Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Brumadinho: entidades fazem visita técnica e não detectam contaminação da Bacia do São Francisco

(Foto: Polícia Federal/Divulgação)

Um relatório elaborado pelo Instituto Mineiro de Gestão de Águas (Igam) apontou que não há, até o momento, contaminação da Bacia do Rio São Francisco por rejeitos de minério da barragem de Brumadinho (MG). O Igam é uma das entidades que realizou uma visita técnica entre 9 e 16 de maio ao longo dos rios Paraopeba e São Francisco, em Minas.

LEIA TAMBÉM:

Rejeitos de Brumadinho chegam ao São Francisco

Presidente do CBHSF faz alerta sobre rejeitos de Brumadinho no rio São Francisco: “Sem dúvida alguma haverá um impacto”

A expedição técnica foi coordenada pela Polícia Federal e contou com a participação da Universidade de Brasília (UnB), Agência Nacional de Águas (ANA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Serviço Geológico Brasileiro (CPRM), além do apoio do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Empresa Mineira de Pesquisa Agropecuária (Epamig), Prefeitura Municipal de Felixlância e empresas de consultoria ambiental.

LEIA MAIS

Juazeiro: criança de 8 anos morre afogada no rio São Francisco

(Foto: Ilustração)

Uma criança foi encontrada morta no Rio São Francisco, próximo ao porto de Juazeiro (BA). O fato foi registrado no sábado (4), no final da tarde.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar da cidade, a vítima é uma criança de oito anos, identificada como José Henrique da Silva Brito.

Ele foi encontrado já sem vida em um local considerado impróprio para banho. Com José Henrique sobe para 10 o número de afogamentos com morte em Juazeiro nesse ano.

Há alguns dias um bombeiro civil de 24 anos foi encontrado morto também no lado baiano do rio. (Com informações do G1 Bahia).

Aumento da vazão na bacia do São Francisco implicará em mais produção de energia

(Foto: Reprodução/Internet)

Maio começou com a ampliação da vazão do rio São Francisco. Desde ontem (1º) a Agência Nacional de Águas (ANA) determinou que a liberação mínima média será de 800 metros cúbicos por segundo (m³/s). Esse número representa um acréscimo de 250 m³/s em relação à menor vazão registrada, em 2017, de 550 m³/s.

Hoje o reservatório opera com 48,76% da capacidade, mas espera-se que ele atinga 60% nos próximos dias. Com a ampliação da vazão será possível ampliar a geração de energia nas usinas hidrelétricas construídas ao longo da bacia do São Francisco.

A decisão foi tomada após a constatação de que os reservatórios voltaram aos níveis do período pré-crise hídrica, em 2012, e aplica-se a todos os reservatórios do sistema hídrico do Rio São Francisco: Três Marias (MG); Sobradinho (BA); Itaparica (BA/PE), também conhecida como Luiz Gonzaga; Moxotó (AL), Paulo Afonso I, II, III e IV (BA); e Xingó (AL/SE). (Com informações da Agência Brasil).

Operação Facheiro II erradica mais de 271 mil pés de maconha no Sertão de Pernambuco

(Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Policiais Federais de Salgueiro, com apoio de agentes da Civil e da Militar conseguiram erradicar 217 mil toneladas de maconha produzidas em diversos município do Sertão Pernambucano. A ação foi executada através da Operação Facheiro II, realizada entre os dias 19 e 30 de abril.

Os policiais encontraram a droga sendo cultivadas em ilhas do rio São Francisco e nas cidades de Orocó, Cabrobó, Belém do São Francisco e Santa Maria da Boa Vista. O restante do cultivo estava na área de caatinga em Salgueiro, Carnaubeira da Penha, Serra Talhada, Betânia, Parnamirim, Ibó e Floresta.

De acordo com a PF, caso os 217 mil pés fossem colhidos e colocados no mercado poderia-se produzir 90 toneladas de maconha. A operação também teve apoio do Corpo de Bombeiros Militar.

