Sindicato aprova e professores do Estado cruzam os braços por 48 horas na Bahia

Uma nova assembleia em março definirá rumo do grupo (Foto: APLB Sindicato)

Se em Pernambuco são os policiais civis que estudam uma greve, na Bahia os professores da rede estadual iniciaram hoje (18) uma paralisação de 48 horas. A categoria decidiu cruzar os braços em uma assembleia realizada ontem, na capital Salvador. Eles cobram, entre outros pontos, reajuste salarial.

Além do aumento de 12,8%, os docentes cobram do Governo da Bahia um projeto de mudança da previdência dos servidores públicos, piso salarial, reforma do ensino médio e bolsa auxílio. Uma nova assembleia no dia 4 de março definirá os rumos do movimento.

O Governo do Estado ainda não se manifestou acerca das reivindicações da categoria. (Com informações do G1 Bahia)

Governo da Bahia cortará salários de professores em greve

Professores da UNEB de Juazeiro apoiam movimento grevista (Foto: Arquivo)

Os professores das universidades estaduais da Bahia terão seus salários cortados. A informação foi repassada pelo sirte Bahia Notícias nessa sexta-feira (26) e foi confirmada pela assessoria de comunicação do governador Rui Costa (PT).

Os docentes da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) estão em greve há 18 dias, cobrando entre outros pontos, melhor remuneração salarial e mais recursos para as instituições de ensino.

O Governo da Bahia criticou a paralisação – que tem apoio dos discentes e servidores – afirmando que há “tom político” na manifestação deflagrada no começo do mês. Em Juazeiro, alunos dos seis cursos de graduação estão sem aula e se mobilizam em prol dos professores.