Sintcope denuncia atraso no atendimento do Restaurante Popular; SEDESDH afirma que problema já foi solucionado

De acordo com titular da pasta, atraso foi causado por problema em equipamento (Foto: Blog Waldiney Passos)

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) enviou ao Blog uma nota relatando um problema no Restaurante Popular na última segunda-feira (1°). De acordo com o Sintcope, o almoço que deveria ter sido servido às 11h atrasou e prejudicou os trabalhadores do comércio.

Segundo os usuários relataram à Diretoria do Sindicato, a refeição só foi servido a partir de 11h40. “O atraso pode parecer pouco, mas foi crucial para que muitos trabalhadores ficassem sem fazer a refeição diária ou tivessem que recorrer a outros estabelecimentos onde o almoço tem um preço bem acima“, destaca o Sintcope.

Problema técnico

Secretário de Desenvolvimento  Social e Direitos Humanos (SEDESDH), Jorge Assunção afirmou, em entrevista  à Grande Rio FM dessa terça-feira (2), que o atraso ocorreu devido a um problema em um equipamento da cozinha industrial.

LEIA MAIS

Petrolina: após recesso de fim de ano Sintcope retoma as atividades nesta quarta-feira (02)

(Foto: ASCOM)

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) retomou nesta quarta-feira (02) as atividades em sua sede. O atendimento ao público havia sido interrompido em virtude do recesso de final de ano. O expediente segue no horário tradicional das 9h às 12h e das 14h às 18h.

O trabalhador do comércio deve ficar atento a algumas mudanças. De acordo com informações do sindicato, durante o mês de janeiro não haverá entrega de guias para atendimento médico. A suspensão da oferta é devido ao recesso que ocorrerá nas empresas conveniadas. Apenas a entrega de guias para atendimento odontológico está mantida.

Já o atendimento com o advogado nas áreas trabalhista e previdenciária será retomado no dia 22 de janeiro e acontecerá duas vezes por semana, nos dias de terça e quinta-feira, das 17h às 19h, na sede do sindicato. O atendimento é por ordem de chegada.

Em caso de dúvida ou solicitação de informações, o trabalhador do comércio pode utilizar as redes sociais do sindicato ou se preferir o whatsapp (87) 98836-1740/98838-0172). Tem também o telefone (87) 3861-5876 e o e-mail: [email protected]

Lojas não podem abrir no feriado de 1º de maio, orienta Sintcope

No feriado desta terça-feira (1º) o comércio de Petrolina deve ficar fechado, o alerta vem do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope). O Dia do Trabalho é feriado internacional e é uma das poucas folgas inclusas na convenção trabalhista, juntamente com a Sexta-feira Santa, 1º de janeiro, Dia do Comerciário e Natal.

“No último feriado, o Dia de Tiradentes, por exemplo, nós percorrermos as principais áreas comerciais de Petrolina e constatamos que havia lojas que estavam abertas sem que tivessem encaminhado correspondência ao sindicato. Então procedemos com o fechamento, porque além de descumprir o que ficou acordado em documento, houve desrespeito aos trabalhadores que certamente já tinham se programado para outras atividades no feriado”, explica a presidente do Sintcope, Dilma Gomes.

Funcionamento

O Sintcope orienta que, nos feriados que estão indicados na convecção as lojas não podem abrir e nos demais, para haver expediente é preciso haver uma comunicação por escrito informando a abertura no feriado. Além da comunicação ao sindicato, o pagamento do dia trabalho ao funcionário é diferenciado.

“O funcionário que trabalhar no feriado terá direito a uma folga compensatória até a semana seguinte ao feriado trabalhado, à exceção do labor nos meses de novembro e dezembro, cujas folgas poderão ser compensadas até fevereiro do ano seguinte”, finaliza Dilma.

Sindicato alerta trabalhadores do comércio para não assinar contracheque com data retroativa

(Foto: Arquivo)

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope), vem chamando a atenção de seus filiados, que atentem para não assinar contracheque com data retroativa. O Sintcope lembra, que o contracheque é o documento emitido pela empresa no qual se especifica o salário bruto do trabalhador e as respectivas deduções, e só deve ser entregue para o trabalhador assinar no quinto dia útil, quando é efetuado o pagamento do salário.

