Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Emprego formal cresce em agosto e gera 110.431 novas vagas no Brasil

(Foto: Ilustração)

O emprego apresentou novamente crescimento no Brasil. O mês de agosto fechou com 110.431 novas vagas no mercado formal, um acréscimo de 0,29% em relação ao mês anterior. Esse desempenho foi resultado de 1.353.422 admissões e de 1.242.991 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos no país também aumentou e chegou a 38.436.882 vínculos.

Segundo informações do levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira (21), o saldo de janeiro a agosto teve um acréscimo de 568.551 vagas, um crescimento de 1,50%. Nos últimos 12 meses, o aumento foi de 356.852 postos, uma variação de 0,94%.

A pesquisa apontou crescimento em sete dos oito setores econômicos, sendo que o principal destaque foi na área dos Serviços, responsável por mais de 60 mil novos postos, mais da metade das vagas abertas em agosto no país. O resultado foi registrado graças aos desempenhos dos subsetores de Ensino; Comércio e Administração de Imóveis, Valores Mobiliários e Serviço Técnico; Serviços de Alojamento, Alimentação, Reparação, Manutenção e Redação; e Serviços Médicos, Odontológicos e Veterinários.

Agosto fechou em alta para o comércio que teve o segundo melhor desempenho com saldo de 17.859 vagas, abertas principalmente no subsetor do Comércio Varejista. O terceiro melhor saldo de agosto foi na Indústria de Transformação, que teve criação de 15.764 novos postos, puxados pela Indústria de Produtos Alimentícios, Bebidas e Álcool Etílico; Indústria Química de Produtos Farmacêuticos, Veterinários, Perfumaria; e Indústria Mecânica. Apenas a Agropecuária registrou desempenho negativo com o fechamento de 3.349 vagas.

O salário médio de admissão em agosto foi de R$ 1.541,53 e o salário médio de desligamento foi de R$ 1.700,80. Em termos reais considerando a deflação medida pelo INPC, houve ganho de R$ 5,26 (0,34%) no salário de admissão e de R$ 9,90 (0,59%) no salário de desligamento em comparação ao mês anterior.

Desempenho regional

As cinco regiões do país registraram crescimento no emprego formal em agosto. Proporcionalmente, os melhores desempenhos foram registrados no Nordeste, onde foram abertas 36.460 vagas, um acréscimo de 0,59% em relação ao estoque de julho.

Houve abertura de vagas em 22 das 27 unidades federativas. Em apenas cinco ocorreram fechamento de postos. Os três maiores crescimentos relativos foram no Nordeste do país. A Paraíba ficou em primeiro, chegando ao final de agosto com 7.244 empregos a mais, um crescimento de 1,85% em relação ao estoque de julho. Em segundo lugar ficou o Rio Grande do Norte, onde foram criados 4.486 postos, representando um acréscimo de 1,07%, e, em terceiro, Alagoas, com 3.890 novas vagas e aumento de 1,19%. (Com informações do Ministério do Trabalho)

Deixe uma resposta