Estudo mundial aponta Petrolina e Juazeiro como cidades do Brasil que apresentam risco extremo de escassez de água

Rio São Francisco (Foto: Arquivo)

Um estudo mundial sobre recursos hídricos, realizado pela ONG World Resources Institute, divulgado hoje (6) pelo telejornal Bom Dia Brasil da TV Globo, aponta quais países estão em risco de escassez de água. Segundo a pesquisa, 17 países são apontados em risco extremamente alto de falta d’água, 12 deles estão no Oriente Médio ou na África.

Apesar de o Brasil não ser um dos países em pior situação, no estudo, as cidades de Petrolina (PE), Juazeiro (BA) e Juazeiro do Norte (CE) apresentam risco extremo de estresse hídrico, quando a região tem menos água que o necessário.

As causas apontadas para essa escassez de água são: consumo excessivo, desperdício, crise climática e degradação ambiental (áreas de captação de água).

LEIA MAIS

Levantamento aponta Pernambuco com gasolina mais barata do Nordeste

(Foto: Ilustração)

Com preços médios de R$ 4,185 e R$ 4,259, respectivamente, Santa Catarina e São Paulo têm o litro da gasolina comum mais barato do país, conforme levantamento da ValeCard, empresa especializada em meios de pagamentos, benefícios e gestão de frotas. No Nordeste, Pernambuco apresenta o preço médio mais baixo (R$ 4,585). Já Sergipe tem o valor mais alto (R$ 4,763).

Obtidos por meio do registro das transações realizadas em junho em cerca de 20 mil postos credenciados, os dados mostram que Acre e Rio de Janeiro são os estados com o combustível mais caro – R$ 5,115 e R$ 5,015, respectivamente.

Em Petrolina, no mês de junho, o litro da gasolina era comercializado a R$ 5,05, um dos maiores valores cobrados no estado. Hoje, o litro do produto pode ser encontrado em alguns pontos de venda da cidade por R$ 4,87, muito acima da média do levantamento, que é de R$ 4,58, sendo, ainda, uma das mais caras de Pernambuco.

Estudo revela que 80% de diabéticos podem ter doenças cardiovasculares

(Foto: Ilustração)

Um estudo realizado pelo EndoDebate em parceria com a Revista Saúde, mostrou que 80% das pessoas com diabetes tipo 2 apresentam indícios de comprometimento cardiovascular. Mais da metade (52%) indicam pelo menos dois destes sintomas: tontura, dores no peito e nas pernas, falta de ar e palpitações.

Intitulado “Quando o Diabetes Toca o Coração”, o estudo foi lançado em junho pelo laboratório Novo Nordisk e divulgado nesta semana. A pesquisa entrevistou 1.439 pessoas com e sem diabetes tipo 2, com idade entre 47 e 55 anos.

LEIA MAIS

Estudo alerta para o número de mortes por doenças do coração no Vale do São Francisco

Segundo o levantamento, 66% dos pacientes que sobreviveram ao ataque, passaram a sofrer de insuficiência cardíaca.

Um estudo feito com a participação de médicos do Instituto do Coração do Vale do São Francisco – Cardiovasf, revelou que de cada 100 pessoas internadas por infarto agudo, 7,7 delas vêm a óbito em 30 dias. Segundo os pesquisadores, os números preocupam, uma vez que comparado a outros centros de excelência em cardiologia espalhados pelo Brasil, esses índices caem para 2%.

“Acreditamos que vários fatores corroboram para isso, desde a indisponibilidade do serviço de hemodinâmica 24h no SUS [realização de cateterismo de emergência], indisponibilidade de trombolíticos [medicação para desobstruir as artérias coronárias do coração], demora no transporte até centro especializado ou mesmo pela falta de treinamento de médicos nas emergências”, analisa o cardiologista, Samuel Ferro.

O especialista faz parte da equipe do instituto Cardiovasf que colabora com o estudo intitulado RIMA (Registro de Infarto do Miocárdio Agudo), o qual traz ainda outros dados surpreendentes. De acordo com o documento, disponibilizado para as autoridades locais afim de auxiliar na montagem de políticas públicas de excelência, 66% dos pacientes que sobreviveram ao ataque, passaram a sofrer de insuficiência cardíaca.

