Fake news: médico petrolinense volta a ser associado a Adélio Bispo

Mensagens alegam que o médico é irmão de Adélio Bispo

O médico ortopedista Marcos Heridjano Mauro Bezerra voltou a ser alvo de fake news. Ele atua em Petrolina e se viu novamente no meio de um turbilhão de mensagens alegando que ele é irmão de Adélio Bispo, o homem que esfaqueou Jair Bolsonaro (sem partido) na campanha de 2018.

A repercussão foi tamanha que o checador de fatos ou fakes do portal UOL fez uma matéria nessa quarta-feira (29) para desmentir o boato. Teorias conspiratórias alegam uma foto do médico ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) indicam ser a esquerda a responsável pelo atendado.

A foto que ilustra a matéria foi tirada em setembro de 2016, em um evento de apoio à candidatura de Odacy Amorim (PT) à prefeitura de Petrolina, no qual Lula participou. Segundo as mensagens falsas, isso explicaria o fato de Adélio ter atentado contra Bolsonaro na campanha passada.

Contudo, o UOL não encontrou qualquer indicativo de parentesco entre Marcos e Adélio. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, Adélio tem quatro irmãos e, como ele, nenhum deles tem o nome ou sobrenomes iguais aos de Marcos. A assessoria do ex-presidente Lula negou que o médico seja parente de Adélio.

Antes do UOL, Aos Fatos e o Estadão Verifica já haviam checado a mesma informação como falsa em outras situações em que a corrente circulou.

Deputado Federal Fernando Filho desmente Fake News envolvendo seu nome e do pai em votação do Auxílio Emergencial

O deputato federal Fernando Filho (DEM), irmão do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho e filho do senador Fernando Bezerra Coelho, divulgou um vídeo desmentindo um card que foi divulgado nesta segunda-feira (20), nas redes sociais, dando conta de que ele (Fernando Filho) e o pai teriam votado contra a prorrogação do pagamento do auxílio emergencial do governo federal. Segue o card divulgado.

Facebook derruba rede de fake news ligada à família Bolsonaro e ao PSL

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (8) que derrubou uma rede de perfis falsos ligados ao PSL e a funcionários dos gabinetes do presidente Jair Bolsonaro, do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) e dos deputados estaduais pelo PSL do Rio de Janeiro Anderson Moraes e Alana Passos.

O anúncio foi feito numa chama online com jornalistas de diversos países, segundo o Estado de S. Paulo, que participou da chamada. Foram identificadas 35 contas, 14 páginas, 1 grupo e 38 contas no Instagram. As páginas no Facebook tinham 883 mil seguidores, enquanto as contas no Instagram tinham 917 mil seguidores. 350 pessoas estavam no grupo., diz o jornal.

No material postado estavam conteúdos relacionados às eleições, memes políticos, críticas à oposição, empresas de mídia e jornalistas, além de material relacionado ao coronavírus. Segundo a rede social, parte do conteúdo dessa rede já havia sido removido da plataforma por violar os padrões de comunidade. Entre as violações estavam conteúdo de discurso de ódio.

Além do Brasil, foram derrubadas redes nos EUA, na Ucrânia e na América Latina, incluindo países como El Salvador, Argentina, Uruguai, Venezuela, Equador e Chile. No caso brasileiro, as investigações e remoções ocorreram a partir de notícias na imprensa brasileira e referências feitas ao assunto no Congresso durante a CPMI das fake news.

Por 10×1, STF define constitucionalidade e a manutenção do inquérito das fake news

(Foto: Internet)

Com um placar de 10×1, o Supremo Tribunal Federal (STF) finalizou, nesta quinta-feira (18), a apreciação da Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF 572) que contesta o inquérito das fake news iniciado pela Corte. Por ampla maioria, o plenário decidiu pela manutenção da investigação, aferindo, por consequência, a constitucionalidade do inquérito.

