Bolsonaro zera PIS/Cofins do diesel por dois meses

(Foto: Ilustração)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) editou, na noite de segunda-feira (1°), um decreto e uma medida provisória que zera as alíquotas da contribuição do Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) do óleo diesel e do gás de cozinha.

No diesel, a redução terá validade por dois meses: março e abril. Já no gás de cozinha, a medida tem caráter permanente. As edições foram publicadas em edição extra do Diário Oficial da União. “As duas medidas buscam amenizar os efeitos da volatilidade de preços e oscilações da taxa de câmbio e das cotações do petróleo no mercado internacional”, informou a Secretária-Geral da Presidência da República.

Antes da decisão do Governo Federal a Petrobras já havia anunciado reajustes nos preços da gasolina, diesel e gás de cozinha para esta terça-feira (2). Os preços estão mais caros nas refinarias a partir de hoje.

Petrobras anuncia mais um reajuste no preço da gasolina

(Foto: Ilustração)

Março começou hoje e a Petrobras já anunciou um novo reajuste no preço da gasolina e diesel a partir desta terça-feira (2). A partir de amanhã o valor nas refinarias será R$ 0,12 mais caro na gasolina e R$ 0,13 no Diesel. Outra alta anunciada é no preço médio do gás de cozinha (GLP).

Gás de cozinha também passa ajuste

O aumento médio será de R$ 0,15 por quilo, equivalente a R$ 1,90 por 13kg, segundo a estatal. 2021 está entrando no seu terceiro mês, porém a gasolina já soma alta de 42% e o diesel 34%. Apesar de o valor ser reajustado apenas nas refinarias, o consumidor final também pode ser afetado, caso os proprietários façam o repasse nas bombas.

Petrobras

No final de fevereiro o presidente Jair Bolsonaro anunciou a substituição de Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna no comando da Petrobras, por conta das constantes altas. De acordo com a CNN Brasil, a Petrobras teve o maior lucro trimestral da história das empresas de capital aberto no Brasil: R$ 59,9 bilhões.

Petrobras anuncia novo reajuste no preço dos combustíveis

(Foto: Arquivo)

O preço do Diesel e da Gasolina ficará mais caro no Brasil a partir desta sexta-feira (19). A Petrobras anunciou hoje (18) mais uma elevação no produto comercializado nas refinarias. Essa é a segunda alta no mês de fevereiro. Dessa forma a gasolina passará a ser vendida a R$ 2,48 e o Diesel a R$ 2,58.

A gasolina sobe 10,2%, enquanto o Diesel a 15,2%. De acordo com a estatal, o reajuste ocorre para o “alinhamento dos preços ao mercado internacional” e “é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras”.

Apesar de o reajuste dessa semana ser nas refinarias, o consumidor final pode sentir a elevação nas bombas, pois os empresários podem repassar a alta nas bombas.

Petrobras anuncia novo reajuste no preço dos combustíveis

(Foto: Guilherme Testa)

A partir desta terça-feira (9) o preço dos combustíveis sofrerá mais um reajuste. A gasolina, diesel e até mesmo o gás de cozinha ficarão mais caros, informou a Petrobras. As altas variam de R$ 0,13 a R$ 0,17 e acontecem dias após uma reunião do Governo Federal que busca controlar as elevações.

A princípio o litro da gasolina vendido R$ 0,17 mais caro nas refinarias. Já o diesel tem alta de R$ 0,13 e o gás de cozinha fica R$ 0,14 mais caro por quilo. A Petrobras informou que os valores praticados “têm como referência os preços de paridade de importação e, dessa maneira, acompanham as variações do valor dos produtos no mercado internacional e da taxa de câmbio, para cima e para baixo”.

De acordo com a CNN Brasil, as altas dessa semana resultarão no aumento médio de 8,2% na gasolina, 6,2% ao diesel e 5,1% no gás de cozinha.

Petrobras anuncia novo aumento na gasolina e no diesel

(Foto: Ilustração)

O anuncio feito nesta segunda-feira (28) informa que a gasolina terá um aumento de 5% e o diesel aumentará 4%. O último reajuste havia sido em 16 de dezembro. Os novos preços entram em vigor nesta terça-feira (29)

Segundo a Petrobras, o preço médio da gasolina para as distribuidoras passa a ser de R$ 1,84 o litro, elevação de R$ 0,09. No acumulado do ano, afirma a companhia, o preço tem redução de 4,1%.

No diesel, o preço médio para as distribuidoras será de R$ 2,02 por litro, aumento de R$ 0,08. Também há queda no acumulado de 2020, de 13,2%, calcula a empresa petrolífera.

Em 2020, a estatal promoveu 41 reajustes para a gasolina, dos quais 20 para cima e outros 21, para baixo. No diesel, foram 32 alterações, com 17 elevações e 15 reduções.

Petrobras reduz em 6% preço do diesel e em 3% valor da gasolina a partir de amanhã

(Foto: Ilustração)

A Petrobras informou nesta quarta-feira que reduzirá o preço do diesel em 6% e o da gasolina em 3% a partir de quinta-feira, após consecutivas altas aplicadas nos valores dos combustíveis em suas refinarias.

