Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Após firmar acordo com a prefeitura, comerciantes informais de frutas e verduras deixam ruas da cidade e passam a trabalhar em local próprio

(Foto: Divulgação/ASCOM)

A partir da próxima segunda-feira (10), os comerciantes informais de frutas e verduras que atuam espalhados pela região central de Petrolina (PE) vão trabalhar em um local estabelecido em acordo com a Associação de Feirantes, Ambulantes, Barraqueiros e Camelôs de Petrolina (AFEABACAP) e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS).

O acordo entre as partes foi firmado na tarde desta terça-feira (03). Através do ‘Programa Calçada Livre’, a Prefeitura de Petrolina deu mais um passo importante na luta pelo reordenamento público do centro comercial da cidade. “A melhor forma de construir esse processo é através do diálogo, como sempre orienta o prefeito Miguel Coelho. A partir de agora, as ruas do centro vão ficar mais livres, lembrando que a partir da próxima segunda-feira, não será mais permitido comercializar esse tipo de produto em outros locais da cidade”, destaca Cícero Dirceu da Silva, diretor de disciplinamento urbano.

Localizado na rua Governador Eraldo Gueiros Leite, no centro, o espaço destinado ao comércio informal de hortifruti fica a menos de 100 metros do Mercado do Turista, onde funcionou um ponto de transporte alternativo. A ideia é que cerca de 30 comerciantes, incluindo seis que comercializam feijão, possam desenvolver suas atividades diariamente. Eles foram previamente cadastrados juntos à Prefeitura de Petrolina, através da AFEABACAP que ainda ficará responsável por distribuir os espaços de acordo com critérios próprios.

Elane Gomes Henrique, presidente da AFEABACAP, comemora a decisão do governo municipal e destaca o compromisso dos feirantes diante do acordo: “Todos os ambulantes estão conscientes de que agora o local de trabalho deles é esse. Então, quem voltar para a rua, infelizmente, vai estar desacobertado, porque nós temos um acordo que precisa ser cumprido. Ninguém mais vai trabalhar preocupado em ter sua mercadoria apreendida a qualquer momento”

Um Comentário

  • HENRIQUE

    5 de setembro de 2018 at 11:21

    SIM MAIS AS CALÇADAS DOS GRANDES EMPRESARIO TAMBEM SE ENCAIXA NO PROGRAMA CALÇADA LIVRE POR EXEMPLO A NARCISO Q PARA O PEDESTRE PASSAR TEM Q IR PARA O MEIO DA PISTA REVEJA ISSO AI TAMBEM SECRETARIO.

    Responder

Deixe uma resposta