poderão ou não se refletir no preço final ao consumidor, uma vez que a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados.

O preço médio de GLP residencial sem tributos comercializado a partir de amanã nas refinarias da Petrobras será equivalente a R$ 23,16 por botijão de 13kg. No entanto, o preço final ao consumidor vai depender de repasses feitos por distribuidoras e revendedores.

Segundo a estatal, a queda no preço é decorrência de uma revisão feita pela companhia em sua política de preços do GLP de uso residencial, comercializado em botijões de até 13 kg, e que “definiu novos critérios para aplicação dos reajustes, além de uma regra de transição para 2018”, que já implicará na queda de amanhã.

Em nota, a Petrobras informa que o objetivo da decisão foi “suavizar os repasses da volatilidade dos preços ocorridos no mercado internacional para o preço doméstico, ao mesmo tempo em que se mantém o disposto na Resolução 4/2005 do Conselho Nacional de Política Energética, que reconhece como de interesse da política energética nacional a prática de preços diferenciados para a comercialização do GLP de uso residencial”.

LEIA MAIS

Petrobras aumenta preço do botijão de gás em 8,9%

(Foto: Ilustração)

Nessa segunda-feira (4), a Petrobras anunciou um novo reajuste no de gás de cozinha (GLP) de uso residencial. O preço do botijão de 13 quilos cobrado das empresas distribuidoras aumentará 8,9%, em média, a partir desta terça-feira (5).

O preço médio do botijão de gás, que era de 65,64 reais na última semana, deve subir para 68,17, caso sejam mantidas as mesmas margens de distribuição e revenda, estima a companhia. Os distribuidores, no entanto, têm liberdade para decidir o quanto do aumento repassarão aos consumidores.

Segundo a estatal, o aumento acontece em razão das cotações internacionais do produto, que acompanharam a alta de preços do petróleo do tipo Brent.

No início de novembro, a Petrobras havia anunciado um aumento de 4,5% no preço do GLP destinado ao uso residencial. A alta no gás de cozinha foi um dos fatores que mais pressionou a inflação, segundo a prévia de novembro divulgada pelo IBGE.

Gás de cozinha fica 6,9% mais caro a partir de hoje, anuncia Petrobras

O reajuste entra em vigor nesta terça e, se repassado integralmente, deve deixar botijão R$ 1,55 mais caro

A Petrobras anunciou nesta segunda (25) um reajuste médio de 6,9% no preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial vendido em botijões de até 13 quilos (GLP P-13). A estatal divulgou que a decisão, tomada por seu Grupo Executivo de Mercado e Preços (Gemp), será aplicada “sobre os preços praticados sem incidência de tributos”. O aumento entra em vigor nesta terça-feira (26).

A própria estatal calculou que, se repassado integralmente ao consumidor, o botijão de gás terá aumento médio de em 2,6%, ou cerca de R$1,55 por botijão, “se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos”.

Para o cálculo do aumento, a Petrobras considerou que o mercado de GLP “continuou mostrando-se pressionado por baixos estoques” e que “a proximidade do inverno no hemisfério Norte aumenta a demanda pelo produto”. O reajuste anunciado repassa a variação de preços do mercado internacional apresentada ao longo de agosto conforme política anunciada pela companhia.

Em agosto, a companhia já havia aumentado o preço do combustível, também em 6,9%. Desde então, o preço de revenda do botijão teve alta de 3,4%.

LEIA MAIS

Petrobras anuncia reajuste médio de 6,9% do gás de cozinha

O valor vai depender da manutenção das margens de distribuição e de revenda e das alíquotas de tributos. (Foto: Ilustração)

A Petrobras reajustou em 6,9%, em média, os preços do gás liquefeito de petróleo para uso residencial, envasado pelas distribuidoras em botijões de até 13 quilos (GLP P-13).

