Alto no preço da carne faz IPCA fechar 2019 acima do centro da meta

(Foto: Internet)

Influenciado pela alta no preço da carne, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de dezembro foi de 1,15%, o maior resultado para este mês desde 2002, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados na semana passada.

Assim, a inflação fechou o ano de 2019 em 4,31%, acima dos 4,25% previstos definida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), mas dentro do limite de variação de 1,5 ponto percentual.

O resultado de dezembro ficou acima dos 0,51% registrados em novembro e não tinha um registro tão alto para o último mês do ano há 17 anos, quando marcou 2,10% em dezembro de 2002.

Os preços das carnes no Brasil, com alta de 18,06%, contribuíram para esse registro e puxaram a marca de 3,38% no grupo de alimentação e bebidas, no que foi a maior variação mensal para o setor desde o mesmo dezembro de 2002.

Preço da carne cai para o consumidor, diz Ministério da Agricultura

(Foto: Internet)

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está divulgando que a cotação da arroba (15 quilos) do boi gordo diminuiu de valor no final de dezembro, queda média de 15%. Conforme levantamento periódico do Mapa, a arroba do boi gordo estava cotada a R$ 180 no último dia 30. No início do mês passado, chegou a R$ 216.

Conforme o ministério, o preço da carne vai reduzir para o consumidor final. O cenário “indica uma acomodação dos preços no atacado, com reflexos positivos a curto prazo no varejo”, descreve nota que acrescenta que a alcatra teve “4,5% de queda no preço nos últimos sete dias.”

Segundo projeções do Mapa, a arroba vai ficar entre R$ 180 e R$ 200 nos próximos meses, dependendo da praça. A queda do valor interrompe a alta de 28,5% que salgou o preço da carne nos últimos seis meses.

Alta do preço da carne bovina anima produtores de frangos e porcos

(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

A alta do preço da carne de boi nos últimos meses tem animado os produtores de outros tipos de proteína, como de suínos e aves. De setembro a dezembro, na região de São Paulo, os preços subiram 32% no caso da carne de porco e quase 20% no do frango.

Porém, apesar de ter pesado no bolso de quem compra, os criadores pouco sentiram os ganhos na ponta. “O que a gente está sentindo agora é uma recuperação do poder de compra, ou seja, o mercado saiu da inércia, mas não que seja algo grande”, aponta Elias Zydek, diretor-executivo da Frimesa, cooperativa paranaense que atua no mercado de carne suína, leite e derivados.

Ele ressalta que os ganhos também entraram como forma de compensar perdas anteriores, já que os preços desse tipo de produto pouco variaram nos últimos anos. A dinâmica diferenciada de cada cadeia produtiva explica parte do fenômeno. Enquanto produtores de frangos e suínos estão, na maioria, organizados de forma integrada, o mercado independente domina a venda da carne bovina.

Bolsonaro diz que governo não atuará para baixar o preço da carne

(Foto: Internet)

O presidente Jair Bolsonaro disse nesse sábado (30) que não vai interferir no preço da carne bovina, que no mercado atacadista teve alta média de 22,9%. Segundo ele, é o mercado quem define o preço do produto. Ele, no entanto, disse acreditar que o preço do produto deve baixar.

“Quero deixar bem claro que esse negócio da carne é a lei da oferta e da procura. Não posso tabelar, inventar. Isso não vai dar certo”, disse o presidente na chegada ao Palácio do Alvorada, após viagem a Resende (RJ), onde participou da inauguração da 8ª cascata de ultracentrífugas, na Fábrica de Combustível Nuclear (FCN).

“Tivemos uma pequena crise agora [no preço da carne] mas vai melhorar. A carne aqui, internamente, daqui a algum tempo, acho que vai diminuir o preço”, completou, dirigindo-se a um dos populares que o aguardavam no local.

Associação responsável por carne apreendida em Petrolina emite nota denunciando ação de Inspetor da PRF

Na manhã desta sexta-feira (22) o Blog Waldiney Passos publicou uma matéria sobre a apreensão de mais de uma tonelada de carne de caprinos e ovinos na BR-428 em Petrolina (PE). Segundo a Vigilância Sanitária do município, o veículo que fazia o transporte da mercadoria foi abordado na rodovia pela Polícia Rodoviária Federal, e após esse primeiro momento a Vigilância foi acionada.

