Educação de Dormentes é destaque mais uma vez no Prêmio IDEPE

(Foto: Divulgação)

A educação básica do município de Dormentes (PE), foi novamente destaque durante a premiação regional do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de Pernambuco 2018 (IDEPE-2018). Durante o evento, realizado pela Gerência Regional de Educação do Sertão do Médio São Francisco (GRE), Dormentes recebeu oito certificados.

A cerimônia foi realizada na última segunda-feira (2) e contou com a participação de prefeitos e representantes das sete cidades que fazem parte da GRE. O ensino fundamental Anos Iniciais de Dormentes, conquistou o 1º lugar no histórico de desempenho do IDEPE dos municípios nos anos 2016-2018 e 2017-2018, e no ranking regional. No ranking estadual, o município garantiu a 7ª colocação, sendo a única cidade do Sertão a ficar entre as dez melhores de todo o Estado de Pernambuco. Nos anos finais, Dormentes também foi protagonista, ficando a frente de cidades maiores e conquistando o 1º lugar no ranking regional.

LEIA MAIS

Pela primeira vez, Petrolina atinge nível desejado e sobe 75 posições no ranking de transparência do TCE

(Foto: ASCOM)

A Prefeitura de Petrolina atingiu o nível máximo pela primeira vez desde que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) promove o rankeamento dos municípios de Pernambuco em transparência das finanças e ações públicas. A cidade sertaneja deu um salto, saindo da 86ª posição para a 11ª colocação entre todas as prefeituras pernambucanas. O resultado foi divulgado na última semana pelo TCE.

Com 317 pontos, a Prefeitura de Petrolina atingiu 91% da pontuação máxima do ranking do Tribunal de Contas (348). Para alcançar esse nível de excelência, a gestão municipal investiu na modernização do portal de notícias e conteúdos institucionais; ampliou as redes sociais de comunicação; aperfeiçoou o trabalho da Ouvidoria; deu aos processos administrativos mais eficiência para deixar transparente à sociedade os atos, contratos, finanças entre outros dados.

LEIA MAIS

Pelo segundo mês seguido, pequenos negócios baianos lideram geração de empregos no Nordeste

(Foto: Ilustração)

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em fevereiro, as micro e pequenas empresas baianas foram responsáveis pela criação de 4.425 novos postos de trabalho. Esse é o segundo mês consecutivo que o estado lidera a geração de empregos, pelos pequenos negócios, na região Nordeste. No cenário nacional, a Bahia ocupa o sexto lugar.

De acordo com o levantamento feito pelo Caged, o setor de serviços foi o que mais gerou empregos em fevereiro, na Bahia, com 2.468 vagas, seguido de construção (658), comércio (584) e agropecuária (296).

Em todo o Brasil, as micro e pequenas empresas somaram a geração de 125,2 mil novos postos de trabalho, o que representa 72,3% do total de empregos criados no país em fevereiro.

Brasil cai para 27º lugar entre os maiores exportadores do mundo

(Foto: Divulgação/Portal Governo Brasil)

O Brasil caiu da 26ª posição para o 27º lugar entre os maiores exportadores do mundo, em 2018, segundo relatório anual divulgado hoje (2) pela Organização Mundial do Comércio (OMC). Entretanto, houve aumento de 10% nas vendas em comparação a 2017.

No ano passado, as exportações chegaram a US$ 239,5 bilhões, com aumento de 9,6%. As importações cresceram 19,7% ao totalizarem US$ 181,2 bilhões. O saldo da balança comercial em 2018 ficou em US$ 58,3 bilhões.

O 26º lugar foi assumido pelo Vietnã. O primeiro lugar no ranking é da China, seguida por Estados Unidos e Alemanha. O último lugar é da Indonésia, em 30º lugar.

Comércio mundial

Segundo dados preliminares da OMC, o comércio mundial cresceu 3%, em 2018, abaixo do previsto em setembro pela organização (3,9%). O resultado menor que o esperado é explicado principalmente por piora no comércio mundial, no quarto trimestre.

Para 2019, a previsão é crescimento de 2,6% no comércio mundial, em linha com a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, de 2,6%. Em 2020, o comércio mundial deve atingir crescimento de 3%, com previsão para o PIB em 2,6%.

Fonte: Agência Brasil

Investimentos em segurança pública colocam Petrolina entre as cinco cidades mais pacíficas de Pernambuco

(Foto: Ascom)

Petrolina está entre as cinco cidades mais pacíficas do estado. A informação é do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) que divulgou o ranking do projeto Cidade Pacífica, que destaca os municípios que mais avançaram em medidas que reduzem a criminalidade e aumentam a sensação de segurança entre os cidadãos em 2018. Foi exatamente no ano passado que a nova dinâmica da segurança pública municipal se consolidou, a partir dos investimentos realizados na área pela Prefeitura de Petrolina.

Com a implantação da Ronda Ostensiva Municipal (ROMU), em novembro de 2017, a Guarda Civil de Petrolina passou a atuar de maneira mais eficaz no combate à criminalidade. Em 2018, a Guarda Civil registrou 4.509 ocorrências e esteve envolvida em 3.279 atividades, a exemplo de eventos comunitários e operações conjuntas com as Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal.