Homem morre afogado no rio São Francisco, em Juazeiro

Mais um óbito foi registrado nas águas do Velho Chico (Foto: Arquivo)

Juazeiro (BA) registrou mais um afogamento no final de semana, resultando em mais um óbito. Um homem ainda não identificado teria mergulhado no rio São Francisco, na tarde de domingo (28), mas não conseguiu retornar à superfície.

Populares conseguiram resgatar a vítima, que se afogou e morreu no local. Nossa produção não conseguiu informações com o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia a respeito das circunstâncias da morte.

LEIA TAMBÉM:

Bombeiro civil que morreu afogado em Juazeiro tinha concluído curso há poucos meses

Juazeiro: corpo de jovem é encontrado boiando no Rio São Francisco

O corpo do homem foi trazido ao Instituto Médico Legal (IML) de Petrolina, que até o momento não confirmou à nossa equipe a identidade da vítima e a causa da morte. Com mais essa ocorrência subiu para quatro as mortes por afogamento na cidade baiana.

Em 2018 foram contabilizados oito mortes por essa causa, sendo que 2019 ainda está no primeiro semestre. O caso mais recente de afogamento aconteceu na última sexta-feira (26) um bombeiro civil de 24 anos morreu em Juazeiro.

Bombeiro civil que morreu afogado em Juazeiro tinha concluído curso há poucos meses

Além de bombeiro civil, vítima cursava Jornalismo na UNEB (Foto: Reprodução/TV Grande Rio)

O bombeiro civil encontrado morto em Juazeiro (BA) na manhã de sexta-feira (26) foi identificado como José Hélio Santana, de 24 anos. Ele era natural de Alagoas e de acordo com o Instituto Médico Legal (IML), a causa da morte foi afogamento.

LEIA TAMBÉM:

Juazeiro: corpo de jovem é encontrado boiando no Rio São Francisco

Hélio foi encontrado por funcionários de uma empresa de aluguel de caiaques, também localizada na Orla. Ele era estudante do curso de Jornalismo da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) de Juazeiro e concluiu seu curso de bombeiro civil há poucos meses.

Ainda não há informações sobre o sepultamento de Hélio. Segundo o Corpo de Bombeiros Militar, essa foi a terceira morte por afogamento este ano no Rio São Francisco, na Bahia. (Com informações do G1 Bahia).

Juazeiro: corpo de jovem é encontrado boiando no Rio São Francisco

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

No final da manhã desta sexta-feira (26), o corpo de um jovem foi encontrado boiando no Rio São Francisco, nas proximidades da Orla II de Juazeiro (BA). A vítima vestia um fardamento de Bombeiro Civil. Testemunhas informaram que na farda, estava gravado o nome “Hélio Santana”, mas a Polícia não divulgou a identidade do rapaz.

O corpo de Bombeiros de Juazeiro foi acionado, mas ao chegar no local o SAMU já havia dado prosseguimentos aos procedimentos de praxe, e consequentemente constatado o óbito. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Juazeiro.

STJ autoriza continuidade das obras de transposição do São Francisco

(Foto: Divulgação)

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, suspendeu uma decisão da segunda instância da Justiça Federal que impedia a continuidade das obras no último trecho do Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco.

Segundo o site do Ministério do Desenvolvimento Regional, as obras do trecho estão 97% concluídas. Em fevereiro, o ministro titular da pasta, Gustavo Canuto, disse em reunião com o governador do Ceará, Camilo Santana, que as águas alcançariam o trecho final no estado até o segundo semestre deste ano.

A decisão de 2016 do desembargador Souza Prudente, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), que interrompia as obras remanescentes para a conclusão do Eixo Norte, já havia sido derrubada em 2017 pela então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia.

LEIA MAIS

Oito pessoas passam mal depois de tomar banho no Rio São Francisco; grupo aponta possível contaminação da água como principal causa dos sintomas

No último fim de semana, oito pessoas que estiveram na Ilha da Amélia em um passeio, passaram mal depois de tomar banho no Rio São Francisco. A ocasião que inicialmente era de lazer e diversão se transformou em trauma.

