Casos de varíola do macaco dobram e Brasil já soma 76 registros da doença

(Foto: Internet)

O Ministério da Saúde registrou um aumento nos casos de varíola dos macacos no Brasil. Os positivados dobraram e agora somam 76. Os dados foram atualizados na tarde deste domingo (3). Ceará e Rio Grande do Norte são os únicos estados do Nordeste, até o momento, com registros da doença.

A maior parte dos casos está concentrada em São Paulo. Confira os dados nacionais:

  • DF: 1
  • RN: 1
  • MG: 2
  • RS: 2
  • CE: 2
  • RJ: 16
  • SP: 52

A varíola dos macacos é uma doença viral rara transmitida pelo contato próximo com uma pessoa infectada. A Saúde informou que está em contato com as secretarias estaduais, monitorando os registros.

Ministério da Saúde deve liberar 4ª dose contra Covid para toda população adulta

O Ministério da Saúde deve liberar a quarta dose contra a Covid-19 para toda a população adulta. A previsão é que, nesta semana, as pessoas acima de 18 anos possam ser liberadas com o segundo reforço contra a doença. Atualmente apenas imunossuprimidos, trabalhadores da saúde e a população acima de 50 pode se imunizar.

Segundo O Globo e a Folha de São Paulo, o Ministério analisa a permissão da vacinação, seja via Sistema Único de Saúde (SUS) ou por clínicas particulares. O intervalo de aplicação será de quatro meses a partir da terceira dose, utilizando-se a Astrazeneca e Pfizer.

“Observando o comportamento do vírus, estamos caminhando para termos, pelo menos, um (segundo) reforço na população acima de 18 anos“, disse o secretário-executivo da pasta, Daniel Pereira.

Covid-19: ministro oficializa fim de emergência sanitária

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assinou a portaria de encerramento da emergência de saúde pública de interesse nacional da pandemia da covid-19, hoje (22). Essa condição reconhecia a gravidade da pandemia e dava base para políticas e medidas de autoridades de saúde nos níveis federal, estadual e municipal. A norma deverá ser publicada em edição especial do Diário Oficial da União ainda nesta sexta-feira (22).

O fim da emergência de saúde pública terá um prazo de transição de 30 dias, para adequação dos governos federal, estaduais e municipais, ou seja, a portaria passa a valer em 22 de maio.

Em entrevista coletiva, o ministro e secretários da pasta afirmaram que essa mudança não comprometerá as diversas ações e o aporte de recursos para a vigilância em saúde.

LEIA MAIS

Covid: Queiroga assina hoje portaria que põe fim a Emergência Sanitária

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga assinará, nesta sexta-feira (22) a portaria que estabelece o fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin), anunciada na semana passada. O ato está marcado para acontecer na sede da Saúde, em Brasília (DF).

A Espin foi decretada em fevereiro de 2020. Àquela portaria facilitou a tomada de ações para o enfrentamento à pandemia, como por exemplo, a contratação de profissionais de saúde para atuar na linha de frente e também dispensando a obrigatoriedade de licitação para a compra de medicamentos.

A nova portaria definirá quantos dias após a publicação do fim da Espin que vão começar a valer os efeitos do encerramento da emergência.

LEIA MAIS

1ª Etapa da Vacinação contra Gripe segue até 02/05; veja quem deve se vacinar

(Foto: Ascom)

A primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (gripe) termina no dia 2 de maio. Neste primeiro momento devem se imunizar os trabalhadores da saúde, das redes pública e privada, além dos idosos com 60 anos ou mais.

Quem integra o público-alvo deve procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para receber a vacina. O Dia D está marcado para 30 de abril, no último final de semana do mês. E a partir de 3 maio, a imunização será para um novo grupo que inclui:

LEIA MAIS

Governo anuncia fim da emergência sanitária por Covid-19

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez um pronunciamento na noite de domingo (17), anunciando o fim da emergência de saúde pública em decorrência da pandemia da Covid-19. Segundo Queiroga, tal mudança somente foi possível por conta da melhora no cenário epidemiológico nacional.

“Continuaremos convivendo com o vírus. O Ministério da Saúde permanece vigilante e preparado para adotar todas as ações necessárias para garantir a saúde dos brasileiros, em total respeito à Constituição Federal”, lembrou o ministro.

Covid: ministro da Saúde confirma dois casos de variante Deltacron

(Foto: Itamar Crispim/Fiocruz)

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou nesta terça-feira (15), dois casos positivos da variante Deltacron, uma combinação das mutações Delta e Ômicron. Os casos foram registrados no Amapá e no Pará, disse em conversa com jornalistas nesta manhã.

“Essa é uma variante de importância que requer monitoramento“, disse Queiroga. Apesar do alerta, o ministro informou que não é momento para pânico e que a identificação dos casos “é fruto do fortalecimento da capacidade genômica no Brasil.”

“Vivemos em um ambiente pandêmico, surgem variantes do vírus, algumas variantes são de importância, outras são de preocupação. Tudo o que acontece nos países nós observamos”, completou.

Covid: Ministério da Saúde começa a distribuir 2ª remessa de vacinas para crianças

 

O Ministério da Saúde começou a distribuir a segunda remessa de vacinas contra a covid-19 voltadas para crianças. O lote com 1,2 milhão de doses chegou ontem (16) no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP).

 

A estimativa do Ministério da Saúde é que esse novo conjunto de doses seja distribuído para estados até  quarta-feira (19). Após a chegada, as doses são encaminhadas para o centro de distribuição do Ministério da Saúde em Guarulhos (SP) e enviados para os estados, que repassam aos municípios.