O reajuste do gás de cozinha entra em vigor à 0h deste sábado (5) e, de acordo com a estatal, acompanha a política de preços divulgada no dia 7 de junho deste ano. O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos.

A companhia destacou que a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados e que as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor.

A Petrobras calculou que, se os repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores forem levados, integralmente, aos preços ao consumidor, o preço do botijão de GLP P-13 pode ser reajustado, em média, em 2,2% ou cerca de R$ 1,29. O valor vai depender da manutenção das margens de distribuição e de revenda e das alíquotas de tributos.

A estatal ressaltou que o último reajuste ocorreu em 5 de julho deste ano e que a alteração atual não se aplica ao GLP destinado a uso industrial ou comercial.

Em nota, o Sindicato das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informa que as empresas distribuidoras associadas à entidade foram comunicadas na tarde de hoje pela Petrobras que o GLP para embalagens de até de 13kg ficará mais caro a partir da 0h. Segundo o sindicato, o reajuste oscilará entre 6,4% e 7,5%, de acordo com o polo de suprimento.

Fonte Agência Brasil

Petrobras reduz preço do gás de cozinha em 4,5%

(Foto: Ilustração)

A Petrobras reduziu em 4,5%, em média, os preços do gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha, para uso residencial envasado pelas distribuidoras em botijões de até 13 kg (GLP P-13). O reajuste entra em vigor à meia-noite. O último reajuste para o gás de cozinha foi anunciado há menos de um mês, no dia 8 de junho. De acordo com a estatal, a alteração não se aplica ao GLP destinado ao uso industrial e comercial.

A Petrobras informou que, como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor e vai depender de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores.

O ajuste foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos. Pelos cálculos da companhia, caso seja repassado integralmente ao consumidor, o preço do botijão de GLP P-13 pode ser reduzido, em média, em 1,5% ou cerca de R$ 0,88 por botijão. Isso ocorrerá se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

LEIA MAIS

Explosão destrói restaurante ‘A La Carte’ em Petrolina

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Uma explosão na manhã deste domingo (16) destruiu o restaurante ‘A La Carte’ em Petrolina (PE), que fica na Av. Sete de Setembro. As primeiras informações apontam para um possível vazamento de gás no local. Devido à explosão, o prédio começou a pegar fogo. O Corpo de Bombeiros esteve no local para controlar o incêndio.

Segundo informações de populares, um funcionário estava no local, percebeu a situação, correu, mas ainda assim foi atingido pela explosão. Confira fotos da destruição do local e da ação dos bombeiros.

(Foto: Blog Waldiney Passos)

(Foto: Blog Waldiney Passos)

(Foto: Blog Waldiney Passos)

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Botijão de gás explode na lanchonete Saboreie, em Juazeiro

(Foto: WhatsApp)

Um botijão de gás explodiu, na noite desse sábado (11), na lanchonete Saboreie, que fica na Orla de Juazeiro (BA). Felizmente, não houve feridos.

De acordo com informações repassadas ao blog, alguns funcionários sentiram o cheiro de gás, perceberam o vazamento e gritaram para todos correrem do local.

Segundo o relato de um cliente que estava na lanchonete no momento, todos ficaram desesperados para sair do local. Ainda de acordo com o ele, várias crianças estavam dentro do estabelecimento. Grande parte do estabelecimento ficou danificado após o acidente.

Botijão de gás explode no EREMCC e estudantes entram em pânico

Alunos e professores correram para fora da escola.

Por volta das 10:00 horas desta quarta-feira (9), um botijão de gás explodiu na cozinha da Escola Estadual de Referência Coronel Clementino Coelho (EREMCC), que fica no Jardim Maravilha, em Petrolina (PE).

O episódio aconteceu durante o intervalo das aulas, quando os alunos estavam no refeitório. Estudantes e professores entraram em pânico na hora do fato.

O corpo de bombeiros foi acionado e chegou rapidamente ao local para controlar o incêndio causado pela explosão. As aulas foram suspensas.

12