Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Sérgio Moro afirma que esquema de laranjas do PSL será investigado

(Foto: Lula Marques/Agência PT)

O Ministro da Justiça, Sérgio Moro afirmou nessa quinta-feira (14) que o suposto uso de uma candidata laranja pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro será investigado. Segundo Moro, a intenção inicial é apurar “eventuais responsabilidades”.

“O senhor presidente proferiu determinação e ela está sendo cumprida. Os fatos vão ser apurados e eventuais responsabilidades após investigações vão ser definidas”, disse Moro o ministro, sem especificar quais ações são essas.

O suposto esquema do PSL foi denunciado pela Folha de São Paulo no final de semana. Segundo o jornal o partido fez, três dias antes da eleição, repasses de R$ 400 mil do fundo partidário a uma candidata a deputada federal em Pernambuco que teve apenas 274 votos.

Além disso, outras quatro candidaturas laranjas em Minas Gerais também estão no centro das investigações. O caso gerou uma crise no relacionamento interno do PSL. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebbiano está no meio da polêmica e sua demissão não foi descartada, apesar de ele afirmar que não entregará seu cargo. Com informações do Correio Braziliense.

Fernando Bezerra tem reunião com Onyx para discutir liderança no Senado

Senador se encontrará com Onyx nessa segunda (Foto: Blog Waldiney Passos)

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni tem uma reunião marcada nessa segunda-feira (11) com o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). A pauta do encontro é a liderança do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no Senado Federal.

De acordo com o Exame, a aproximação do PSL com Fernando Bezerra tem como objetivo selar a paz com o MDB, após a derrota sofrida por Renan Calheiros que perdeu o posto para Davi Alcolumbre (DEM). Bezerra vem articulando seu papel como futuro líder do governo no Senado desde a semana passada com Alcolumbre, figura próxima à Onyx.

LEIA TAMBÉM:

Com aval da bancada Fernando Bezerra topa ser líder de Bolsonaro

Se o nome do senador petrolinense se confirmar, o Planalto ganhará, na teoria, o apoio de pelo menos mais doze Senadores do MDB, apesar das inúmeras divisões internas dentro do partido. À Folha de Pernambuco, Fernando Bezerra disse que, além do presidente da casa, sua liderança no governo também vem sendo articulada junto ao também senador e líder no MDB no Senado, Eduardo Braga.

“O presidente Alcolumbre sondou Braga sobre possibilidade de meu nome liderar o governo. O nosso líder consultou a bancada, que respondeu de forma positiva. Então, o Davi me pegou no plenário e disse que segunda-feira nós falaríamos com Onyx”, disse. Com informações do Exame.

General assumirá comando do Incra

(Foto: Reprodução/Youtube)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou o nome do novo presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Utilizando seu Twitter, Bolsonaro afirmou que o general Jesus Corrêa foi o escolhido para a função.

“Tenho a satisfação de anunciar o General de Exército Jesus Corrêa como novo Presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra)”, escreveu o presidente na rede social.

No governo do novo presidente o Incra passou a ser subordinado ao Ministério da Agricultura, mudança executada através da Medida Provisória (MP) 870/19. O novo presidente o Incra já ocupou as funções de comandante da 11ª Região Militar e de diretor de Controle de Efetivos e Movimentações do Exército. Com informações do Diário de Pernambuco.

Gabriel Menezes comenta aproximação de FBC com PSL: “Num partido que exista Fernando Bezerra Coelho, não existirá Gabriel Menezes”

Edil é opositor ao grupo Coelho em Petrolina (Foto: Blog Waldiney Passos)

Crítico ao senador Fernando Bezerra Coelho (FBC) e sua família, o vereador Gabriel Menezes (PSL) revelou-se decepcionado com a aproximação do governo de Jair Bolsonaro com o senador. O edil foi além e afirmou que se FBC entrar no PSL, ele sairá.

LEIA TAMBÉM:

Com aval da bancada Fernando Bezerra topa ser líder de Bolsonaro

“Num partido que exista Fernando Bezerra Coelho, não existirá Gabriel Menezes. Eu não comungo das ideias do senador, já deixei isso bem claro. Não seria somente uma decepção para Gabriel Menezes, mas para os milhões de brasileiros que elegeram Jair Bolsonaro presidente da República”, disse em entrevista por telefone a Rádio Jornal Petrolina nessa sexta-feira (8).

