Assembleia Legislativa de Pernambuco foi alvo de Operação da Polícia Federal nesta quinta-feira (30); Alepe emite nota

(Foto: Divulgação/Polícia Federal)

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) foi alvo de buscas da Polícia Federal (PF) em Pernambuco nesta quinta-feira (30). A Operação Coffee Break apura a dispensa indevida feita por um servidor da Assembleia. De acordo com a investigação, empresas vêm sendo beneficiadas há tempos com contratações milionárias efetuadas pela Alepe, o valor chega, até agora, a R$ 40 milhões. Nenhum deputado estadual é alvo da investigação.

A operação cumpre dez mandados de busca e apreensão expedidos pela 13ª Vara Federal do Recife. Foram realizadas seis buscas em residencias de pessoas físicas e quatro na Alepe. De acordo com a Polícia Federal, o servidor João Pedro Ferreira Belo Daumas, que atuava na comissão de pregoeiros e no setor responsável pelos pagamentos da Alepe, estaria beneficiando internamente as empresas de Sebastião Figueiroa – investigadas na Operação Casa de Papel, deflagrada no mês passado. Para a PF, há indícios de “vínculo forte” do empresário com a Alepe.

LEIA MAIS

Em defesa de aliados, Bolsonaro diz que tomará ‘medidas legais’ para proteger a Constituição

Após a operação deflagrada pela Polícia Federal, nessa terça-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender seus apoiadores. Autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a operação cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços ligados a parlamentares e apoiadores bolsonaristas. Ela visa apurar a origem do financiamento dos grupos suspeitos de praticar atos antidemocráticos.

Sem citar nomes, Bolsonaro fez uma série de postagens no Twitter na noite de ontem, com críticas indiretas ao fato. “Só pode haver democracia onde o povo é respeitado, onde os governados escolhem quem irá governá-los e onde as liberdades fundamentais são protegidas. É o povo que legitima as instituições, e não o contrário. Isso sim é democracia”, defendeu.

LEIA MAIS

Após prisões, ‘300 do Brasil’ solta rojões em frente à PF

(Foto: GABRIELA BILó / ESTADÃO CONTEÚDO)

Após a prisão nesta segunda-feira (15), da ativista de extrema direita Sara Winter, do movimento “300 do Brasil”, um grupo de 13 manifestantes foi à Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal carregando faixas de apoio ao grupo, que no último sábado ,13, disparou fogos de artifício em direção à sede do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na frente da PF, um manifestante chegou a soltar fogos de artifício, em alusão ao gesto que causou indignação no Supremo e levou o presidente da Corte, Dias Toffoli, a acionar órgãos de investigação. A Procuradoria-Geral da República (PGR) abriu uma apuração sobre o caso.

Ao todo seis integrantes do 300 do Brasil foram alvos de mandados de prisão por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do STF, a pedido da PGR.

LEIA MAIS

Apuração de compra de respiradores pelo Consórcio do Nordeste vai para o STJ

O processo que apura a compra de respiradores pelo Consórcio do Nordeste, que desencadeou a Operação Ragnarok na semana passada, deixou o Tribunal de Justiça da Bahia e passou para as mãos do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A informação que havia sido antecipada pelo o site Bahia Notícias na última sexta-feia, foi confirmada pelo TJ-BA. A mudança se deve ao fato de governadores terem prerrogativa de foro e, por isso, somente podem ser julgados pelo STJ.

LEIA MAIS

PF da Paraíba cumpre mandados de prisão em Petrolina contra suspeitos de assaltos a Correios

A Polícia Federal da Paraíba cumpriu dois mandados de prisão preventiva em Petrolina (PE) e Manaus (AM) contra suspeitos de integrarem uma associação criminosa suspeita de roubos contra agências dos Correios. As prisões aconteceram na manhã desta segunda-feira (20) e os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Monteiro, na Paraíba.

Os investigados são suspeitos de terem cometido um assalto contra a Agência dos Correios da cidade de Sumé, na Paraíba, no dia 27 de novembro de 2018.

LEIA MAIS

Operação da Polícia Federal erradica 45 mil pés de maconha em Curaçá, Campo Formoso e Dormentes

(Foto: Divulgação/PF)

Durante a operação intitulada “Muçambê I”, que começou no dia 11 de fevereiro e foi encerrada nesta quarta-feira (19), a Polícia Federal destruiu 45 mil pés de maconha, em roças localizadas nos municípios de Curaçá (BA), Campo Formoso (BA) e em Dormentes (PE).

