“Não há nenhuma incoerência”, afirma presidente do PSB em Pernambuco sobre aliança com PT

O governador Paulo Câmara (PSB) oficializou seu apoio à pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o que pode refletir em uma aliança com o PT em Pernambuco. A decisão tomada por Câmara, segundo o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes reflete no pensamento dos socialistas.

Durante entrevista no programa Super Manhã com Waldiney Passos, Sileno afirmou que as conversas entre socialistas e petistas já vinham acontecendo desde o ano passado e não foi uma decisão tomada de última hora.

LEIA TAMBÉM:

Aliança com PT representa importância da retomada dos projetos de Lula, afirma presidente estadual do PSB

“Essas conversas estão acontecendo a nível nacional e quando você tem conversa a nível nacional com os partidos, você tem reflexo em alianças a níveis estaduais e isso pode acontecer em Pernambuco”, comentou o presidente do PSB em Pernambuco.

LEIA MAIS

Aliança com PT representa importância da retomada dos projetos de Lula, afirma presidente estadual do PSB

(Foto: Reprodução/Facebook)

Durante a semana o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) se encontrou com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann e decidiu apoiar a pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República. A decisão mostra um alinhamento que pode modificar o cenário eleitoral no estado, já que Marília Arraes deve ser rifada pelos petistas.

Em conversa por telefone com Waldiney Passos no programa Super Manhã, o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes afirmou que a decisão de Câmara demonstra a insatisfação da esquerda com o atual Governo Federal e também uma valorização ao trabalho de Lula.

LEIA MAIS

Presidente do STJ nega 143 pedidos de habeas corpus para Lula

(Foto: AFP/Nelson Almeida)

143 pedidos de liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram negados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A presidente da corte, Laurita Vaz negou todas as solicitações que chegaram desde o domingo (8).

Na justificativa para negar alguns dos pedidos de habeas corpus a Lula, a ministra alegou não que a via processual não se presta a “atos populares”.

“O Poder Judiciário não pode ser utilizado como balcão de reivindicações ou manifestações de natureza política ou ideológico-partidárias. Não é essa sua missão constitucional”, afirmou Laurita Vaz.

Todos os pedidos de liberdade negados por Laurita Vaz pediam que fosse garantido a Lula o direito de recorrer em liberdade contra sua condenação a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá (SP).

Ao negá-los, a ministra destacou que a execução provisória de pena do ex-presidente já foi decidida tanto pelo STJ como pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Nenhum dos pedidos tiveram como origem os advogados que representam Lula oficialmente.

“Nosso candidato é um só, é o Lula”, afirma Jaques Wagner

(Foto: Reprodução/Internet)

Um dos nomes cotado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para concorrer à Presidência da República, o ex-governador da Bahia Jaques Wagner afirmou que não existe substituto e que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o único nome da sigla.

“Não temos de escalar um substituto. Nosso candidato é um só, é o Lula. Se por acaso houver uma intervenção definitiva, na minha opinião o partido deveria olhar para outros candidatos que estão aí e escolher quem mais se aproxima do nosso programa”, disse Jaques Wagner.

No final de semana a soltura de Lula ficou próxima de acontecer, após um pedido apresentado pelo desembargador plantonista do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). Mesmo que o ex-presidente continue preso, Wagner afirma que o PT não estuda outra alternativa.

“Se nós temos uma estratégia, que é a candidatura de Lula, não temos que estar discutindo outro cenário. Nós vamos discutir a mobilização, a luta no território jurídico e político”, finalizou.

64% dos eleitores desaprovam Jair Bolsonaro, aponta pesquisa

Um dos nomes preferidos do eleitor descontente com a política, Jair Bolsonaro (PSL) apresenta rejeição de 64%  e sua aprovação caiu de 23% para 20%, segundo a pesquisa realizada pelo jornal Estado de São Paulo (Ipsos) que mensalmente analisa a opinião do brasileiro sobre a política.

Anteriormente Bolsonaro tinha desaprovação de 60% e para os pesquisadores, esse é um momento chave para sua pré-candidatura. “O início da campanha eleitoral, após a Copa, vai testar a solidez dessa aprovação”, afirma Danilo Cersosimo, diretor do Ipsos.