Ao defender a continuidade da investigação, o decano Celso de Mello enfatizou o papel de “guardião da Constituição”, segundo ele, garantido ao STF por meio de Assembleia Constituinte: “A Constituição é o que o STF diz que ela é”, afirmou.

LEIA MAIS

Hospital Universitário faz esclarecimento para combater possível propagação de “notícias falsas”

(Foto: Arquivo)

Diante do cenário de possível propagação de “notícias falsas”, o Hospital Universitário nega, veementemente, a acusação que aponta suposta manipulação de dados referentes aos seus pacientes com Covid-19.

O HU vem seguindo os protocolos do Ministério da Saúde para identificar ação e tratamento dos pacientes, sejam eles suspeitos ou confirmados, com Covid-19.

Todos os dados estatísticos são produzidos tecnicamente e encaminhados, diariamente, a órgãos fiscalizadores como: o Ministérios Públicos dos estados de Pernambuco e Bahia e para à Secretária Municipal de Saúde de Petrolina-PE para acompanhamento dos números.

O Setor Jurídico do Hospital Universitário já está analisando o caso e tomará as medidas cabíveis.

Em defesa de aliados, Bolsonaro diz que tomará ‘medidas legais’ para proteger a Constituição

Após a operação deflagrada pela Polícia Federal, nessa terça-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender seus apoiadores. Autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a operação cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços ligados a parlamentares e apoiadores bolsonaristas. Ela visa apurar a origem do financiamento dos grupos suspeitos de praticar atos antidemocráticos.

Sem citar nomes, Bolsonaro fez uma série de postagens no Twitter na noite de ontem, com críticas indiretas ao fato. “Só pode haver democracia onde o povo é respeitado, onde os governados escolhem quem irá governá-los e onde as liberdades fundamentais são protegidas. É o povo que legitima as instituições, e não o contrário. Isso sim é democracia”, defendeu.

LEIA MAIS

STF quebra sigilo bancário de deputados em inquérito sobre atos antidemocráticos

(Fotos: Pedro Valadares,Michel Jesus e Will Shutter/Agência Câmara)

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes determinou, nesta terça-feira (16), a quebra do sigilo bancário de quatro deputados bolsonaristas a fim de investigar se eles atuaram no financiamento dos atos antidemocráticos, que pedem o fechamento do STF e do Congresso Nacional.

Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Cabo Junio Amaral (PSL-MG) e Otoni de Paula (PSC-RJ) estão entre os parlamentares envolvidos na quebra de sigilo. Segundo o ministro, há indícios de que eles manifestaram apoio aos atos antidemocráticos que vem acontecendo no Brasil.

LEIA MAIS

Juazeiro: lei que combate fake news durante pandemia é sancionada

O debate sobre fake news é nacional e para tentar coibir a disseminação de notícias falsas durante a pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Juazeiro (BA) sancionou a Lei n° 2.929/2020 que prevê punição a quem disseminar falsas informações na internet.

A lei foi promulgada no Diário Oficial da última sexta-feira (12) e prevê “aplicação de sanções a pessoas físicas ou jurídicas que dolosamente, valendo-se da internet, redes sociais ou outros meios, divulgar informação ou notícia falsa” em relação aos dados da covid-19 e outras epidemias.

Pelo texto fica prevista punição ao autor da notícia falsa e quem colaborar com ele. Além da punição financeira de 250 unidades de referência fiscal de Juazeiro, o infrator poderá responder civil e penalmente.

Instagram volta a notificar Regina Duarte após realizar postagem com fake news

(Foto: Marcos Corrêa/PR)

Ex-secretária especial da Cultura, a atriz Regina Duarte foi mais uma vez notificada na rede social Instagram após realizar uma postagem contendo informação falsa. A publicação, feita na tarde desta quinta-feira (4), trata-se sobre algumas pandemias que aconteceram no passado.

A publicação em questão atribuída como fake diz em língua espanhola que as grandes pandemias teriam acontecido a cada 100 anos, em 1720 (peste negra), 1820 (cólera), 1920 (gripe espanhola) e 2020 (Covid-19).