LEIA MAIS

Ministro de Turismo é exonerado, mas ele afirma que voltará ao cargo na quinta

Ministro afirmou que exoneração é temporária (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Envolvido em uma polêmica, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio foi exonerado do seu cargo nessa quarta-feira (6). O decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi publicado no Diário Oficial de hoje, mas segundo Marcelo sua exoneração é temporária.

Ele afirmou em suas redes sociais que foi exonerado apenas para tomar posse como deputado federal, já que não pôde fazê-lo anteriormente por problemas de saúde. Marcelo Antônio viu seu nome envolvido em um desvio de verbas do Fundo Partidário durante sua campanha.

Segundo o jornal Folha de São Paulo o ministro usou laranjas para desviar verbas do Fundo. Ele negou as acusações e disse estar sendo vítima de perseguição. Hoje o ministro escreveu que “Em tempos de fake news, importante avisar: Hoje tomo posse na Câmara dos Deputados e amanhã retorno às atividades frente ao Ministério do Turismo”.

Casa Civil faz reunião para discutir pautas para região Nordeste

De volta ao cargo de ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni comanda na tarde dessa segunda-feira (4) uma reunião interministerial no Palácio do Planalto. O tema central da discussão são demandas da região Nordeste.

Estão confirmados na reunião os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Desenvolvimento Regional; da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; da Educação; da Cidadania; e da Saúde. O momento é de preparar um pacote de ações para a região na qual Jair Bolsonaro (PSL) sofreu derrotas na eleição e onde a oposição ao seu governo é mais forte.

Governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) que tem aliança estadual com o PT cumpriu uma extensa agenda política na semana passada com representantes do governo federal. O foco foi estreitar as relações e buscar apoio da União para projetos no Estado. Com informações da Agência Brasil.

Prova de vida de aposentados e pensionistas deverá ser agendada

O Governo Federal determinou que a prova de vida dos aposentados e pensionistas deve ser agendada, no entanto a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) afirmou que as instituições financeiras continuarão a realizar a atividade como era feito anteriormente.

A Medida Provisória 871, publicada em 18 de janeiro desse ano pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) determina a beneficiários a partir de 60 anos que agendem data para realização da fé de vida anual. O texto, porém, não define onde e como o serviço será prestado.

Já a Febraban alegou que continuará com essa competência. Atualmente a prova de vida não é agendada e ocorre em cada bando, dentro da data-limite imposta ao beneficiário. A MP também introduz a possibilidade da realização da prova de vida na residência de segurados acima de 80 anos. Com informações da Folha de Pernambuco.

Em busca de aproximação, Câmara tem reunião com ministros de Bolsonaro

(Fotos: Alberto Ruy/MInfra)

O governador Paulo Câmara (PSB) iniciou ontem (28), uma série de encontros com ministros do governo Jair Bolsonaro (PSL) para discutir pleitos pernambucanos que necessitam de apoio da União para sair do papel. No Recife, Câmara recebeu o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez e pela tarde, foi a Brasília.

Na capital do país o representante pernambucano reuniu-se com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas e tratou de obras como a Ferrovia Transnordestina e a manutenção de rodovias federais em Pernambuco. Ainda nessa semana o governador se encontrará com outros ministros de Bolsonaro.

“Ele colocou claramente a preocupação que tem com a finalização da Transnordestina e demonstrou que pensa da mesma forma que nós, que o parceiro privado atual não está dando conta do recado para destravar as obras da ferrovia”, disse o governador em entrevista em entrevista a Rádio Jornal.

Atualmente, as obras da ferrovia – que deveria ter sido entregue em 2010 – são tocadas pela Transnordestina Logística S.A. (TLSA). Há cerca de três meses, a empresa apresentou um novo cronograma para conclusão dos serviços, desta vez prorrogando-a para 2027. Com informações do JC Online.