Apesar do que determina a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), há casos de trabalhadores que são pressionados a assinar o contracheque com data retroativa, nos meses em que ocorre atraso no pagamento do salário.

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) lembra que é um direito do trabalhador que o contracheque seja assinado apenas no dia do pagamento.

“O empregador não pode obrigar trabalhador a assinar com data diferente do pagamento. É uma desonestidade, uma ilegalidade. O trabalhador que receber esse tipo de pressão deve nos procurar”, conta a presidente do Sintcope, Dilma Gomes.

A Convenção Coletiva da Categoria em vigor tem, inclusive, uma cláusula sobre o atraso no pagamento de salário. Estabelece que no caso de atraso no pagamento de salários, inclusive comissões até o 5º (quinto) dia útil do mês subsequente ao vencimento, em se tratando de empregado mensalista, ou até o 2º (segundo) dia útil do vencimento quando se tratar de pagamento semanal ou quinzenal, se sujeitará o empregador ao pagamento da multa de 5% (cinco por cento) em favor do empregado, sobre sua remuneração.

O Sintcope lembra ainda que além de conferir a data do pagamento, o trabalhador deve assinar o contracheque, pois sem assinatura não terá valor. O documento é importante porque comprova detalhadamente os valores que foram pagos, como, por exemplo, horas extras, adicional noturno e adicional de periculosidade.

Salário depositado – Se ao salário for depositado em conta bancária, o comprovante de depósito serve como recibo de pagamento. “Mas é preciso lembrar que essa conta deve ter sido aberta com consentimento do trabalhador que não terá nenhum custo de tarifa bancária no ato do saque.

Qualquer dúvida ou denúncia entre em contato com o Sintcope pelo telefone 3861-5876, pelo whatsapp 988380172/988380176 ou envie sua mensagem para [email protected]

Petrolina: após recesso, Sintcope retoma as atividades

(Foto: ASCOM)

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) retomou as atividades em sua sede nesta terça-feira (02). Os serviços voltam ao normal após o recesso que compreendeu o período natalino e terminou ontem (1º). O atendimento continua em horário normal, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

No entanto, durante o mês de janeiro não haverá entrega de guias para atendimentos na área de saúde. A suspensão na oferta é devido ao recesso que ocorre nas empresas conveniadas. A partir de 1º. de fevereiro a entrega de guias será retomada.

Na área de saúde, as guias são válidas para exames básicos, consultas e atendimento odontológico A guia para atendimento odontológico é entregue sempre na primeira e na terceira segunda-feira de cada mês.

LEIA MAIS

Sintcope faz alerta para os trabalhadores do comércio durante feriado da padroeira de Petrolina

Quem trabalhar no feriado deve receber uma gratificação e tem direito ao fornecimento de lanche pelos empregadores. (Foto: Ilustrativa)

O Sindicado dos Comerciários de Petrolina fez um alerta nesta segunda-feira (14), para os trabalhadores do comércio do município, sobre o feriado municipal desta terça-feira (15) para celebrar padroeira Nossa Senhora Rainha dos Anjos.

A Lei 2361 de 12 de abril de 2011, foi assinada, pelo então prefeito Julio Lossio e os estabelecimentos comerciais deverão estar fechados. O Sintcope alerta para que os funcionários de empresas que pertencem ao River Shopping, que for trabalhar no feriado deve receber uma gratificação por este dia, no valor de R$ 33,50 e tem assegurado também o fornecimento de lanche pelos empregadores no valor mínimo de R$ 13,69. Este valor, não pode ser descontado da remuneração mensal do trabalhador, bem como não fazer parte da remuneração para quaisquer fins.

“O funcionário que trabalhar no feriado terá direito a uma folga compensatória até a semana seguinte ao feriado trabalhado, à exceção do labor nos meses de novembro e dezembro, cujas folgas poderão ser compensadas até fevereiro do ano seguinte, lembra a presidente do Sintcope, Dilma Gomes.

