Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Associação de Surdos de Petrolina apresenta demandas da comunidade na Câmara de Vereadores de Petrolina

Na sessão de terça-feira (25) a Tribuna Livre foi cedida à Associação de Surdos de Petrolina (ASP), onde foram apresentadas as demandas do grupo e também as dificuldades enfrentadas pela comunidade surda no município. A participação da ASP veio na véspera do Dia Nacional do Surdo, comemorado nessa quarta-feira (26).

A presidente da ASP, Maria Helena Soares representou os membros da associação, com apoio da intérprete da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), Maria da Conceição Soares. “Nós estamos preocupados e muito tristes, porque nós enfrentamos muitos problemas em Petrolina no geral. Nas escolas, no passado já tivemos aqui uma proposta aprovada no PNE de escolas bilíngues e já faz três anos dessa aprovação”, destacou a presidente.

Maria Helena também fez um desabafo sobre a falta de acessibilidade no cinema de Petrolina. Na última semana um grupo de surdos foi ao Orient Cinemas, mas não pôde assistir ao filme escolhido porque a película legendada estava disponível somente no último horário da noite.

Edis cobram mais políticas públicas

A aprovação de uma Lei Municipal oficializando a LIBRAS no município, porém não aplicada foi outra reivindicação. Autores do convite, os vereadores Gilmar Santos (PT) e Gabriel Menezes (PSL) destacaram a necessidade dos políticos locais se voltarem para as demandas dos surdos e demais deficientes de Petrolina. “Nós temos uma comunidade que precisa ser acolhida, nós precisamos de política pública efetiva e permanente com servidores qualificados, para acompanhar os surdos”, afirmou Gilmar.

Gabriel estendeu a demanda dos surdos aos demais deficientes. “Está na hora da gente transformar isso no direito de verdade”, disse o edil ao mencionar a situação do cinema local e foi além. “Quem aqui não se deparou com um cadeirante tendo que transitar entre os carros, correndo o risco de ser atingido porque as nossas calçadas não têm qualidade”, pontuou.

Maria Elena (PRTB) fez coro à luta e destacou ser importante a gestão de Miguel Coelho lutar para implantar uma escola bilíngue no município e se ofereceu para lutar junto com os edis por essa realização. “Nós precisamos avivar a memória dele, para que ele possa legislar a favor da comunidade surda”, disse Elena.

Em relação a falta de acessibilidade no cinema, o Blog entrou em contato com a assessoria de comunicação do River Shopping e aguarda retorno sobre o questionamento apresentado pela ASP na sessão de ontem.

Deixe uma resposta