LEIA MAIS

Petrolina: preço da carne teve redução no mês de setembro, segundo Índice de Cesta Básica

É a segunda redução consecutiva no preço das carnes. (Foto: Internet)

A cesta básica de alimentação apresentou, na comparação do mês de agosto com julho de 2018, deflação de -0,54%, em Petrolina (PE). Nos últimos doze meses, a cidade apresentou inflação de 5,04%, como mostra o boletim da cesta básica de setembro.

No ano de 2018, porém, apresenta deflação de -1,28%. A pesquisa do custo da Cesta Básica do Colegiado de Economia da FACAPE estimou o custo no mês de maio em R$ 289,95, em Petrolina.

O preço do leite em Petrolina continua subindo, porém em menor ritmo. O motivo é a entressafra, que reduz a oferta de leite no campo. O Pão Francês teve um pequeno reajuste pelo segundo mês consecutivo devido aos aumentos dos custos de produção, tanto da farinha de trigo quanto da energia elétrica, segundo o DIEESE.

No caso da Farinha de Mandioca, existe baixa oferta da matéria prima. Contudo, a tendência é de que este pequeno aumento seja pontual e que os preços reduzam nos próximos meses. No caso das carnes, é a segunda redução consecutiva, pois o aumento da oferta diminui seu preço.

De acordo com Dieese, salário mínimo deveria ser de R$ 3.674,77

O valor é 3,85 vezes o salário mínimo atual. (Foto: Ilustração)

Segundo estimativa do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgada nessa segunda-feira (06), o salário mínimo necessário para sustentar uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.674,77. O valor é 3,85 vezes o salário mínimo em vigor, que é de R$ 954.

Mensalmente, o departamento divulga uma estimativa de quanto deveria ser o salário mínimo para atender as necessidades básicas do trabalhador e de sua família, de acordo com o que estabelece a Constituição Federal, que garante moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social.

Desde janeiro, está em vigor no país o salário mínimo de R$ 954 O valor é 1,81% (ou R$ 17) maior que o mínimo de 2017, de R$ 937 Esse reajuste ficou abaixo da inflação acumulada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) no ano passado, de 2,07%, o que significa que o salário perdeu poder de compra de 2017 para 2018.

O decreto do salário mínimo estabelece, ainda, o valor diário de R$ 31,80, e o valor por hora de R$ 4,34.

Educação de Cabrobó apresenta forte avanço com os números positivos do Idepe 2017

O balanço regional no Idepe foi apresentado durante encontro na GRE em Petrolina. (Foto: ASCOM)

A política de educação do prefeito de Cabrobó, Marcílio Cavalcanti (MDB-PE), tem levado bons resultados à população. A cidade obteve excelentes resultados entre os sete municípios que fazem a Gerência Regional de Educação Sertão do São Francisco que – além de Cabrobó – é integrada por Petrolina, Santa Maria da Boa Vista, Lagoa Grande, Afrânio, Dormentes e Orocó.

Os números do Índice de Desenvolvimento da Educação em Pernambuco (Idepe), referentes aos dois últimos anos, mostram a evolução e o rumo certo da política educacional adotada pela gestão atual do município. Cabrobó foi a cidade com maior crescimento regional, com cinco escolas premiadas.

O destaque foi a Escola de Ensino Integral Evandro Ferreira, a que mais evoluiu no Idepe nos anos finais do ensino fundamental que vai do 6º. e o 9º. ano. A cidade ficou também em terceiro lugar na região entre os anos iniciais, do 1º. ao 5º. Ano.