Sintcope emite nota sobre o fechamento das lojas Rabelo em Petrolina

(Foto: Divulgação)

Segundo informações divulgadas pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope), as lojas Rabelo localizadas no Centro da cidade e no shopping, encerraram suas atividades. Aproximadamente, 30 funcionários foram demitidos.

Em abril, o presidente da rede, João Rabelo negou que a rede estivesse falida, em nota para o jornal online “O povo”. Entretanto, afirmou que desde o começo da crise econômica já fechou cerca de 30 lojas. A rede tinha 112 pontos de venda. Segundo ele, a ideia é manter a Rabelo com cerca de 80 lojas, como hoje, mas com foco maior no Ceará, Piauí (apenas em Teresina) e no Rio Grande do Norte (somente Natal). Ele fechou lojas no Interior do Maranhão, do Piauí e do Ceará, além de João Pessoa.

Nesta segunda-feira (22) após a confirmação do fechamento das lojas o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina, afirmaram que a notícia faz parte do quadro de crise que o país enfrenta.

Veja a nota na íntegra:

“Uma das faces mais perversas da crise econômica, aprofundada pela instabilidade política que se instalou no país após a ascensão do presidente Michel Temer (PMDB), é a demissão de trabalhadores e trabalhadoras. Não bastassem as constantes tentativas de retirar direitos e inviabilizar a aposentadoria, o governo que não conta com o apoio da população – basta analisar todas as recentes pesquisas de opinião – as medidas econômicas adotadas não afastam o cenário de recessão.

Em Petrolina, as demissões são constatadas em diversos segmentos do setor produtivo. No comércio, o mais recente registro foi o fechamento das duas unidades da loja Rabelo, localizadas no centro da cidade e no shopping. Mais de 30 trabalhadores demitidos.

Segundo informação que apuramos na última sexta-feira (19) os trabalhadores assinaram o aviso-prévio, nesta terça-feira (23) está prevista a realização de exames médicos demissionais e ainda esta semana serão feitos os agendamentos para as homologações.

Diante dessa situação que só reforça um cenário preocupante e traz incertezas para muitos trabalhadores, manifestamos nossa solidariedade aos trabalhadores e trabalhadoras que tem sido vítimas dessa equação econômica perversa que tem trazido desemprego e aumento da desigualdade social e nos colocamos à disposição para uma orientação segura. O Sintcope acompanha o caso e juntamente com a assessoria jurídica está à disposição dos trabalhadores e trabalhadoras “.

Sindicato dos comerciários colhe assinaturas contra as reformas trabalhista e da previdência

(Foto: ASCOM)

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) iniciaram um abaixo-assinado contra as reformas trabalhistas e da previdência. Uma cópia do documento será entregue aos deputados federais Adalberto Cavalcanti (PTB), Gonzaga Patriota (PSB), Guilherme Coelho (PSDB), o deputado licenciado e atual ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB) e o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB).

“A direção do Sintcope mobilizou a categoria para a coleta de assinaturas e o documento será mais uma iniciativa de demonstrar aos parlamentares que se eles quiserem representar os interesses dos trabalhadores não podem votar a favor das reformas da forma como estão”, disse a presidente do Sintcope, Dilma Gomes.

O documente poderá ser assinado até amanhã (05) quando será encerrada a campanha e o envio será feito na próxima semana. A coleta de assinaturas acontece na sede do Sindicato, na Rua Marechal Deodoro da Fonseca, no. 947, no centro de Petrolina.

 

Sintcope participará da mobilização na próxima sexta

A concentração será na Praça do Bambuzinho. (Foto: ASCOM)

Na próxima sexta-feira (28), quando acontecerá em todas as cidades do país uma greve geral, o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) estará mobilizado contra as reformas propostas pelo presidente Michel Temer (PMDB) e seus aliados. O movimento é uma iniciativa de todas as centrais sindicais e tem como objetivo impedir a aprovação de projetos que retiram direitos históricos dos trabalhadores e precarizam as relações de trabalho.