A redução do diesel, combustível mais consumido do país, ocorrerá após sete altas seguidas no valor do produto. A gasolina terá queda após duas altas consecutivas, com os últimos reajustes promovidos em 21 de agosto.

O valor médio do diesel na refinaria passará para 1,7111 real por litro, com uma recuperação importante antes as mínimas de cerca de 1,30 real vistas entre abril e maio, segundo dados da Petrobras compilados pela Reuters. Ainda assim, o preço acumulará uma queda de 26,9% no ano, com o impacto da pandemia nas cotações internacionais do petróleo.

No caso da gasolina, o novo preço será de 1,7698 real por litro, após o combustível atingir o maior valor desde janeiro com uma alta realizada em 21 de agosto.

O combustível, que nas mínimas do ano chegou a custar menos de 1 real por litro nas refinarias, acumulará recuo de 7,69% em 2020.

Quando anunciou o último reajuste, o petróleo Brent estava próximo das cotações atuais, de cerca de 45 dólares o barril.

O dólar, outro fator que impacta na paridade de preços seguida pela Petrobras, está mais baixo nesta quarta-feira, a cerca de 5,36 reais, ante os mais de 5,65 reais registrados em 21 de agosto.

O repasse dos reajustes nas refinarias aos consumidores finais nos postos, no entanto, não é garantido, e depende de uma série de questões, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de biocombustíveis

(Por Rodrigo Viga Gaier e Roberto Samora – Reuters)

Petrobras confirma alta de 4% na gasolina a partir de quinta-feira

(Foto: Ilustração)

A Petrobras informou que a partir da quinta-feira (13) a gasolina vai subir 4% nas suas refinarias. Já o diesel terá um aumento de 2%, refletindo a ligeira melhora do preço do petróleo no mercado internacional.

Antes, a Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis) havia informado ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que a estatal havia avisado às distribuidoras que a partir desta quinta-feira o diesel iria aumentar R$ 0,0366 o litro nas refinarias e a gasolina subiria R$ 0,0662 por litro.

Pouco antes do fechamento deste texto, o petróleo tipo Brent usado como referência pela Petrobras subia 1,75%, cotado a US$ 45,28 o barril.

Preço da gasolina cai 9,5% e do diesel, 6,5%, nas refinarias da Petrobras

(Foto: Ilustração)

A crise econômica mundial causada pela pandemia do novo coronavírus e a disputa entre Rússia e Arábia Saudita sobre o nível de produção do petróleo fizeram baixar o preço dos combustíveis nas refinarias da Petrobras. Segundo a estatal, a gasolina teve redução de 9,5% e o diesel, de 6,5%. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (12).

LEIA MAIS

Gasolina e diesel mais baratos nas refinarias da Petrobras a partir desta sexta-feira

(Foto: Heudes Régis/ JC Imagem)

A Petrobras reduzirá novamente os preços da gasolina e do diesel em suas refinarias nesta sexta-feira (31). Será o terceiro corte seguido, acompanhando a queda das cotações internacionais do produto. Em ambos os casos, a redução será de 3%.

O corte será de R$ 0,05 por litro na gasolina e de R$ 0,06 por litro no diesel. O repasse aos postos, porém, depende de políticas comerciais de postos e distribuidoras, que são responsáveis por misturar etanol ou biodiesel e levar os produtos aos consumidores.

Segundo a Petrobras, o valor cobrado por suas refinarias equivale a 30% do preço final da gasolina e 54% do preço final do diesel –o resto são impostos, margens de lucro, etanol e biodiesel. O preço da gasolina nas refinarias já acumula queda de 7,3% no ano. No caso do diesel, a queda acumulada é maior, de 9,8%.

LEIA MAIS

Reajuste de 3% nas refinarias passa a valer nessa terça-feira

Gasolina teve queda de 3% nas refinarias

O preço da gasolina e do diesel comercializado nas refinarias nessa terça-feira (14) já está com queda de 3%. A redução foi anunciada ontem pela Petrobas e vem num momento em que os valores do mercado internacional se acomodaram após uma breve alta, devido aos atritos entre Estados Unidos e Irã.

Ainda é precoce para analisar se o corte nas refinarias alcançará o consumidor final. A gasolina não sofria um reajuste desde 1º de dezembro, enquanto o diesel se mantinha estável desde 21 de dezembro.

Em Petrolina, a gasolina tem preço médio – nos últimos 15 dias de R$ 4.99. O etanol vem sendo comercializado a R$ 3.90 e o diesel a R$ 4.07. Na cidade de Juazeiro, a gasolina pode ser encontrada a R$ 4.98, o etanol a R$ 3.96 e o diesel sai a R$ 4.049.

Petrobras reduz preço da gasolina e diesel nas refinarias

(Foto: Heudes Régis/ JC Imagem)

A Petrobras reduziu 3% no preço do diesel e da gasolina nas refinarias. A medida entra em vigor a partir desta terça-feira (14). O último reajuste anunciado pela companhia para a gasolina foi em 1º de dezembro de 2019 e,  para o diesel, no dia 21 do ano passado.