LEIA MAIS

IBGE: Petrolina ocupa o primeiro lugar do Brasil no ranking do valor da produção de frutas

(Foto: Arquivo)

Uma pesquisa publicada na última quinta-feira (21), pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) colocou Petrolina em primeiro lugar no ranking nacional do Valor de produção frutas. Juazeiro aparece na 6ª posição.

Petrolina ganha estaque em Pernambuco, com uma economia voltada para a agricultura e exportação de frutas como uva, manga, banana, mamão, melancia e goiaba.

(Tabela: IBGE)

O ranking leva em consideração a área plantada e destinada à colheita, área colhida, valor da produção, variação do valor da produção e participação no total do valor da produção em 2016. Petrolina fica em primeiro lugar com valor de produção em R$ 639.110. O segundo lugar, São Joaquim (SC) apresenta R$ 434.128.

Miguel Coelho afirma que Petrolina já esteve em uma posição melhor na lista das 100 melhores cidades do Brasil

Prefeito de Petrolina Miguel Coelho (PSB)/Foto: Blog Waldiney Passos

Nesta terça-feira (14), durante a assinatura da Ordem de Serviço para a reforma do Restaurante Popular, o prefeito Miguel Coelho (PSB), comentou sobre o estudo da consultoria Macroplan, que aponta Petrolina entre as 100 melhores grandes cidades do Brasil.

Miguel fez um paralelo entre a posição atual da cidade no ranking e a posição em que a cidade ocupou em anos anteriores, além de ressaltar que as premiações para Petrolina, não são nenhuma novidade.

“Petrolina apareceu novamente entre as 100 melhores cidades do Brasil e para quem é mais novo pode achar que isso é novidade, mas a gente não pode ser injusto com a história de Petrolina, nem muito menos injusto com a história de quem tanto trabalhou e de quem tanto lutou para Petrolina chegar aqui”, afirmou.

Em sua fala o prefeito traçou uma linha do tempo, entre as premiações a cidade, que ele atribui a gestão do ex-prefeito Fernando Bezerra Coelho. “O primeiro prêmio, internacional que Petrolina ganhou foi em 1995, o selo ‘Amigo da criança’, dado pelo o Unicef, para o então prefeito, Fernando Bezerra Coelho, quando reabriu o hospital Dom Malan e o tornou referência. Depois em 2014, pela primeira vez Petrolina esteve entre as cinco melhores cidades. Em 2005 e 2006, ganhamos um prêmio de referência no saneamento básico, a nossa cidade chegou a ter mais de 80% dela coberta com rede de esgoto e no ano seguinte fomos considerados o terceiro melhor sistema de mobilidade urbana e transporte coletivo. Em 2008, mais uma vez, desta vez com o prefeito Odacy Amorim, Petrolina voltava a configurar entre as 100 melhores cidades do Brasil, para se viver e para se trabalhar e agora em 2017 está novamente entre as 100 melhores cidade do Brasil, em uma posição onde já estivemos melhor, porque já chegamos na 25º posição, hoje estamos em 45ª”, pontou.

De acordo com o levantamento feito pela revista Exame, Petrolina é a melhor cidade do estado de Pernambuco,  na 45º posição, com índice de 0,615, sendo a cidade que mais subiu no ranking no período de 2005 a 2015. A segunda melhor cidade do estado é Caruaru, que aparece na 68º posição, com índice de 0,553. A capital pernambucana, Recife, aparece somente na 71º posição, com índice 0,543.

Dilma sai da lista da ‘Forbes’ de 100 mulheres mais poderosas do mundo

No ano passado, o texto referente a Dilma já apontava que a presidente enfrentava protestos populares que pediam sua renúncia, pouco meses após a reeleição/Foto:reprodução internet

No ano passado, o texto referente a Dilma já apontava que a presidente enfrentava protestos populares que pediam sua renúncia, pouco meses após a reeleição/Foto:reprodução internet

A presidente afastada do Brasil, Dilma Rousseff, que no ano passado aparecia como a sétima mulher mais poderosa do mundo na lista da revista Forbes, não entrou para o ranking de 100 mulheres. Com isso, o País não tem mais nenhuma representante entre a elite feminina mundial. A metodologia avalia fortuna, aparições na mídia, esfera de influência e impacto, entre outros itens.

No ano passado, o texto referente a Dilma já apontava que a presidente enfrentava protestos populares que pediam sua renúncia, pouco meses após a reeleição. “Rousseff, que na campanha prometeu aproveitar o dinheiro do petróleo e impulsionar a economia, agora enfrenta um escândalo de corrupção que envolve a estatal Petrobras”, apontava a Forbes em 2015.

A exemplo de Dilma, a ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner também desapareceu da lista este ano, após figurar na 16ª colocação em 2015. Assim, a única representante da América Latina é a presidente do Chile, Michelle Bachelet, que aparece no 18º lugar (da 27ª posição no ano passado). A Forbes aponta que, apesar de ter subido na lista, ela passa por um momento difícil, com um escândalo de corrupção envolvendo seu filho e também acusações de irregularidades na sua campanha, o que a levou a pedir a renúncia de seus 23 ministros. “Essas medidas provavelmente farão pouco para restaurar a confiança dos eleitores na sua liderança. Suas taxas de aprovação, que já estavam caindo no ano passado, despencaram para mínimas recordes”, aponta a publicação.

LEIA MAIS