No entanto, além de Bolsonaro todos os presidenciáveis têm alta desaprovação do eleitor. Todos os presidenciáveis seguem com taxas altas de reprovação. Geraldo Alckmin, do PSDB tem o pior índice, com 70% de desaprovação e apenas 18% de aprovação.

Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) têm taxas de desaprovação de 65% e 63%, respectivamente, e estão empatados com Bolsonaro nesse quesito. Marina, porém, têm aprovação de 29%, cerca de dez pontos porcentuais acima desses dois adversários.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem desaprovação de 54% do eleitorado e aprovação de 45%, a mais alta entre os nomes cotados para a disputa. Cotado para substituir Lula numa possível candidatura, Fernando Haddad possuiu apenas 7% de aprovação.

STF deve votar recurso de Lula no dia 26

(Foto: AFP/Nelson Almeida)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin autorizou o recurso protocolado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolado na Corte. A matéria solicita a suspensão da condenação de Lula e pode entrar em discussão no dia 26 desse mês.

Se a condenação for suspensa  o ex-presidente poderá deixar a prisão e também se candidatar às eleições. Lula está preso na sede da Polícia Federal de Curitiba (PR) desde abril, por determinação do juiz da Operação Lava-Jato, Sérgio Moro.

Na petição enviada ao Supremo, a defesa do ex-presidente alega que há urgência na suspensão da condenação, porque Lula é pré-candidato à Presidência e tem seus direitos políticos cerceados ante a execução da condenação, que não é definitiva.

Lula será comentarista durante Copa do Mundo

(foto: Nelson Almeida/AFP)

Mesmo preso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será comentarista da Copa do Mundo 2018. O petista está na sede da Polícia Federal, em Curitiba (PR) e comentará os jogos através de cartas que serão lidas pelo jornalista José Trajano.

Trajano tem um programa na Rádio Brasil Atual e na TVT. O anúncio foi feito pelo próprio jornalista, em uma rede social. Lula cumpre pena por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, desde abril ele está na sede da PF.

“Ele vai escrever as suas impressões, manda para a gente, a gente coloca na tela com aspas, e você vai poder ler e ouvir na voz de um locutor”, disse Trajano. Lula tem acesso a televisão na cela onde está e contará com a visita de familiares para trocar as correspondências.

Maciel Melo recebe carta escrita por ex-presidente Lula

Preso desde abril desse ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enviou uma carta ao músico e poeta pernambucano Maciel Melo. Na carta escrita no dia 6 de junho, Lula chama Maciel carinhosamente de Neguinho e elogia o livro escrito por ele, A Poeira e a Estrada, lançado em 2013.

“Fiquei orgulhoso de ver mais um nordestino fazendo sucesso como escritor, poeta e sobretudo como músico”, diz trecho da carta. Lula recebeu um pendrive com as músicas de Maciel e destacou que espera sair da Polícia Federal para “ganhar das suas mãos  [os discos] depois quando eu sair da Polícia Federal e tiver em liberdade. Te pagarei”, afirmou.

O cantor revelou ao Jornal do Commercio que nunca escondeu a admiração por Lula e se disse orgulhoso por ter o ex-presidente apreciando suas obras. Maciel revelou gratidão ao político pelas ações durante seu Governo.

“Guardo dele muitos momentos bons na vida dos brasileiros, principalmente na vida dos menos favorecidos, e sinceramente amigo, hoje, na realidade em vivemos me sinto completamente desnorteado e creio que não só eu, todo o povo brasileiro está sem rumo”, comentou.

Eleições: Lula venceria todos seus adversários, destaca pesquisa do Datafolha

Uma pesquisa sobre as intenções de voto na corrida presidencial apontou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria todos os seus adversários, caso estivesse na disputa. Nos cenários analisados sem a presença do petista que está preso desde abril, a pré-candidata Marina Silva (Rede) venceria Ciro Comes (PDT) e Jair Bolsonaro (PSL) numa eventual disputa de segundo turno.