LEIA MAIS

Polícia Federal indicia Lula por doações pela Odebrecht em seu nome para o Instituto Lula

(Foto: Internet)

A Polícia Federal indiciou, na última terça-feira (24) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por doações feitas pela Odebrecht ao Instituto Lula. Além do ex-presidente, foram indiciados o presidente do Instituto, Paulo Okamotto, o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht.

O delegado Dante Pegoraro Lemos disse que os recursos de ‘doações’ transferidos pela empreiteira seriam, na verdade, propinas.

LEIA MAIS

Juíza nega pedido de prisão do filho do ex-presidente feito pela PF

Lulinha é alvo da 69ª fase da Operação Lava Jato. (Foto: Internet)

A Polícia Federal (PF) pediu nesta terça-feira (10) a prisão temporária do empresário Fábio Luis Lula da Silva, conhecido popularmente como “Lulinha”, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A Justiça, no entanto, negou a solicitação.

A PF deflagrou hoje a 69ª fase da Operação Lava Jato com o objetivo de buscar provas na investigação sobre repasses financeiros suspeitos, realizados por empresas do grupo Oi/Telemar em favor de empresas do grupo Gamecorp/Gol, controladas pelo filho do ex-presidente e por seus sócios Fernando Bittar, Kalil Bittar e Jonas Suassuna.

Segundo a PF, “havendo suficientes indícios de materialidade e autoria delitiva, presentes os requisitos legais do artigo 1º, incisos I e III, da Lei nº 7.960/89, e visando à coleta de provas adicionais acerca da materialidade dos delitos em tela, representamos pela decretação da prisão temporária de Fábio Luis Lula da Silva, Kalil Bittar e Jonas Leite Suassuna Filho”.

LEIA MAIS

Paraense é preso no aeroporto do Recife transportando 400 mil euros

(Foto: Divulgação/Polícia Federal)

Um taxista de 41 anos, natural de Belém do Pará, foi preso em flagrante no Aeroporto Internacional do Recife (PE), localizado no bairro da Imbiribeira, Zona Sul da Capital, com 400 mil euros – aproximadamente R$ 1,76 milhão – em uma bagagem.

De acordo com a Polícia Federal (PF), em depoimento, o suspeito, identificado como Mateus Ferreira de Araújo, informou que recebeu a orientação de uma outra pessoa para entregar a moeda estrangeira quando desembarcasse no Aeroporto de Salvador (BA). Pelo serviço, segundo o taxista, receberia R$ 1 mil. O caso ocorreu na tarde no domingo (27) e foi divulgado pela PF nesta quarta-feira (30).

LEIA MAIS

Polícia Federal alerta sobre golpe no WhatsApp envolvendo o saque do FGTS

(Foto: Internet)

A Polícia Federal divulgou alerta sobre mensagens recebidas pelo WhatsApp depois de mais um golpe estar circulando no país envolvendo o saque do FGTS.

Para quem tiver conta poupança na Caixa, os saques já começaram no dia 13 de setembro e para quem não tem, a retirada dos valores estará disponível a partir de 18 de outubro e ficarão disponíveis até 31 de março de 2020. Porém, cabe um alerta sobre uma mensagem enviada para o celular prometendo o pagamento retroativo e o saque dos valores do FGTS.

Os ataques funcionam assim: a vítima recebe o link malicioso. O site é aberto e geralmente há um questionário de quatro perguntas para serem respondidas (Nº PIS/PASEP, Data de Nascimento, CPF, Senha do Cartão Cidadão). Após enviar as respostas, a vítima é incentivada a compartilhar esse mesmo link com mais 10 contatos.

LEIA MAIS

Polícia Federal alerta para ‘golpe do amor’; veja como funciona

(Foto: Ilustração)

A Polícia Federal (PF) alerta internautas para o ‘golpe do amor’. De acordo com a corporação, por meio do canal de denúncias Alerta na Rede, muitas pessoas relataram ter sido vítimas do golpe. Dessas, entre outubro de 2016 e dezembro de 2017, cerca de 88% eram mulheres.

A estratégia é sempre a mesma. Os golpistas criam um perfil falso para atrair as vítimas e, a partir disso, enviam mensagens privadas e iniciam o contato com seus alvos. O que, inicialmente, parece algo bom, aos poucos, evolui para uma ação criminosa na qual as vítimas têm suas contas bancárias zeradas e contraem dívidas.