LEIA TAMBÉM:

Vigilância Sanitária apreende quase 1.500 quilos de carne em Petrolina

Após a publicação da matéria em vários veículos de comunicação da região, a Associação dos Jovens e Adultos Quilombolas Novos Olhares de Orocó (PE), responsável pela carga, emitiu um nota denunciando a ação do Inspetor da PRF que conduziu a abordagem, caracterizando a ação do policial como truculenta.

“Esclarecemos também, que o Inspetor da PRF, responsável pela apreensão, não tem a qualificação para definir e, muito menos qualificar a carne como inadequada para o consumo humano, agindo de forma insensata e com excesso de autoridade e truculência com as pessoas que transportavam o Mix de Caprino, que se destinava a Alimentação Escolar da Rede Estadual”, diz um trecho da nota.

Ainda de acordo com a nota assinada pela coordenadora da Associação, Kimberly Inacio Alves, os erros apontados pela Vigilância Sanitária já foram corrigidos e o Mix de caprino, continuará sendo entregue às escolas da Rede Estadual de Ensino. Confira a nota na íntegra:

Vigilância Sanitária apreende quase 1.500 quilos de carne em Petrolina

Após a apreensão, os quase 1.500 quilos de carne foram doados ao zoológico do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado de Petrolina.

A Agência Municipal de Vigilância Sanitária de Petrolina realizou mais uma grande operação na cidade. Após uma solicitação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o órgão apreendeu cerca de 1.500 quilos de carne na BR-428, próximo à Serra da Santa.

De acordo com o diretor da Vigilância Sanitária, Marcelo Gama, a PRF acionou a Vigilância Sanitária, que designou uma equipe para ir ao local. “Ao chegar no local, verificamos que a carne estava mal acondicionada em sacolas plásticas, com temperatura inadequada, o que pode causar a contaminação do alimento, por isso, todo o material foi apreendido”, explicou.

A Agência Municipal de Vigilância Sanitária de Petrolina fica localizada na Rua das Camélias, Nº 73 A, no bairro Dom Malan (próximo à feira da Areia Branca). Para a realização de denúncias, a população pode entrar em contato com a Ouvidoria do Município, através do número 156, ou pelo site da prefeitura.

Petrolina: preço da carne teve redução no mês de setembro, segundo Índice de Cesta Básica

É a segunda redução consecutiva no preço das carnes. (Foto: Internet)

A cesta básica de alimentação apresentou, na comparação do mês de agosto com julho de 2018, deflação de -0,54%, em Petrolina (PE). Nos últimos doze meses, a cidade apresentou inflação de 5,04%, como mostra o boletim da cesta básica de setembro.

No ano de 2018, porém, apresenta deflação de -1,28%. A pesquisa do custo da Cesta Básica do Colegiado de Economia da FACAPE estimou o custo no mês de maio em R$ 289,95, em Petrolina.

O preço do leite em Petrolina continua subindo, porém em menor ritmo. O motivo é a entressafra, que reduz a oferta de leite no campo. O Pão Francês teve um pequeno reajuste pelo segundo mês consecutivo devido aos aumentos dos custos de produção, tanto da farinha de trigo quanto da energia elétrica, segundo o DIEESE.

No caso da Farinha de Mandioca, existe baixa oferta da matéria prima. Contudo, a tendência é de que este pequeno aumento seja pontual e que os preços reduzam nos próximos meses. No caso das carnes, é a segunda redução consecutiva, pois o aumento da oferta diminui seu preço.

Famílias do Jardim Petrópolis são beneficiadas com doações de carne de bode em Petrolina

O produto adquirido foi comprado a pequenos produtores como forma de gerar renda e desenvolver o segmento. (Foto: ASCOM)

A Prefeitura de Petrolina continua realizando a distribuição de carne de bode para a população em condição de vulnerabilidade social. Na noite desta terça-feira (27), a entrega aconteceu no Bairro Jardim Petrópolis e mais de 300 famílias foram contempladas.