Nas simulações de primeiro turno sem Lula, Bolsonaro (PSL) lidera com 19%, seguido de Marina que oscila entre 14% e 15%. Ciro tem entre 10% e 11%, Alckmin tem 7% e Alvaro Dias (Podemos), 4%. Em uma eventual disputa de segundo turno Bolsonaro aparece empatado com Alckmin, ambos com 33%.

Nas simulações com Lula, o petista venceria a eleição em qualquer cenário. Segundo a pesquisa, o ex-presidente seria eleito com 49% tanto na disputa contra Bolsonaro, que teria 32%, quanto contra o ex-governador Alckmin, com 27%.

Se a oponente fosse Marina, Lula teria 46% ante 31% da ex-ministra. Votos em branco, nulos ou ‘nenhum’ representam, respectivamente nos cenários acima, 22%, 21% e 17%. A pesquisa foi feita entre 6 e 7 de junho, ouvindo 2.824 entrevistados em 174 municípios.

Em documento, PT nacional aconselha aliança com PSB e lima candidatura de Marília Arraes

(Foto: Instituto Lula)

O PT Nacional publicou uma resolução na qual orienta os diretórios estaduais a formarem alianças com outros partidos, no sentido de fortalecer a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dessa forma, a pré-candidatura de Marília Arraes pelo partido, ao Governo de Pernambuco deve ser rifada.

LEIA TAMBÉM:

“Quem vai decidir é a nacional, não vai adiantar a gente fazer um enfrentamento”, afirma Odacy sobre aliança do PT com PSB

Marília Arraes empareda Humberto Costa e Odacy Amorim

Durante a semana a presidente nacional do partido, a senadora Gleisi Hoffmann se encontrou com o governador do estado, Paulo Câmara (PSB) sinalizando a aproximação com os socialistas em Pernambuco e mais nove estados. No documento publicado no sábado (9), o PT afirma ainda que não existe plano B à candidatura de Lula.

Apesar da orientação do PT, em Pernambuco o partido se divide: uma parte defende apoiar a reeleição do governador Paulo Câmara; outro grupo é a favor da candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes. Pré-candidato ao Governo do Estado, Odacy Amorim reafirmou nessa semana que acatará a decisão da Nacional.

Confira a íntegra da resolução:

LEIA MAIS

Com aval de Lula, PT deve sinalizar aliança com PSB em Pernambuco

Lula teria dado aval para aliança com PSB

Uma reunião na manhã dessa quarta-feira (30) entre o PT nacional e a cúpula estadual deve bater o martelo em relação ao posicionamento do partido em Pernambuco. Segundo o jornal Folha de Pernambuco apurou, a aliança com os socialistas teria o aval do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e limaria o nome de Marília Arraes a uma possível candidatura ao Governo de Pernambuco.

A reunião deveria ter acontecido ontem, no entanto, a decisão oficial do PT de Pernambuco sobre uma candidatura solo ou a provável aliança com o governo de Paulo Câmara deve ser anunciada no próximo dia 10. Caso se concretize, a decisão levará o Humberto Costa a ocupar uma das vagas no Senado Federal pela chapa majoritária de Câmara.

Mesmo sem o nome de Marília no Governo de Pernambuco, o diretório nacional quer a vereadora do Recife como deputada estadual, porém, ela não aceitou a proposta.

TSE decide hoje (29) se candidato réu em ação penal pode concorrer à Presidência

(Foto: Antonio Cruz e Valter Campanato/Agência Brasil)

Na noite dessa terça-feira (29) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidirá se dois pré-candidatos à Presidência da República poderão concorrer em outubro. A Corte analisa se um cidadão que é réu em ação penal pode participar da corrida eleitoral.

Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro são réus, o petista em seis ações e o deputado-federal em duas, no Supremo Tribunal Federal (STF).

A consulta foi feita pelo deputado Marcos Rogério (DEM-RO), que se baseou no Artigo 86 da Constituição, segundo o qual o presidente ficará suspenso de suas funções, “nas infrações penais comuns, se recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal”.