LEIA MAIS

Projeto da Facape pretende auxiliar no controle social de cidades do Vale do São Francisco

O Brasil é o 96º país no ranking que analisa a percepção de corrupção no mundo. (Foto: Internet)

A população do Vale terá mais um aliado no acompanhamento dos destinos que são dados aos recursos públicos dos municípios. A partir do mês de agosto o colegiado do curso de Ciências Contábeis da Facape iniciará as atividades do projeto “Observatório do Vale”, um instrumento de pesquisa que servirá para que os estudantes da graduação em Ciências Contábeis e Pós-Graduação em Contabilidade e Controladoria Pública da Instituição desenvolvam um trabalho de mapeamento das contas públicas das cidades, com informações fornecidas pelo Portal da Transparência.

Através de uma ação de cruzamento de dados, serão gerados relatórios que servirão de subsídio para a pesquisa dos estudantes e para oferecer orientações e consultorias aos gestores municipais quanto aos gastos públicos.

A iniciativa tem o objetivo de estimular nos alunos e na população a relevância do controle social para o equilíbrio fiscal, econômico e social dos recursos que chegam às Prefeituras, indicando se os investimentos estão sendo revertidos em benefícios para a população em áreas como saúde e educação.

LEIA MAIS

Pernambuco tem a 6ª maior taxa de homicídio do país, aponta estudo

(Foto: Internet/Ilustração)

Um estudo apresentado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) nessa terça-feira (5) apontou Pernambuco com a sexta maior taxa de homicídio no país. Os dados do 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública são referentes ao ano de 2016.

O Anuário é realizado em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Em 2016, 62.517 pessoas foram mortas no país, isso representa uma taxa de 30,3 morte a cada 100 mil habitantes. A taxa de homicídio no Brasil equivale a 30 vezes a da Europa.

LEIA MAIS

Petrolina está entre as 15 cidades com melhor índice de saneamento básico, segundo estudo

Segundo o estudo, de 2016 até março deste ano, a cobertura de esgotamento sanitário em Petrolina cresceu mais 20%.

O novo ranking divulgado pelo Instituto Trata Brasil posiciona Petrolina entre as 15 cidades com melhor índice de saneamento básico. O estudo avaliou indicadores de cobertura de abastecimento de água e de coleta e tratamento de esgoto nos 100 maiores centros urbanos do país. Petrolina subiu 20 posições no ranking em relação ao estudo do ano passado.

“Temos um dos maiores programas de saneamento do Brasil e os resultados começam a aparecer, fruto da determinação do governador Paulo Câmara em continuar avançando fortemente nessa área tão importante para a saúde pública e preservação do meio ambiente”, afirmou o presidente da Compesa, Roberto Tavares.

Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), esse salto se deve aos investimentos feitos pelo Governo do Estado e pela companhia na ampliação dos serviços de esgotamento sanitário na cidade.

LEIA MAIS

Leitora lamenta situação da Biblioteca Municipal de Petrolina

Atraso na reforma tem atrapalhado estudos, segundo leitora. (Foto: Arquivo)

Diante da dificuldade de concurseiros e estudantes de Petrolina em encontrar locais adequados para dar seguimento aos seus estudos, uma leitora lamentou a situação da Biblioteca Municipal Cid Carvalho, localizada em Petrolina (PE). Indignada, ela reclama do atraso na entrega da reforma do prédio que começou na gestão passada.

Confira o relato

Biblioteca Cid Carvalho

É com pesar e lágrimas nos olhos que escrevo mais uma vez para o blog com o objetivo de relatar a situação precária, triste e de descaso com a população de Petrolina, aliás, com os estudantes e concurseiros do Vale do São Francisco.

Petrolina, cidade conhecida mundialmente sua exportação de frutas e comidas típicas, primeira cidade do sertão pernambucano com faculdades, uma federal, estadual e Municipal, porém, precária em cultura. A preferência que seja lembrada por um São João (milionário com artistas famosos), do que uma reforma adequada e de qualidade para os estudantes da região.

A cidade, hoje, não tem um espaço de estudo oferecido pelo município, sendo necessário utilizar as bibliotecas das faculdades ou salas de estudos dos cursinhos preparatórios.