Sob a coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário, um volume de 7500 kg de carne de bode, obtido por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Governo Federal, está sendo doado a 1500 famílias de baixa renda em Petrolina e, cada família cadastrada pela Central Única dos Bairros (CUBAPE) está recebendo 5 kg de carne de caprino.

A moradora Hilda Ribeiro dos Santos, de 73 anos, não escondeu a felicidade. “Essa mistura é sagrada e para nós chega em boa hora, quero agradecer a todos por essa iniciativa”, declarou Hilda.

Doação de carne de bode beneficia 400 famílias de baixa renda no João de Deus

O material adquirido foi comprado a pequenos produtores como forma de gerar renda e desenvolver o segmento. (Foto: ASCOM)

A Prefeitura de Petrolina e a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) iniciaram, nesta quinta-feira (22), a distribuição de 7.500 kg de carne de bode para moradores em condição de vulnerabilidade social. A primeira comunidade beneficiada foi a do Bairro João de Deus, onde 400 famílias foram contempladas. A entrega do primeiro lote ocorreu na Praça da Juventude com a presença do prefeito Miguel Coelho.

Cada família cadastrada pela Central Única dos Bairros (Cubape) recebeu 5 kg de carne. O material é proveniente do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Governo Federal. Além das famílias do João de Deus, nos próximos dias, serão beneficiadas as comunidades do Henrique Leite, Residencial Vivendas, Pedra Linda, Vila Vitória, Vila Esperança e Jardim Petrópolis, totalizando mais de 5 mil pessoas assistidas.

Mais de uma tonelada de carna imprópria para consumo é apreendida em Juazeiro

O local não contava com higienização e nem condições de refrigerações e armazenamento adequado dos produtos. (Foto: ASCOM)

Durante fiscalização de rotina realizada pela Vigilância Sanitária de Juazeiro, nessa segunda-feira (12), um estabelecimento que atua na área frigorífica teve apreendido pelo órgão fiscalizador uma tonelada e meia de carne. Ainda foi detectado durante a visita que o mesmo estabelecimento comercializava frangos de abates clandestinos.

O local não contava com higienização e nem condições de refrigerações e armazenamento adequado dos produtos, ainda foram encontrados equipamentos enferrujados que eram usados para moer carnes, caixas e baldes estavam empilhados com o produto, expostos a sujeiras e insetos, algumas carnes já foram encontradas em estado de decomposição.

De acordo com a Gerente de Vigilância Sanitária, Luciana Costa, o consumo humano dos produtos como foram encontrados poderia levar a sérios problemas de saúde “o consumo poderia levar o consumidor a sérios problemas, a exemplo de uma grave infecção, com isso, todas as carnes encontradas no estabelecimento foram apreendidas e direcionadas para o aterro sanitário do município”, pontuou.

A Vigilância Sanitária informa ainda que o acondicionamento adequado deve ser em local refrigerado com temperaturas de até 7 graus Celsius, higienizado, em material de ação esterilizável e sem presença de insetos ou roedores, com isso, durante a inspeção são verificados desde a licença sanitária até data da última dedetização.

O órgão agradece a participação popular nas denúncias e reclamações que tem ajudado a combater as irregularidades, e disponibiliza do telefone (74) 3612-3780 e do email: [email protected] para registro de reclamações.

290 kg de carne clandestina são apreendidas pela vigilância sanitária em Juazeiro

(Foto: Divulgação)

Uma equipe da vigilância sanitária e a Polícia Civil de Juazeiro realizaram a apreensão de 290kg de carne de bode clandestina em um frigorífico, localizado na Av. Flaviano Guimarães, em Juazeiro. Toda mercadoria se encontrava sem registro e nota fiscal.

De acordo com o diretor de Vigilância em Saúde, Klynger Farias, a partir do momento que a carne tem nota fiscal e registro, significa que ela foi abatida em um ambiente legalizado, onde todas as normas de higiene preconizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foram obedecidas.

“O estabelecimento foi autuado, a mercadoria foi recolhida e encaminhada a um destino adequado, e o proprietário foi encaminhado para a delegacia para prestar esclarecimentos, visto que a ação foi realizada em parceria com a Polícia Civil”, explica o diretor.