Miguel Coelho indica aproximação da oposição pernambucana com Bolsonaro

(Foto: Jonas Santos/Ascom)

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho visitou Recife na sexta-feira (25) e comentou a aproximação das lideranças da oposição ao governo de Jair Bolsonaro (PSL). Miguel lembrou o apoio da bancada oposicionista durante as eleições de outubro ao então candidato Bolsonaro.

“Quem votou em Bolsonaro em Pernambuco foi a oposição. Bruno declarou, Mendonça declarou, os Ferreiras declararam. Então, a tendência é que a gente tenha uma aproximação. Até porque o PSB não é situação com o Governo Federal”, disse em entrevista a Folha de Pernambuco.

Para o prefeito de Petrolina o sucesso do governo de Bolsonaro depende da agenda econômica. “O que vai depender para o sucesso do governo Bolsonaro é ele conseguir aprovar a pauta econômica. Isso é o que vai dar sustentação ao discurso dele”, avaliou Miguel.

A aproximação de Paulo Câmara (PSB) com o governo federal foi visto como algo positivo pelo prefeito. “Não foi uma reunião de articulação. Foi muito mais uma reunião para apresentar a bancada. Qualquer governador que ganhe ou seja reeleito precisa do apoio da bancada para ter emendas. Mas ele é oposição ao governo federal. Precisamos saber se isso vai vingar [a aproximação com a bancada]. É óbvio que está todo mundo junto por Pernambuco. Eu posso falar pelo senador Fernando Bezerra que ele nunca se colocará contra as pautas de Pernambuco. Agora, além dessa pauta administrativa, tem a pauta política e, sem dúvida, o governo Bolsonaro vai querer registrar isso“, pontuou. Com informações de Folha de Pernambuco

Bolsonaro sobrevoará Brumadinho nessa manhã, nove mortes foram confirmadas

Buscas foram retomadas nessa manhã (Foto: Whasington Alves/Reuters)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) confirmou que visitará Brumadinho (MG) nessa manhã de sábado (26), para analisar a situação, depois do rompimento de uma barragem na tarde de sexta-feira (25). Sete mortos foram confirmadas até a noite de ontem, mas após a retomada de buscas hoje, o número subiu para nove.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, há por volta de 300 desaparecidos. A barragem da Vale rompeu na comunidade do Córrego do Feijão, na região da Grande Belo Horizonte. Moradores relataram que a lama engoliu residências e estabelecimentos comerciais.

Segundo informações da Vale, a barragem Córrego do Feijão tem capacidade para 12,7 milhões de metros cúbicos. Em comparação com a barragem de Fundão, em Mariana, são 62 milhões de metros cúbicos. A tragédia da Samarco em Mariana ocorreu em 2015 e deixou 19 mortos.

Com informações de Band

“Por enquanto não”, afirma Mourão sobre privatização dos Correios

(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Com a viagem de Jair Bolsonaro (PSL) à Suíça o vice-presidente, general Hamilton Mourão ocupa o cargo de presidente em exercício e durante um evento na manhã dessa quinta-feira (24), ele disse que não há intenção de privatizar os Correios.

“Por enquanto, não”, respondeu Mourão, ao ser questionado se era a favor da privatização da estatal. Mourão esteve em uma cerimônia de comemoração dos 365 anos do órgão em homenagem ao Dia do Carteiro, em Brasília (DF).

Durante a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro declarou que os Correios tinham “grande chance” de entrar em um programa de privatizações. Já o ministro de Ciência, Tecnologia e Comunicações, Marcos Pontes, disse, em dezembro, que o tema não estava na pauta no momento. Com informações de Band

Especial: o que muda com decreto assinado por Bolsonaro sobre a posse de armas

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Um dos primeiros compromissos do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) durante sua campanha ao Palácio do Planalto foi concretizado na primeira quinzena do seu governo: a flexibilização da posse de armas. No dia 15 de janeiro Bolsonaro assinou o Decreto 9.685/2019, alterando a proposta colocada em pratica no governo de Luiz Inácio Lula da Silva sobre a regulamentação de vendas e posse.

Segundo Bolsonaro a população queria se armar – em referência ao plebiscito de 2005 – apesar de pesquisa do Instituto Datafolha apontar que hoje 61% dos brasileiros não são favoráveis às mudanças impostas no decreto e querem a proibição da posse. Em meio a especulações, o que de fato muda é apenas um ponto: a efetiva necessidade.