 

A primeira remessa, também com 1,2 milhão de doses, chegou ao Brasil na madrugada de quinta-feira (13), no Aeroporto de Campinas. No total, a previsão é que o Brasil recebe 4,3 milhões de doses em janeiro.

 

LEIA MAIS

Saúde reduz de 10 para 5 dias o isolamento por covid

(Foto: Divulgação/SES-PE)

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta 2ª feira (10.jan.2022) que pessoas infectadas com o coronavírus que tenham o teste negativo e que estejam sem sintomas só vão precisar se isolar por 5 dias.

Antes, o tempo recomendado era entre 10 e 14 dias. Os 5 dias anunciados são para os pacientes que estão sem febre há 24h (sem o uso de medicamentos) e que tenham resultado negativo para o teste PCR ou de antígeno.

LEIA MAIS

Ministério da Saúde cria protocolo para reabilitação de pacientes com sequela pós-covid

O ano começou com novidades na reabilitação dos pacientes com sequelas da Covid-19. O Ministério da Saúde elaborou um protocolo de atendimento a esse grupo, para que os brasileiros consigam se livrar dos problemas ocasionados pelo vírus.

A pasta lançou uma portaria, incluindo orientações na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPM) do Sistema Único de Saúde (SUS). Entre as medidas estão o atendimento mensal para as ações necessárias para reabilitação de pacientes que após infecção pelo coronavírus apresentarem alterações funcionais, nutricionais, neurológicas, musculoesqueléticas ou sensoriais que impactam nas atividades da vida diária.

“Os serviços compreendem reabilitação cardiorrespiratória, visual, intelectual, física e auditiva, além de atenção fonoaudiológica e fisioterapêutica”, explica o Ministério.

Deputada Bia Kicis confessa ter divulgado dados pessoais de médicos favoráveis a vacinação de crianças

Foto: Câmara Federal

A deputada federal e presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Bia Kicis (PSL) confessou ter vazado dados pessoais de três médicos favoráveis a vacinação de crianças no país. O fato ocorreu nesta semana, no momento da realização de uma audiência pública que discute a imunização contra Covid-19.

Segundo O Globo, os documentos estavam em poder do Ministério da Saúde e foram vazados nas redes sociais por grupos que alimentam correntes contra a imunização. As vítimas são Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações; Marco Aurélio Sáfadi, da Sociedade Brasileira de Pediatria; e Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações.

LEIA MAIS

Vacina contra nova cepa da Influenza deve chegar ao Brasil no final de março

(Foto: ASCOM/PMJ)

Março de 2022. Esse é o prazo para o país começar a vacinar as pessoas contra a nova cepa da Influenza (H3N2), que vem provocando uma epidemia no Brasil. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga informou que as vacinas devem começar a chegar daqui a dois meses.

“Ainda não temos essas vacinas específicas. Elas só chegam no final do primeiro trimestre. A OMS [Organização Mundial da Saúde] indica a cepa, e a vacina tem que ser produzida”, disse em coletiva de imprensa.

Ainda ontem, o secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, destacou a circulação da variante e confirmou que a pasta tem registrado casos de H3N2 em diversos estados. “Por isso recomendamos que todos os cuidados relacionados à saúde sejam priorizados”, disse Cruz.

Covid-19: ministério reduz intervalo de reforço e amplia público

O Ministério da Saúde anunciou, hoje (16), a redução do intervalo de tempo para aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 dos atuais seis meses para cinco meses. A decisão, que será implementada pelas secretarias de Saúde dos estados e municípios, contempla todas as pessoas acima de 18 anos, independentemente do grupo etário ou profissão. Inclusive aquelas que receberam a Janssen, que passa a contar com uma segunda dose – aplicada dois meses após a primeira – e a dose de reforço.

“Já tínhamos autorizado a aplicação desta dose de reforço, ou adicional, para todos aqueles que tinham tomado a segunda dose há mais de seis meses e que tivessem [mais de] 60 anos. Agora, graças às informações advindas dos estudos científicos realizados para avaliar a aplicação da terceira dose – e dos quais já temos dados preliminares -, decidimos ampliar esta dose de reforço para todos aqueles acima de 18 anos de idade que tenham tomado a segunda dose há mais de cinco meses”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

LEIA MAIS

Brasil registra menor média móvel de mortes desde o início da pandemia

Em 19 de abril de 2021 o Brasil registrou a maior média móvel de morte em decorrência da covid-19: cerca de 3 mil óbitos diários. Hoje (19), exatos seis meses após o ápice, o Ministério da Saúde informa que a vacinação em massa contra a doença surtiu efeito. Segundo a pasta, a queda no número de óbitos foi de quase 90% – tendência que se acumula desde junho.

O boletim divulgado na noite de ontem (18) mostra que a média móvel de mortes está em 379,5, acompanhada pela queda expressiva também no número de novos casos da doença, que está em 12,3 mil ao dia.

LEIA MAIS

Anvisa aprova ampliação do prazo de validade da vacina da Janssen

Foto: Shannon Stapleton

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade a extensão do prazo de validade da vacina da Janssen (Johnson & Johnson) contra a covid-19. O prazo passa de quatro meses e meio para seis meses, sob condições de armazenamento de 2°C a 8°C. 

A empresa Janssen-Cilag Farmacêutica solicitou, no último dia 15 de setembro, a alteração do prazo de validade para a autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, do imunizante.

LEIA MAIS
123