A informação da adesão do Sintcope ao movimento nacional foi confirmada na semana passada em uma reunião da presidente Dilma Gomes e do vice-presidente Sérgio Lacerda, com o secretário operacional da frente Brasil Popular de Petrolina, Cláudio Angelim.  A concentração será na Praça do Bambuzinho.

“Estamos vivendo um momento em que a única forma em que nós trabalhadores temos de nos fazer ouvir é através da mobilização, desses movimentos. Não podemos perder direitos que foram conquistados com tanto esforço”, disse a presidente Dilma.

“Depois que os trabalhadores foram às ruas, o presidente já sinalizou com alguns recuos, então é importante que estejamos todos mobilizados no dia 28 e em todos os dias, porque é a vida do trabalhador que está sendo decidida por um grupo de deputados e senadores”, disse.

Funcionamento

Em apoio à realização das manifestações em defesa dos direitos sociais e trabalhistas que acontecerá na próxima sexta-feira (28), não haverá atendimento na sede do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope).

A suspensão do funcionamento na sexta-feira atende também a uma orientação da União Geral dos Trabalhadores (UGT) que convoca todos os trabalhadores a ir às ruas. Diversas entidades sindicais e movimentos sociais já confirmaram a participação no movimento do dia 28 de abril em Petrolina.

1º. de maio

Por ocasião do feriado na próxima segunda-feira, dia 1º de maio, alusivo ao Dia do Trabalho, não haverá a distribuição de guias na sede do Sintcope, para atendimento médico e odontológico, que acontece sempre na primeira segunda-feira de cada mês. As guias serão entregues na terceira segunda-feira do mês.

Novo salário do comerciário será de R$ 1.024 em Petrolina

(Foto: Divulgação/Ascom)

Nesta segunda-feira (3) uma nova rodada de negociação entre o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) e o Sindicato do Comércio Varejista de Petrolina (Sindilojas) definiu o novo piso salarial da categoria com uma reposição de 5,35%.

Depois de duas reuniões sem acordo e mais de 30 dias após o envio da proposta aprovada pela categoria em assembleia, ficou estabelecido um piso de R$ 1.024 (o atual era R$ 972), uma reposição de 5,35%. Para os trabalhadores que recebem acima do piso, a reposição será de 5%.

O reajuste do piso salarial impacta outras cláusulas econômicas da campanha salarial a exemplo dos adicionais de hora extra e a remuneração de diárias. Para o motorista entregador a reposição vai fazer o salário passar de R$ 1.237 para R$ 1.298,85 (um reajuste de 5%).

Nova rodada de negociação da Campanha Salarial dos comerciários de Petrolina acontecerá nesta segunda

(Foto: Internet)

Após duas tentativas sem sucesso, nos dias 21 de fevereiro e 06 de março, será realizada, nesta segunda-feira (3), mais uma rodada da negociação da Campanha Salarial envolvendo representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) e representantes dos empregadores.

A reunião será realizada na sede do Lions Club Petrolina Centro, no bairro Maria Auxiliadora, a partir das 17h. A direção do sindicato da categoria apresentou para negociação, além dos trabalhadores defenderem em assembleia, um piso de R$ 1.100 para os comerciários e R$ 1.360,70 para o motorista entregador.

Os representantes dos empregadores, insistem num reajuste inferior, baseado na inflação acumulada dos últimos doze meses até fevereiro.

Negociação termina sem acordo entre Sintcope e Sindilojas

(Foto: Divulgação/Ascom Sintcope)

A primeira rodada de negociação da campanha salarial entre a direção do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) e representantes dos empregadores, o Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas), aconteceu nesta terça-feira (21). O encontro terminou sem acordo firmado.

De um lado o Sindilojas, afirmando que a crise econômica e política vivenciada pelo Brasil não permitem que a negociação seja feita da maneira que o Sintcope propõe, e uma proposta foi apresentada para os sindicalistas do comércio, sem qualquer reajuste nas cláusulas econômicas. O grupo de sindicalistas do comércio não ficaram satisfeitos com a proposta apresentada.