Tudo começou na gestão anterior, depois de várias manifestações dos frequentadores da biblioteca, o senhor prefeito pediu o prédio para uma reforma. Reforma essa que até os dias atuais continua, e, a, biblioteca sem atendimento ao público. Detalhe, a reforma feita na mesma não passou de conserto no teto (Precisava com urgência, é verdade!), pintura nas paredes e vidros separando os funcionários do público.

Tinha um aviso na entrada falando que seria reaberta no dia 26 de outubro de 2017, chegando lá foi encontrada no mesmo estado, com um novo aviso: atendimento interno, sem limpeza nenhuma e os funcionários morrendo no calor. Afinal, além de não colocarem refrigeradores, ainda colocaram vidros onde circulava o ar.

Portanto, fica minha indignação. Primeira como eleitora, segunda como pagadora de impostos e cidadã e terceiro e não menos importante estudante que precisa urgente de espaço para estudar.

Obrigada!

Paula Sá

Petrolina, 14 de novembro de 2017”.

Greenpeace identifica veneno em 60% dos alimentos mais comuns na mesa dos brasileiros

O estudo foi uma iniciativa do Greenpeace. (Foto: Internet)

Uma análise de 12 alimentos comuns nas dietas dos brasileiros revelou resíduos de pesticidas em 60% das amostras e vestígios do uso ilegal de agrotóxicos em mais de um terço do material. A lista de itens contaminados inclui arroz, feijão, banana, mamão, laranja, tomate, café e pimentão.

O estudo foi uma iniciativa do Greenpeace. A organização adquiriu 113 quilos de 12 variedades de alimentos, entre os dias 11 e 13 de setembro, em centrais de abastecimento de São Paulo e de Brasília. As amostras obtidas foram analisadas pelo Laboratório de Resíduos de Pesticidas (LRP) do Instituto Biológico de São Paulo, ligado ao governo do estado.

Os 113 quilos de alimentos foram divididos em 50 amostras, das quais 30 continham resíduos de agrotóxicos. Desse total, 18 apresentavam algum tipo de irregularidade, como a presença de agrotóxicos proibidos no Brasil, que não são permitidos para determinadas culturas, ou em concentrações superiores à máxima estipulada pela legislação.

No total, 13 amostras apresentavam agrotóxicos proibidos para aquela cultura específica. Três amostras continham agrotóxicos permitidos, mas em nível superior ao máximo permitido.

LEIA MAIS

Pernambuco é o 4º Estado mais violento do País, segundo estudo

Levando em consideração a taxa de assassinatos, o Estado não tem o que comemorar. (Foto: ASCOM)

A violência tem crescido escandalosamente no Brasil. Corroborando essa afirmação, uma pesquisa apresentada nessa segunda-feira (30) no 11º anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostrou que o número de mortes violentas intencionais no país passou de 58.870 em 2015 para 61.619 em 2016, um crescimento de 3,8%, o que representa uma média de 7 assassinatos por hora.

Com 4.479 homicídios registrados em 2016, Pernambuco ocupa o 4º lugar no ranking brasileiro de mortes violentas
intencionais, ficando atrás somente da Bahia (7.110), Rio de Janeiro (6.262) e São Paulo (4.925). Em 2015, Pernambuco estava na 6ª colocação, com 3.889 homicídios.

“As estatísticas confirmam Pernambuco como o quarto Estado mais violento do Brasil. Um dado preocupante da pesquisa é a diminuição nos investimentos em segurança pública no Brasil inteiro”, declara Tales Ferreira, um dos integrantes do Movimento PE de Paz, criado em fevereiro último por igrejas e instituições sociais cristãs em função do aumento da violência no Estado.

A taxa de homicídios no País subiu de 28,8 por 100 mil habitantes em 2015 para 29,9 em 2016. Pernambuco está acima da média nacional, com taxa de 47,6 homicídios por 100 mil habitantes em 2016 e crescimento de 14,4% em relação a 2015.

Levando em consideração a taxa de assassinatos, o Estado não tem o que comemorar. Saiu do 7º lugar em 2015, com 41,6 homicídios por 100 mil habitantes para a 6ª posição em 2016. No Nordeste, os Estados com maiores taxas são Sergipe (de 57,3 assassinatos por 100 mil habitantes para 64 no mesmo período), Rio Grande do Norte (de 48,2 para 56,9) e Alagoas (de 54,1 para 55,9).