LEIA MAIS

PF cumpre mandados em ação contra fake news, Roberto Jefferson é um dos investigados

Roberto Jefferson se aproximou do governo Bolsonaro (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã dessa quarta-feira (27) uma ação para combater a disseminação de fake news. As equipes estão cumprindo 29 mandados de busca e apreensão autorizados pela Justiça, dentro de um inquérito existente no Supremo Tribunal Federal (STF) desde 2019.

As equipes da PF estão no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina. O inquérito é autorizado pelo ministro do STF, Alexandre de Moraes que já foi vítima das fake news. Entre os alvos da operação está o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), investigado no escândalo do Mensalão.

Além dele, o blogueiro Allan dos Santos do Terça Livre, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL), a ativista Sara Winter, o comediante Rey Bianchi, o youtuber Enzo Momenti e o empresário Luciano Hang são investigados. Garcia chegou a ter computadores do seu gabinete apreendidos e lamentou a ação da PF.

O foco da operação é identificar o grupo suspeito de operar uma rede de divulgação de notícias falsas contra autoridades, bem como quatro possíveis financiadores dessa equipe. O inquérito foi aberto no dia 14 de março do ano passado, pelo presidente do STF, Dias Toffoli para apurar também ameaças aos membros do STF e seus familiares. Não foram expedidos mandados de prisão.

 

 

Projeto do curso de Jornalismo da UNEB combate disseminação de fake news durante pandemia do coronavírus

Da academia para as ondas dos rádios

Desde o início da pandemia do novo coronavírus muitas fake news começaram a ser veiculadas a respeito da doença. Buscando esclarecer dúvidas sobre transmissão e sintomas da covid-19, dois estudantes de Jornalismo da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em Juazeiro, estão a frente do “Tome Tento Coronavírus”, projeto de extensão criado especialmente para esse momento de pandemia.

À frente da iniciativa estão Jayanne Rodrigues e Pedro Miranda, alunos do 7º período, sob a supervisão da professora Teresa Leonel, coordenadora do projeto. O formato escolhido por eles foi o “spot”, com áudios curtos e informativos.

O conteúdo é veiculado em rádios comunitárias e comerciais de Juazeiro, Curaçá e Senhor do Bonfim (BA), além de Tauá (CE). O público com acesso a internet também pode acompanhar os informativos através do YouTube ou Spotify.

LEIA MAIS

Projeto de Lei das Fake News “empanca” na Assembleia Legislativa da Bahia

Por acordo entre as bancadas de situação e oposição, lideradas pelos deputados Rosemberg Pinto (PT) e Sandro Régis (DEM), respectivamente, a Assembleia Legislativa da Bahia recuou da votação de requerimento de urgência dos projetos de lei 23.864/2020 e 23.863/2020, anteriormente inseridas na pauta desta quinta-feira (14). Ambas receberam pedido de vista. Os projetos devem retornar à pauta na próxima semana, possivelmente na quarta-feira (20).

As propostas versam sobre o estabelecimento de sanção a quem, ilicitamente, divulga fakenews sobre epidemias, endemias e pandemias e cria o Sistema de Proteção Social de Policiais e Bombeiros Militares e criação de fundo para pagamento de aposentadorias e pensões nas duas corporações.

Conforme indicado pelo relator, deputado Bobô (PCdoB), o projeto 23.864/2020 prevê multa que varia entre R$5 mil e R$25 mil  para quem divulgar por meio impresso, televisivo ou digital e outros meios notícias falsas sem citar fonte primárias. Os recursos oriundos das multas, que serão atualizadas pela taxa Selic, serão destinados a ações de combate à pandemias, endemias e epidemias.

Ao solicitar vistas do projetos, o deputado Alan Sanches reafirmou o acordo feito entre as bancadas e destacou que discutiria com os colegas de bancada os pontos previstos pelo texto.