Segundo o presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), Paulo Miranda Soares, a medida não surpreendeu o mercado. Ele lembrou que, quando começou a tensão entre Irã e Estados Unidos, o preço do petróleo no mercado internacional subiu de US$ 64 para US$ 70 o barril. Como o preço já voltou ao patamar anterior, Soares disse que a tendência é de queda do preço dos dois combustíveis no mercado interno brasileiro.

O presidente da Fecombustíveis ressaltou, porém, que, para o consumidor, a redução do preço deve demorar algum tempo, porque as distribuidoras têm que gerir o estoque, estimado entre 15 milhões e 20 milhões de litros. “Só baixa o preço quando ela [distribuidora] vender o estoque que comprou mais caro”. Para chegar à bomba, deve demorar 15 dias, “porque a concorrência é muito grande no setor de revenda”, disse Soares.

Petrobras eleva preço da gasolina em 3,5% e diesel em 4,2%

(Foto: Ilustração)

A Petrobras anunciou, na noite desta quarta-feira, reajuste nos preços da gasolina e do óleo diesel. Os novos valores passam a valer nesta quinta-feira nas vendas de refinarias para distribuidoras. O litro da gasolina foi reajustado em 3,5% e o do diesel, em 4,2%. Para o consumidor final, porém, sobre esses valores, serão acrescidos encargos tributários e trabalhistas e as margens de lucro dos postos de combustíveis.

Na última segunda-feira, a Petrobras divulgou nota sobre o bombardeio de refinarias na Arábia Saudita, responsável pela produção de 5% do petróleo mundial, o que gerou uma imediata elevação dos preços dos combustíveis no mundo. A estatal informou, na ocasião, que continuaria monitorando os preços do petróleo e não faria um ajuste de forma imediata. O último reajuste da gasolina no Brasil havia sido em 5 de setembro e o do diesel, em 13 de setembro.

Em sua página na internet, a Petrobras explica como funcionam o mecanismo e as decisões de formação de preços dos combustíveis por ela vendidos. “Nossa política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”, explica, em nota, a estatal.

Petrobras anuncia aumento nos preços da gasolina e do diesel

(Foto: Arquivo)

A Petrobras anunciou nesta quinta (5) reajustes de 2,5% no preço da gasolina e de 1,3% no preço do diesel. É o segundo aumento no preço da gasolina em 20 dias. O valor de venda do diesel não variava desde o início de agosto. O preço da gasolina nas refinarias da estatal subirá R$ 0,0223 por litro, passando a custar, em média, R$ 1,6455 por litro. Desde que a série atual de aumentos foi iniciada, a alta acumulada é de 4,9%. No caso do diesel, a alta é de R$ 0,0525 por litro. O preço médio do combustível nas refinarias passou de R$ 2,0962 para R$ 2,1487 por litro.

LEIA MAIS

Apesar de novo reajuste, sindicato afirma que preço da gasolina em Pernambuco teve queda

Apesar de alta que começou a valer ontem (28), não afeta Pernambuco, segundo jornal

Pela terceira vez em agosto, o preço do combustível teve alta autorizada pela Petrobras. O preço médio é de 3,5% mais caro começou a valer ontem (28) nas refinarias de todo país, contudo, segundo a Folha de Pernambuco, no Estado está havendo uma redução nos valores.

LEIA TAMBÉM:

Reajuste de 3,5% no preço do combustível nas refinarias já está em vigor

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Pernambuco (Sindicombustíveis-PE), o reajuste deve equivaler a um aumento de R$0,4 centavos na compra nas distribuidoras. No entanto, mesmo com esse aumento de agora, no acumulado do mês, o preço da gasolina em Pernambuco variou para baixo em 2,7%.

“A rigor, deveria ser repassado, no entanto, como o mercado é livre, fica difícil afirmar se vão ou não repassar o aumento”, explicou o presidente do Sindicombustíveis-PE, Alfredo Pinheiros. A alta anunciada pela Petrobras refere-se apenas a gasolina. O diesel segue inalterado.

Governo Federal pretende estimular caminhoneiros a trocar diesel por gás natural veicular

(Foto: Internet)

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, pretende utilizar o programa Novo Mercado do Gás, que será lançado nesta terça-feira (23), como forma de estímulo para que a frota brasileira de caminhões passe a utilizar o gás natural veicular como principal combustível, diminuindo o consumo de diesel e o custo do frete do Brasil.

Segundo informações do Departamento Nacional de Trânsito, Denatran, a frota a gás do país representa apenas 2,2% do total em circulação atualmente. Apenas 10,6% do gás que é comercializado no Brasil é utilizado para abastecer veículos. A maior concentração do produto está nas grandes indústrias e na geração de energia elétrica.

Os planos do governo incluem a substituição de todas as usinas térmicas movidas a diesel a medida que os contratos de fornecimento forem vencendo, realizando assim a substituição por gás. A ideia é baseada na retirada da Petrobras do mercado de transporte e distribuição de gás, atualmente a empresa possui 70% do mercado.

LEIA MAIS
1234