Ao comentar a pesquisa, o governador Paulo Câmara disse que o Estado sempre divulgou os dados da violência e desde 2014 os números vêm aumentado (já ocorreram 4.145 no Estado, de janeiro a setembro deste ano). “Estamos trabalhando para reverter, temos 20 mil novos policiais nas ruas contratados, mais 1.300 PMs na academia e teremos mil policiais civis em janeiro nas delegacias. Estamos em busca de diminuir esse número”, declara. O Fórum usa como fonte de dados os registros policiais de instituições de segurança pública do País.

Com informações do JCOnline

Estudantes da Fundação Getúlio Vargas pesquisam Sistema de Educação de Petrolina

Os alunos da FGV também estão conhecendo projetos desenvolvidos pela prefeitura. (Foto: ASCOM)

A capital do São Francisco, Petrolina, está recebendo estudantes do Curso de Administração Pública da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo. Os visitantes estão realizando um estudo sobre a educação do município e suas transversalidades.

Petrolina foi uma das cinco cidades selecionadas nos país, em quatro estados brasileiros: Piauí, Pernambuco, Minas Gerais e Paraná, para receber os estudantes. A escolha partiu por conta de uma parceria da FGV com o Instituto Communitas.  Segundo a estudante Victória Durello, o objetivo da visita é realizar um diagnóstico para saber como a Secretaria de Educação trabalha com a Educação Pública. O resultado da pesquisa será apresentado em São Paulo, na própria FGV no dia 07 de novembro, como resultado final da disciplina.

Como parte da agenda dos estudantes, eles acompanharam, nesta terça-feira(24), a realização do projeto Prefeitos do Amanhã na escola Moisés Barreto, na Agrovila Massangano. Na oportunidade, o prefeito Miguel Coelho, agradeceu a visita dos futuros administradores e destacou a importância do intercambio de saberes.

“É uma troca de experiências importante é que mostra Petrolina como um exemplo na educação pública. A FGV é referência nacional em conhecimento e ensino, portanto, ser alvo de estudo desta instituição nos dá orgulho e motivação para buscar aperfeiçoar ainda mais o trabalho na rede municipal”.

Os alunos da FGV também estão conhecendo projetos desenvolvidos pela prefeitura e terão reuniões com gerentes, técnicos e com a secretária de Educação, Maéve Melo, além de visitar unidades, a exemplo da José Esmerindo Ribeiro, a maior da Rede Municipal. A comitiva fica na cidade até o próximo sábado.

OAB Pernambuco entrega à Secretaria de Defesa Social diagnóstico sobre segurança pública no estado

O relatório propõe ainda iniciativas como instituir canais permanentes de diálogo com a sociedade civil organizada. (Foto: ASCOM)

O presidente da OAB-PE, Ronnie Preuss Duarte, entregou na tarde desta quarta-feira (11) ao secretário estadual de Defesa Social, Antônio de Pádua, o diagnóstico que a instituição produziu sobre a atual política de segurança pública em Pernambuco.

Elaborado pela Comissão Especial de Segurança Pública (Cesp) da OAB-PE, após um amplo estudo de campo e de mapeamento de informações de diversas fontes, o documento traz, entre outros pontos, uma série de sugestões em diversas esferas para reduzir os números da violência no estado.

O material apresentado é resultado de sete meses de atividades ininterruptas por parte da Cesp. O grupo foi representado na reunião pelo presidente João Olímpio Mendonça, o vice Leonardo Oliveira e o membro Eduardo Dias da Silva Jordão Emerenciano.

“Os trabalhos foram focados na identificação objetiva das causas da crise na segurança pública evitando-se a politização das discussões. Nesse sentido, a Comissão ouviu autoridades, especialistas e entidades relacionadas com a temática”, comentou João Olímpio Mendonça.

LEIA MAIS
12