Todas as praias de Pernambuco estão liberadas para banho, afirma Governo do Estado

(Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem)

O resultado das análises de águas das praias atingidas pelo óleo foi divulgado na última sexta-feira (8) pelo Governo do Estado. Foram examinadas amostras de 16 praias e todas foram consideradas próprias para o banho.

Os estudos, realizados pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) em parceria com outras instituições, não detectaram presença de hidrocarbonetos, compostos orgânicos encontrados no petróleo e que, em grandes concentrações, podem causar danos à saúde.

LEIA MAIS

CDL de Petrolina começa a receber doações de EPIs para ajudar equipes na limpeza de praias em Pernambuco

(Foto: Ascom)

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) que serão distribuídos para auxiliar na limpeza das praias de Pernambuco afetadas pelas manchas de óleo começaram a chegar à sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), de Petrolina, onde funciona um ponto de arrecadação.

Estão sendo aceitas doações de luvas PVC, máscaras, galochas, pás, peneiras, óleo vegetal, baldes grandes, água mineral e alimentos não perecíveis. As doações serão distribuídas aos voluntários que estão atuando na limpeza de óleos nas praias de Pernambuco.

“Diante dessa tragédia ambiental, o comércio de Petrolina se une à campanha “Tô Dentro” e a sociedade civil organizada nesta corrente de solidariedade para arrecadar materiais e equipamentos de proteção individual para serem utilizados pelos voluntários que estão limpando os impactos do vazamento de óleo nas praias. Portanto, conclamo a todos para fazerem a sua parte, pois, entendemos que todo o setor da economia sofre”, declarou o presidente da CDL, Manoel Vilmar.

Detectadas manchas de óleo em nove praias de cinco estados do NE

Vista geral de um derramamento de óleo na praia de Peroba em Maragogi (AL). (Foto: REUTERS / Diego Nigro)

Novas manchas de óleo surgiram em nove praias de cinco estados da Região Nordeste, segundo informações do Grupo de Avaliação e Acompanhamento (GAA), formado por Marinha, Agência Nacional de Petróleo (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Manchas de óleo cru começaram a aparecer nas praias do litoral nordestino no final de agosto e atingiram mais de 200 localidades em todos os estados da região. Desde então, foram recolhidas mais de mil toneladas do produto, numa extensão de 2,5 mil quilômetros.

LEIA MAIS

Governo de Pernambuco inicia coleta e análise de amostras da água das praias atingidas pelas manchas de óleo

Nessa quinta-feira (24), o total de óleo coletado pelo Governo do Estado chegou a 1.358 toneladas.

Além da coleta do óleo e dos trabalhos de contenção e prevenção realizados diariamente, as equipes do Governo de Pernambuco começaram, nessa quinta-feira (24), a recolher amostras de água das praias atingidas. O objetivo é verificar se existe presença de hidrocarbonetos, compostos orgânicos presentes no petróleo e que, em grandes concentrações, podem causar danos à saúde.

Todo material recolhido será encaminhado para análise no laboratório Organomar, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que fechou uma parceria com a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) para fazer os estudos.

A coleta aconteceu no Litoral Sul do Estado, nas praias do Paiva, São José da Coroa Grande, Tamandaré, Carneiros, Maracaípe, Muro Alto, Suape, Itapuama, Gaibú e Pedra do Xaréu. O trabalho é feito por profissionais do laboratório da CPRH, com o apoio dos professores do departamento de Oceanografia da UFPE Gilvan Yogui e Eliete Lamardo, especialistas em poluição marinha por petróleo.

LEIA MAIS

Sistema FIEPE arrecada EPIs para voluntários que estão ajudando na limpeza das praias do litoral pernambucano

(Foto: Ilustração)

Voluntários de diversas regiões de Pernambucano têm ajudado na limpeza das praias atingidas pelo óleo, mas infelizmente os equipamentos de proteção individual (EPIs) estão em falta. Por isso, o Sistema FIEPE está recebendo, em todas as unidades do SESI-PE e SENAI-PE, doações de máscaras, luvas, botas de borracha e sacos resistentes (ráfia ou nylon). No total, serão 25 pontos de coleta de materiais para a retirada dos resíduos, desde a Região Metropolitana do Recife até o Sertão.

As 12 escolas do SESI-PE localizadas em Paulista, Goiana, Vasco da Gama, Ibura, Cabo de Santo Agostinho, Moreno, Escada, Belo Jardim, Camaragibe, Caruaru, Petrolina e Araripina, além das 12 unidades do SENAI situadas em Areias, Araripina, Cabo de Santo Agostinho, Caruaru, Garanhuns, Goiana, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Paulista, Petrolina, Santa Cruz do Capibaribe e Santo Amaro, estão com as portas abertas para receber os donativos.

Paulo Câmara cria Sala de Situação para monitorar derramamento de óleo em Pernambuco

Pernambuco tenta evitar que manchas cheguem às praias.

O governador Paulo Câmara institui, a partir desta sexta-feira (18), uma Sala de Situação no Palácio do Campo das Princesas, no Recife, para monitorar as manchas de óleo que chegaram ao litoral pernambucano.

As manchas foram localizadas nessa quinta-feira (17) após vistorias realizadas pela manhã e à tarde no Litoral Sul do Estado por técnicos do Governo, utilizando helicópteros e embarcações. Ao todo, foram mobilizadas 70 pessoas e coletados 1,2 mil litros de óleo em alto mar, além de confirmar a presença de uma mancha de aproximadamente um metro de diâmetro na foz do Rio Una, no município de São José da Coroa Grande.

LEIA MAIS

Consumidores podem remarcar viagem a praias atingidas por mancha de óleo

(Foto: Adema/Governo de Sergipe)

Consumidores que tenham comprado pacotes de viagem ou hospedagem para as praias do Nordeste que foram afetadas pela mancha de óleo têm o direito de cancelar ou remarcar a reserva, sem a necessidade de pagar multa. Segundo orientação da Fundação Procon de São Paulo, para isso o consumidor deve entrar em contato com a empresa contratada e pedir o cancelamento ou a remarcação.

As manchas de óleo têm poluído o litoral do Nordeste brasileiro desde o início de setembro, mas foram notadas no final de agosto. A primeira localidade onde, segundo o relatório do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a contaminação foi comunicada, foi na Praia Bela, em Pitimbu (PB), onde os fragmentos de óleo foram avistados no dia 30 de agosto. A partir daí, a substância escura e pegajosa se espalhou pelos nove estados do Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe).

LEIA MAIS