“A força política está aqui nesse palanque”, afirma Lucas Ramos em ato do PSB, em Petrolina

Lucas Ramos destacou força política da oposição

Aniversariante da sexta-feira (14), o deputado estadual Lucas Ramos (PSB) fez um discurso firme contra o Governo Federal, destacou a atuação dos socialistas na oposição às matérias como reforma da Previdência e ironizou a chamada força política dos Coelho, cujo líder do Senado é Fernando Bezerra Coelho, pai do atual prefeito de Petrolina, Miguel Coelho.

Pleiteando a Prefeitura local, Lucas foi firme. “Quando a gente liga o rádio, escuta o noticiário e lê o jornal ouve muito falar sobre a força política. A força política está aqui nesse palanque“, afirmou citando a presença dos prefeitos de Lagoa Grande, Afrânio, Dormentes, Santa Maria da Boa Vista, Santa Filomena e outros locais.

União da Oposição

Se o sertanejo é forte, ele precisa se unir e união é o que a gente vai pregar nessa cidade. As forças politicas de oposição de Petrolina, formadas por Odacy Amorim, Dulcicleide Amorim, Cristina Costa, Gabriel Menezes, Gilmar Santos, Julio Lóssio, Paulo Valgueiro, Elismar e ainda com a nossa força política e é exatamente o que a gente vai defender: união“, disse.

Lucas já deixou clara sua intenção de concorrer à Prefeitura e é o provável candidato do PSB, tendo inclusive o apoio do deputado federal Gonzaga Patriota, seu colega de partido. Porém, a Oposição ainda não bateu o martelo se irá com uma única candidatura ou apresentará várias em Petrolina.

Ronaldo Silva critica Oposição por só cobrar demandas ao grupo Coelho

Vereador criticou cobranças constantes da Oposição ao grupo Coelho (Foto: Blog Waldiney Passos)

Aliado do governo municipal, Ronaldo Silva (PSDB) usou seu tempo de fala na sessão de quinta-feira (6) para criticar a Oposição e a população de Petrolina que apenas faz cobranças ao grupo Coelho. Para o vereador, a chamada “força política” não se restringe a uma família e sim a todos os políticos eleitos com votos dos petrolinenses.

Antes da sessão de ontem Ronaldo participou do programa Super Manhã na Rádio Jornal e ouviu cobranças de um ouvinte, a respeito das escolas do Ensino Médio, o que motivou sua fala. “A responsabilidade da escola de segundo ano é do Governo do Estado, que não tem feito a parte dele no município de Petrolina. O povo cobra da nossa força política, para o povo de Petrolina e a Oposição a força política da nossa cidade é Fernando Bezerra, Fernando Filho, Miguel e Antônio Coelho”, afirmou.

Em seguida o edil citou vários políticos, alegando que os mesmos não atuam na região. “Os outros que são aliados do governador Paulo Mentira, aproveite os deputados que os senhores trouxeram para Petrolina para dar voto, a força política é todos que foram votados na nossa cidade, assim como o deputado Lucas Ramos, Dulcicleide Amorim, Gonzaga Patriota, Luciano Bivar e Fernando Monteiro. Pergunte quanto eles colocaram aqui?  Vão trabalhar e deixa quem trabalha, trabalhar pelo povo“, finalizou.

Vitória eleitoral de aliados a Temer dá força a reforma

(Foto: Internet)

O primeiro teste de compromisso da base com a pauta de Temer após a disputa municipal ocorreu na noite de quarta-feira. (Foto: Internet)

O resultado nas eleições municipais de partidos aliados do presidente Michel Temer deu fôlego para o avanço da agenda de reformas no Congresso, avaliam parlamentares que integram a base do governo.

Segundo a análise de congressistas, a derrota do PT nas urnas, principal partido de oposição, e a vitória de candidatos a prefeito que defendem uma gestão austera, como João Doria (PSDB) em São Paulo, devem facilitar a aprovação da PEC que fixa um limite para os gastos públicos, a primeira grande reforma do governo após o impeachment de Dilma Rousseff. A proposta deve ir ao plenário na próxima semana.

LEIA MAIS

E agora Guilherme? Rifado pelo prefeito, Coelho tem que provar força eleitoral

Guilherme e Julio

Preterido por Julio Lóssio, Guilherme Coelho é desafiado a provar força política

A definição do nome do vereador Edinaldo Lima para ser o candidato a prefeito do grupo liderado por Julio Lossio, deve trazer enormes consequências para a aliança entre o PMDB e o PSDB, que alimentava, após apoiar o atual gestor por duas vezes seguidas, o sonho de ter o atual deputado federal Guilherme Coelho como o escolhido para sucedê-lo na prefeitura.

Guilherme Coelho concedeu entrevistas em várias rádios e blogs locais reiterando o desejo de ser o candidato de Julio. Disse que a decisão não poderia ser imposta, que o candidato não poderia ser indicação pessoal de ninguém, mas de grupo e falou do sonho de voltar a governar Petrolina, chegando a afirmar, inclusive, que seria candidato com ou sem o apoio de Lossio.

E agora, Guilherme mantém a palavra ou desiste de sua pré-candidatura já que não obteve o apoio do prefeito?

Para alguns seguidores de Osvaldo Coelho, Julio, que obteve o apoio do ex-deputado nas duas vezes que se candidatou a prefeito, deveria, em gesto de gratidão, ter apoiado a candidatura de Guilherme, portanto, acreditam que Lossio foi egocêntrico ao não retribuir a mão estendida no passado pela família Coelho.

Prepostos do prefeito apostam que Guilherme Coelho, apesar de ser filho de Osvaldo, não herdará o espolio político deixado pelo pai. Eles acreditam que Julio Lossio deve receber mais apoios dos eleitores do saudoso deputado por ter ficado muito próximo dele nos últimos anos.

Caso Guilherme Coelho mantenha a sua pré-candidatura, ou decida apoiar outro candidato que não Edinaldo, comenta-se até que ele poderia se juntar ao grupo do senador Fernando Bezerra e abraçar a candidatura de Miguel Coelho, repito, esse é apenas um comentário do meio político, mas uma possibilidade não descartada, então, em qualquer das hipóteses, essa seria uma chance única do deputado marcar seu território e provar de uma vez por todas sua força política em Petrolina.