“Estávamos em nove pessoas, oito de nós passamos mal ao mesmo tempo. Apenas uma de nós não passou mal, e a única coisa que ela tinha feito de diferente foi não entrar no rio”, conta Leticia Carvalho, umas das pessoas que apresentaram os sintomas.

A notícia que causou preocupação foi divulgada por Leticia, através de uma postagem nas redes sociais, alertando a população de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE) sobre possíveis riscos de contaminação da água do Velho Chico.

LEIA MAIS

Rejeitos de Brumadinho chegam ao São Francisco

(Foto: Arquivo)

No último dia 25 de janeiro, quando a barragem de Córrego do Feijão rompeu e devastou Brumadinho, poucos perceberam que o crime e a lama poderiam afetar a região Nordeste do país. Mas não tardou até que os rejeitos de minério matassem o rio Paraopeba, afluente do São Francisco em Minas Gerais, comprometendo a vida vegetal e animal na zona de mata atlântica, e seguissem em direção ao Velho Chico.

No dia 22 de março a Fundação SOS Mata Atlântica divulgou relatório informando que entre os dias 8 e 14 de março o alto São Francisco já apresentava grande concentração de ferro, cobre, cromo e manganês, tornando a água imprópria para o uso da população. Segundo os pesquisadores, em alguns trechos no início do rio a água está visivelmente turva. Em entrevista ao site El País Brasil a pesquisadora Malu Ribeiro, da Fundação SOS Mata Atlântica, afirma que há “trechos com perda de fauna aquática e desaparecimento das aves que viviam no entorno”.

A camada espessa da lama tóxica foi contida ainda na barragem de Retiro Baixo e parte dos minérios estão se sedimentando no fundo do rio antes mesmo da barragem de Três Marias, ambas em Minas Gerais. Mas os minérios finos conseguem passar pelas represas, que seguem funcionando apesar da água escura. “A lama grossa, que chamam de ‘pluma’, ficou contida em Retiro Baixo. Mas a lama fina está passando pelas turbinas e a bacia do São Francisco já está sendo contaminada”, atesta Carine Guedes, integrante do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) em Minas Gerais, que mora próximo ao São Francisco. “Mesmo que fechassem as represas e os rejeitos fossem contidos, em algum momento as comportas teriam que ser abertas”, avisa.

LEIA MAIS

Senador afirma que Rio São Francisco está praticamente morto

Rio São Francisco está em perigo, segundo senador.

Durante debate na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), quando foram colocados em pauta os temas da segurança hídrica e a gestão da água, o senador Otto Alencar (PSD-BA) afirmou que o Rio São Francisco está praticamente morto e pediu a decretação de estado de emergência por parte do governo federal para revitalização do Velho Chico.

“Para se agir imediatamente estado de emergência. Primeiro fazer o desassoreamento e depois o trabalho mais longo que é de replantio das matas ciliares da beira do rio, que foram desmatadas de forma criminosa”, sugeriu o parlamentar.

O senador citou ainda que o Rio São Francisco está morrendo devido à falta de afluentes em Minas Gerais, onde o rio nasce, e afirmou que a situação é grave, já que a bacia do São Francisco dá mostras de estar comprometida.

Corpo é encontrado próximo a Ponte Presidente Dutra, em Petrolina

(Foto: Ilustração)

O corpo de um homem foi localizado na manhã dessa sexta-feira (29), boiando às margens do Rio São Francisco, próximo a Ponte Presidente Dutra, no lado de Petrolina.

Informações preliminares indicam que o homem apresentava um ferimento na cabeça, de arma ainda não identificada.

A Polícia Civil esteve no local. O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) de Petrolina e não foi possível identificá-lo até o momento, já que não havia documentos com a vítima.

Relatório do Ibama não indica contaminação do São Francisco por rejeitos de Brumadinho

Segundo Ibama, ainda não é possível saber quando lama de rejeitos atingirá bacia (Foto: Léo Boi)

A Fundação SOS Mata Atlântica havia informado na semana passada que o Rio São Francisco já está contaminado com rejeitos da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Entretanto, em um relatório divulgado na quarta-feira (27) o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) negou a contaminação.