“Se era para não apresentar nenhuma contraproposta, a gente nem precisaria se reunir”, disse a presidente do Sintcope, Dilma Gomes. O presidente do Sindilojas, Joaquim de Castro sugeriu um reajuste de 2,5% para o piso salarial e as demais cláusulas econômicas.

“Uma proposta de 2,5% de reajuste é uma falta de respeito com o trabalhador do comércio”, afirmou o vice-presidente do Sintcope, Sérgio Lacerda.

A reunião foi concluída sem acordo entre os grupos e uma nova rodada de negociações será feita no dia 6 de março.

Diretores do Sintcope são reeleitos em Petrolina

(Foto: Divulgação/Ascom)

O Sindicato dos Comerciários de Petrolina promoveu entre os dias 26 e 27 uma eleição com chapa única, para a diretoria da instituição. Pelo quarto mandato o Sintcope continua sob a direção de Dilma Gomes.

Mesmo com chapa única a reeleição só foi possível, porque o grupo conseguiu o número mínimo de dois terços dos votantes aptos, mais um, segundo as regras. O grupo foi reeleito com 80% dos votos.

A chapa vitoriosa é formada ainda por Simônica Dias Neres Fontes, Maria José Gomes de Alencar, Amanda Emanuele Rufino de Araújo, Laiane do Nascimento Costa, Geovane Xavier de Moura, Fancisco de Assis, Pereira, Clesio Estevan da Silva, Gerlom José Andrade dos Reis, Pedro da Cruz Rodrigues, Maycon Jefersson dos Santos, José Luiz Alves Cardoso, Cildarte Maria da Silva Souza, Nilo Nunes Coelho, Eliene Barbosa Guimarães, Josimar José da Silva, Francilene Araujo Oliveira e Arinilson da Cruz Rosa.

Sintcope promove eleição para escolha de gestores

(Foto: Divulgação)

Nesta quinta-feira (26), começa o processo eleitoral do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope). A votação conta com urnas itinerantes e chapa única intitulada de: “Chapa Comerciário Cidadão”.

Os trabalhadores do comércio de Petrolina estão convocados a participar do processo eleitoral do Sincope. A votação poderá ser feita na sede do sindicato das 7h às 19h ou em uma das urnas itinerantes que estarão circulando pela cidade das 6h30 às 19h, entre os dias 26 e 27.

A votação é exclusiva para os trabalhadores que estão sindicalizados e em sem débitos com o Sintcope. A chapa única conta com Dilma Gomes dos Reis e Sergio Gomes Lacerda, candidatos à reeleição, respectivamente para as funções de presidente e vice, além de Simônica Dias Neres Fontes, Maria José Gomes de Alencar, Amanda Emanuele Rufino de Araújo, Laiane do Nascimento Costa, Geovane Xavier de Moura, Fancisco de Assis, Pereira, Clesio Estevan da Silva, Gerlom José Andrade dos Reis, Pedro da Cruz Rodrigues, Maycon Jefersson dos Santos, José Luiz Alves Cardoso, Cildarte Maria da Silva Souza, Nilo Nunes Coelho, Eliene Barbosa Guimarães, Josimar José da Silva, Francilene Araujo Oliveira e Arinilson da Cruz Rosa.

Eleição para diretoria do Sintcope terá chapa única

(Foto: ASCOM)

Com o fim do prazo para o registro de chapas para disputa da eleição de renovação da diretoria e do conselho fiscal do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) para o triênio 2017-2019, apenas a chapa “Comerciário Cidadão” participará do pleito.

Segundo Eunice Nunes, integrante da comissão eleitoral, como a eleição conta com apenas uma chapa, é necessário que o grupo consiga dois terços dos votantes aptos, mais um, para conseguir a vitória no pleito. Ainda conforme o estatuto do sindicato, a lista com os nomes dos comerciários aptos a votar ficará disponível dez dias antes da eleição.

A chapa é liderada por Dilma Gomes dos Reis e Sergio Gomes Lacerda, candidatos à reeleição, respectivamente para as funções de presidente e vice.

LEIA MAIS