Após receber o auto de infração, o local tem entre 15 e 30 dias para se adequar às normas. Após este prazo, uma nova inspeção será realizada no frigorífico.

Caminhão com 25 toneladas de carne é alvo de bandidos na BR-116, em Salgueiro

(Foto: Arquivo)

Cerca de 15 pessoas em quatro carros, assaltaram um caminhão com 25 toneladas de carne, durante a noite desta quinta-feira (20), na BR-116, próximo a Salgueiro.

Segundo informações da polícia, o grupo estava em quatro carros e interceptaram o caminhão e o levaram para a zona rural. A ação durou cerca de oito horas. O motorista do caminhão, que estava com sua família, foi liberado por volta das 5 h da manhã desta sexta-feira (21).

Durante a ação criminosa os bandidos, descarregaram a carne e passaram para outros caminhões. A Polícia Civil informou que ninguém ficou ferido e que até o momento, ninguém foi preso.

Vigilância Sanitária apreende mais de uma tonelada de carne em Petrolina

(Foto: ASCOM)

Na manhã desta quinta-feira (20), a Agência Municipal de Vigilância Sanitária (AMVS), em parceria com a Agência de Defesa Agropecuária de Pernambuco (Adagro), realizou uma apreensão de mais de uma tonelada de carne bovina e 8 kg de vísceras, em Petrolina. A maior apreensão já realizada na região neste ano.

(Foto: ASCOM)

O material estava em um caminhão baú, sem refrigeração, com ganchos de ferro junto a carne, além de ferrugens no interior do veículo. A abordagem aconteceu próximo a um frigorifico, na Avenida da Integração, no bairro Jardim Maravilha. Toda a mercadoria foi apreendida e doada para alimentação de animais do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (CEMAFAUNA-CAATINGA) e do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz).

O diretor da Agência de Vigilância Sanitária de Petrolina, Anderson Miranda, ressaltou a importância das denúncias realizadas pela população. “Precisamos do apoio da comunidade na realização de denúncia, através da ouvidoria da prefeitura no número 156 ou através do site da prefeitura. Vale ressaltar que estamos diariamente fiscalizando estabelecimentos com o objetivo de garantir a segurança alimentar dos petrolinenses”, frisou.

Ministro da Agricultura vai a Washington tentar retomar exportação de carne

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, irá se reunir com autoridades do governo dos Estados Unidos para debater o reinício da exportação de carne. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi viaja hoje (16) para os Estados Unidos. Ele tem um almoço de trabalho agendado para segunda-feira (17) com o secretário de Agricultura do governo norte-americano, Sonny Perdue, em Washington, quando será discutida a retomada de exportações de carne para os Estados Unidos.

O ministro viaja acompanhado do secretário de Relações Internacionais do Agronegócio, Odilson Silva. A agenda da comitiva inclui, ainda na segunda-feira pela manhã, reunião com o embaixador do Brasil em Washington, Sérgio Amaral, e o adido agrícola do Brasil nos Estados Unidos, Luiz Claudio de Caruso e Santana.

Vigilância Sanitária apreende meia tonelada de carne de sol durante fiscalização em Juazeiro

(Foto: Divulgação/Ascom)

Durante inspeção nesta quinta-feira (6), a equipe da Vigilância Sanitária de Juazeiro apreendeu 500 kg de carne de sol que estavam sem registro e armazenadas em temperatura inadequada.

De acordo com o diretor de vigilância em saúde, Klynger Farias, a temperatura de armazenamento adequada seria de 7º, mas a carne estava sendo conservada em 24º.

“É um produto perecível que fora da temperatura adequada, é um meio de cultura de bactérias. Por isso, há uma preocupação com a procedência desse alimento”, explica.

Além de receber as devidas orientações, o estabelecimento foi notificado e tem o período entre 15 e 30 dias para se regularizar. Após esse período, uma nova inspeção será realizada no frigorífico. Se o ambiente permanecer inadequado, será aberto um Auto de Infração e, a depender da infração, o local poderá ser interditado.

12