Prefeitura de Sobradinho presta queixa policial e ajuizará ação contra autor de Fake News

A Prefeitura de Sobradinho informou nesta quarta-feira (13), que registrou uma queixa crime na Polícia Civil e está ajuizando uma Ação Civil Pública de Dano Moral Coletivo contra Alexsandro Nunes, autor de uma fake news, que circulou nas redes sociais na semana passada, sobre o atendimento a um paciente internado no Hospital Municipal Maria Auxiliadora Torres, com sintomas de síndrome gripal.

Além de disseminar, em um áudio, notícia falsa sobre a estrutura e os procedimentos adotados pela equipe técnica do hospital, o autor da fake-news ainda utilizou indevidamente a imagem do paciente, expondo um idoso, para induzir a população sobradinhense à falsa ideia de que havia falhas no atendimento hospitalar.

LEIA MAIS

Petrolina confirma mais dois casos da Covid-19 e nega nova morte por coronavírus

(Foto: ASCOM)

A Prefeitura de Petrolina informa nesta quarta-feira (6) mais dois resultados positivos para o novo coronavírus (Covid-19). Desta forma, o município passa a ter 54 casos confirmados da doença. São duas mulheres – de 34 e 48 anos. Ambas estão em isolamento domiciliar. Agora são 38 casos confirmados através dos testes rápidos da prefeitura e 16 diagnosticados pelo laboratório do governo do estado. Desse total, 18 casos já são considerados curados clinicamente, com um óbito registrado.

SRAG

O boletim com dados relacionados à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) aponta que 25 casos são investigados e 30 foram descartados. Confirmados somam 9 casos, além de um óbito.

Fake news

É falsa a notícia de que uma pessoa morreu devido à infecção pelo novo coronavírus em Petrolina, nesta quarta-feira. A Prefeitura informa que ocorreu um óbito na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Pedra Linda, mas o paciente não tinha suspeita da Covid-19.

O paciente, de 61 anos, procurou a unidade, já passando mal. A causa clínica foi hepatopatia crônica. Porém, teve uma evolução muito rápida para o óbito. O homem faleceu dentro da unidade com hematêmese (vomitando sangue). Ele também tinha outras comorbidades, como diabetes e hepatite C, sem nenhum sintoma relacionadado à Covid-19.

Outro boato

Também nesta quarta-feira, começou a circular em grupos de WhatsApp um texto fazendo referência à Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Petrolina, o qual aponta 279 casos de pessoas infectadas pela Covid-19 em Petrolina. A prefeitura destaca que todos os casos relacionados à pandemia de coronavírus estão sendo divulgados diariamente pelo boletim oficial e qualquer informação que não tenha como fonte a Prefeitura de Petrolina não deve ser considerada como verídica e oficial. Qualquer dúvida, é só acessar: petrolina.pe.gov.br/coronavirus.

Justiça suspende Fake News contra ex-prefeito de Juazeiro Isaac Carvalho

(Foto: Ascom)

O Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA) decretou liminarmente que uma publicação feita por um usuário do Facebook fosse removida da rede social, sob pena de multa diária no valor de R$ 200,00. A assessoria jurídica de Isaac Carvalho apontou a infração compartilhada por Arilson Jansen em seu perfil virtual, o que pode configurar como ato de denunciação caluniosa, quando acusa o ex-prefeito de Juazeiro de desvio de verba pública. Pois, é de conhecimento popular que o processo ao qual se refere está sub judicie, nada havendo de condenação neste sentido.

No texto, o Juiz Valécius Passos Beserra recorre à decisão do próprio Tribunal a respeito do processo ao qual se referia à postagem, lembrando que o mesmo pende de julgamento de agravo em recurso especial no Superior Tribunal de Justiça (STJ). “Esta decisão pende de julgamento de agravo em recurso especial no STJ. Assim, não se pode acusá-lo de desvio de verba pública se não houve trânsito em julgado”.

LEIA MAIS
1234