O documento foi elaborado em parceria com o Instituto Federal de Florestas (IEF), tendo como base dados coletados pelo Instituto Mineiro de Águas (Igam), principal órgão monitorador do desastre ocorrido em 25 de janeiro.

LEIA TAMBÉM:

Relatório afirma que rio São Francisco está contaminado com rejeitos de Brumadinho

Presidente do CBHSF faz alerta sobre rejeitos de Brumadinho no rio São Francisco: “Sem dúvida alguma haverá um impacto”

Segundo o Ibama, “até o momento, os dados oficiais de qualidade de água não indicam que os rejeitos atingiram o trecho do rio Paraopeba a jusante da UHE de Retiro baixo, portanto também não atingiram o reservatório da UHE de Três Marias e o rio São Francisco”.

LEIA MAIS

Apesar de criticada, ação pioneira da Comissão Parlamentar de Petrolina apresenta resultados positivos na luta em defesa do Rio São Francisco

Cristina Costa e Ronaldo Cancão em visita à Câmara Municipal de Belo Horizonte. (Foto: Ascom)

A Comissão Parlamentar da Câmara de Petrolina (PE) deu um exemplo para o Brasil, ao pressionar o Governo de Minas Gerais para adoção de medidas urgentes em defesa do Rio São Francisco e seus afluentes, após o rompimento da barragem da Vale de Brumadinho, que atinge diretamente o Rio da Integração Nacional. Os vereadores que compunham a Comissão foram pessoalmente cobrar dos Governos do Estado Mineiro e Federal a responsabilização da Empresa Vale do Rio Doce pelo desastre que acometeu milhares de famílias e fez quase 200 vítimas fatais.

Em coletiva de imprensa na manhã desta segunda (25), na Casa Plínio Amorim, os vereadores apresentaram o relatório da viagem, uma missão positiva que está sendo copiada por vários legislativos municipais e estaduais das áreas banhadas pelo rio e que sofrerão as consequências dos rejeitos minerais em função do rompimento da barragem.

Segundo o propositor da Comissão, vereador Gabriel Menezes, a Câmara de Petrolina é a única do Nordeste que se se organizou e enviou uma comissão para verificar in loco os prejuízos causado pelo rompimento da barragem. Durante a coletiva, ele foi contra às críticas recebidas pela missão dos parlamentares.

“Queremos defender o Rio São Francisco pela importância que ele tem para todos nós, seja para abastecimento humano ou para a fruticultura irrigada. Nossa região vive em função das águas do Velho Chico e o que a gente nota é uma distorção muito grande por uma parcela pequena da mídia, com sensacionalismo, que não emite ao seu público a verdadeira intenção da visita à região para avaliar de perto a situação, que é camuflada principalmente pela empresa responsável por essa catástrofe”.        

LEIA MAIS

Relatório afirma que rio São Francisco está contaminado com rejeitos de Brumadinho

(Foto: Renê Cordeiro/Arquivo Pessoal)

O que o Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco (CBHSF) previa no mês passado se concretizou. Em relatório apresentado hoje (22), a Fundação SOS Mata Atlântica afirmou que os rejeitos da barragem Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) atingiram o rio São Francisco.

LEIA TAMBÉM:

Presidente do CBHSF faz alerta sobre rejeitos de Brumadinho no rio São Francisco: “Sem dúvida alguma haverá um impacto”

Equipes estiveram em Brumadinho e no Alto São Francisco entre os dias 8 e 14 desse mês para verificar a presença de rejeitos. Dos 12 pontos analisados, nove estavam com condição ruim e três regular, o que torna o trecho a  partir do Reservatório de Retiro Baixo, entre os municípios de Felixlândia e Pompéu até o Reservatório de Três Marias, no Alto São Francisco, com água imprópria para usos da população.

LEIA MAIS
123