O relator do pedido, ministro Napoleão Nunes Maria recomendou a não resposta do questionamento apresentado por Rogério, já que o tema não se restringe ao período eleitoral e pode apresentar consequências após outubro. A sessão no TSE está marcada para 19h.

Em Petrolina, Marília Arraes defende candidatura de Lula à Presidência da República

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A vereadora do Recife e pré-candidata ao Governo de Pernambuco pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Marília Arraes esteve em Petrolina na manhã de hoje (28) e participou do programa Super Manhã, na Rádio Jornal, onde falou da situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para Marília, o PT não deve abrir mão da pré-candidatura do ex-presidente, pois caso tomar essa atitude, estará legitimando a perseguição contra o petista. “Qualquer menção de se jogar toalha a desistir de lutar pelo direito de Lula ser candidato é praticamente admitir que tudo que está sendo feito contra Lula é certo e o que nós estamos sempre alertando as pessoas é que todo esse processo tem um objetivo: entregar nosso patrimônio nacional para que o estrangeiro explore, cassar direito dos trabalhadores, é desmontar todo o estado social que foi construído nos últimos anos e a prisão de Lula faz parte desse script. Nós vamos até o final defender os direitos de Lula”, afirmou.

Na opinião da pré-candidata, com Lula na corrida eleitoral uma vitória é dada como certa e ele reverteria as políticas aprovadas pelo atual presidente Michel Temer. Marília Arraes também opinou sobre a greve dos caminhoneiros.

“Nós não podemos minimizar essa manifestação a uma simples classe trabalhista, até porque nós sabemos a vinculação dos caminhoneiros com as grandes empresas e não se resolve de forma simplista. Redução de impostos, o estado vai deixar de arrecadar e não vai resolver o problema”, argumenta.

Marília acredita que, somente uma revisão da polícia da Petrobras é que o preço do combustível será normalizado. Ela reafirmou considerar legítima a manifestação, mas que a situação não será solucionada com medidas rápidas, a exemplo das apresentadas pelo presidente Temer ontem.

PT lançará pré-candidatura de Lula no dia 27, afirma deputado

(Foto: Internet)

O nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será confirmado pelo Partido dos Trabalhadores como pré-candidato à Presidência da República. Segundo o deputado federal Wadih Damous, o PT lançará o nome de Lula no dia 27 de maio, mesmo com o político preso.

O petista cumpre pena na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba e foi visitado por Wadih na manhã dessa segunda-feira (21). O deputado conversou com militantes acampados na capital paranaense sobre o lançamento da pré-candidatura.

“Pouco importa se em cada ato tenha 10 pessoas, tenha 5 pessoas, tenha 500 pessoas. O importante é o somatório em todo o Brasil de cada um desses atos, para deixar claro que o presidente Lula é o nosso candidato”, disse Damous.

O deputado também afirmou que o ex-presidente está bem-humorado, apesar da indignação de estar recluso. “Está bem abrigado, está bem agasalhado, tem praticado exercícios, está bem-humorado. Agora, é claro que ele está indignado com essa perseguição que se abate sobre ele“, afirmou.

PT promete lutar caso candidatura de Lula seja vetada pelo TSE

A informação de que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já analisa rejeitar a inscrição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva das eleições de outubro fez o Partido dos Trabalhadores (PT) iniciar um levantamento a respeito de candidatos que participaram da corrida eleitoral com registros indeferidos que foram eleitos e reverteram a inelegibilidade.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o estudo é liderado pelo advogado Luiz Fernando Pereira e usa dados a partir de 2002. Pereira utiliza a tese segundo a qual contra Lula existe uma inelegibilidade provisória. O PT está consciente das dificuldades, ainda mais porque o TSE será presidido a partir de agosto pelo ministro Luiz Fux, contrário à inscrição do ex-presidente.

O PT se apoia nos discursos colhidos na rua de que uma eleição sem Lula é uma exceção e busca se fortalecer, para manter viva as esperanças do ex-presidente de participar das eleições. Mesmo preso, o petista lidera as intenções de voto, em pesquisas nas quais seu nome aparece como opção.

1234