Segundo a PF, apenas nos dois primeiros meses de 2019, mais de 220 perfis falsos foram identificados. Também chamados “scammers”, os golpistas são homens especialistas no jogo da sedução para conseguir dinheiro. Eles escolhem suas potenciais vítimas após analisar algumas características delas. A primeira é conhecer situação financeira, já que o objetivo principal do golpe é a extorsão. Outro fator na escolha da vítima é status de seu relacionamento.

LEIA MAIS

Operação Facheiro II: Polícias Militar e Federal erradicam plantação de maconha em Orocó

(Foto: Divulgação/2ª CIPM)

No último sábado (27), equipes do GATI (GGI 2011 e 2021) da 2ª CIPM em conjunto com a Polícia Federal, realizaram a Operação Facheiro II para localizar e erradicar plantações de Maconha na cidade de Orocó (PE) e em ilhas circunvizinhas.

De acordo com a Polícia, na operação foram encontrados 100kg de maconha pronta para o consumo, 3.500 covas destinadas ao plantio da erva, e erradicados 7.810 pés de maconha.

Os materiais encontrados foram incinerados no local e as amostras foram entregues na Delegacia da Polícia Federal de Salgueiro (PE), para serem tomadas as devidas providências legais..

Operação da Polícia Federal mira senador Ciro Nogueira do Piauí

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Nesta sexta-feira (22) trinta agentes da Polícia Federal cumprem mandados de busca e apreensão em endereços de Teresina (PI), Brasília (DF) e São Paulo (SP).

A Operação “Compensação” investiga crimes de  corrupção passiva e de lavagem de dinheiro, tendo como principal alvo o senador Ciro Nogueira, do Partido Progressista (PP). O parlamentar é do Piauí. De acordo com nota da Polícia Federal, a ação é desdobramento das investigações em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou as ações.

Depoimentos prestados por colaboradores apontam repasses de R$ 43 milhões ao Partido Progressista, em pagamentos em espécie e doações oficiais, por intermédio do senador, em troca de apoio político do partido na campanha eleitoral para a eleição presidencial de 2014.

LEIA MAIS

Operação da PF combate fraudes na compra de medicamentos em Pernambuco

(Foto: Ilustração)

Na manhã desta quarta-feira (19), a Polícia Federal, com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) e Receita Federal, deflagrou uma operação para apurar irregularidades na compra e fornecimento de medicamentos, custeados com dinheiro público, em três prefeituras do estado de Pernambuco.

De acordo com a CGU, o inquérito, instaurado a partir dos resultados de fiscalização da CGU em contratos para fornecimento de medicamentos num dos municípios, constatou fraudes em processos licitatórios, superfaturamento, pagamento por medicamentos entregues fora do prazo previsto em contratos e ausência de justificativa para a quantidade de medicamentos contratados entre outras irregularidades.

LEIA MAIS

Ex-prefeito de Salgueiro emite nota sobre operação da Polícia Federal

Em nota, Marcones Libório disse que nada tem a temer. (Foto: Divulgação/ASCOM)

Na manhã desta quarta-feira (28), a Polícia Federal (PF) cumpriu oito mandados de buscas e apreensões nos municípios de Salgueiro (PE), Recife (PE) e Olinda (PE). A “Operação Solaris” tem o objetivo de combater supostos desvios de dinheiro público na Secretaria de Saúde de Salgueiro. Dois mandados foram cumpridos na prefeitura da cidade sertaneja.

Segundo a PF, foram cinco meses de investigações, que apontam para um esquema de corrupção e propina envolvendo ex-funcionários da antiga gestão e uma empresa contratada para fornecer hospedagem e alimentação dos pacientes enviados pela Prefeitura de Salgueiro, através do Programa Tratamento Fora do Domicílio (TFD), que é ligado ao Ministério da Saúde.

LEIA TAMBÉM:

PF realiza operação contra esquema de corrupção em Salgueiro

Há pouco, o ex-prefeito de Salgueiro, Marcones Libório de Sá (PSB) publicou uma nota, através de sua assessoria, sobre a realização da Operação Solaris. O ex-prefeito disse que apoia as investigações e que nada tem a temer. “Mantemos uma posição transparente, coerente, firme e austera com a esfera pública como sempre conduzimos nossas administrações. Não tememos nada até porque não existiu por nossa parte nenhum desvio de conduta ética e se alguém cometeu falhas, não houve anuência”, diz um trecho da nota.

“De qualquer forma, é com a tranquilidade e serenidade de sempre, que tendo como principal marca do nosso tempo no governo a transparência e credibilidade, esperamos que tudo seja esclarecido, e no caso de irregularidades os envolvidos sejam punidos”, finalizou Libório.

123