De hoje (23) até a próxima sexta-feira (25) o Blog Waldiney Passos traz uma série especial a respeito da posse de armas. Hoje falaremos sobre as mudanças impostas com o decreto presidencial, mas também serão abordados o ponto de vista do comerciante e os valores do armamento comercializado em Juazeiro (BA) e Petrolina (PE).

As mudanças no Decreto

Segundo Vitor Bonicenha de Alencar, proprietário de uma loja especializada no segmento em Petrolina, o decreto não afeta o porte (direito de andar com a arma) e reflete apenas na posse (ter um armamento em casa). As mudanças, em linhas gerais, são mínimas, como explica.

LEIA MAIS

Em primeiro discurso no exterior, Bolsonaro fala em recuperar valores e economia

(Foto: Fabríce Coffrini/AFP)

No primeiro discurso como presidente do Brasil no exterior, Jair Bolsonaro, disse que vai resgatar os valores e a economia do Brasil. Ele participou da abertura da 39ª edição do Fórum Econômico Mundial, que reúne a elite política e econômica global, em Davos, na Suíça nessa terça-feira (22).

Inicialmente previsto para 45 minutos e reduzido para 30 minutos, a fala de Bolsonaro no Fórum durou apenas sete minutos. O presidente reforçou o combate à corrupção e falou que o país está disposto a ter abertura econômica. “Aqui, entre nós, está Sérgio Moro, nosso ministro da Justiça, o homem certo para o combate à corrupção e o combate à lavagem de dinheiro”, disse.

Economia

“Queremos governar pelo exemplo e que o mundo restabeleça a confiança que sempre teve em nós. Vamos diminuir a carga tributária, simplificar as normas, facilitando a vida de quem deseja produzir, empreender, investir e gerar empregos”, continuou o presidente eleito em outubro passado.

Esquerda

Antes de concluir seu discurso Bolsonaro lembrou sua vitória nas urnas, mesmo tendo pouco tempo de televisão e rádio. Questionado sobre ideologia, ele criticou a esquerda na América Latina. “A esquerda não prevalecerá na região. O que é bom no meu entender, não só para a América do Sul, como para o mundo”, completou.

Com informações do Correio Braziliense

Com primeira viagem de Bolsonaro, Mourão assume presidência nesta segunda

(Foto: Marcos Corrêa/PR)

Depois de dois anos e cinco meses um vice-presidente assumirá o comando do país. Presidente eleito em outubro passado, Jair Bolsonaro (PSL) fará sua primeira viagem ao exterior e o general Hamilton Mourão assume o país na madrugada desta segunda-feira (21).

Mourão assume a cadeira de presidente em exercício até sexta-feira (25), quando Bolsonaro retorna do Fórum Econômico Mundial, na Suíça. Além de Bolsonaro, farão a viagem Paulo Guedes (Economia), Ernesto Araújo Relações Exteriores), general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Sergio Moro (Justiça) e Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral).

Antes da viagem, na sexta passada (18), Mourão se reuniu com Bolsonaro e  assessores para ouvir pedidos específicos e se inteirar sobre os trâmites do dia a dia. O substituto costuma assinar somente medidas pré-acordadas com o presidente e que não impactam o cotidiano governamental e político.

Com informações do UOL

40% dos eleitores aprovam governo de Bolsonaro

(Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

A primeira pesquisa avaliando o governo de Jair Bolsonaro (PSL) foi divulgada nessa quinta-feira (17). O levantamento foi encomendado  pela XP Investimentos em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe).

O levantamento concluiu que 40% dos entrevistados avaliam como boa ou ótima a gestão do novo presidente. Outros 20% classificaram como ruim ou péssimo o início do mandato e 29% consideram o início da gestão regular, enquanto 11% não souberam opinar ou não responderam.

A pesquisa foi realizada por telefone e ouviu mil pessoas, entre os dias 9 e 11 de janeiro. Aos entrevistados também foi perguntado qual a expectativa deles para o novo governo. 63% acreditam que o presidente fará um mandato ótimo ou bom, enquanto 15% consideram que será negativo. A margem de erro de 3,2 pontos percentuais.

Com informações de Band

123