Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Nova fase da Operação Lava Jato cumpre 22 mandados de prisão e bloqueio de R$ 1,2 bilhão dos investigados

(Foto: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo)

A Polícia Federal cumpre 22 mandados de prisão nesta quarta-feira (4) a operação “Ressonância”, derivada da Fatura Exposta, realizada no ano passado. Ela investiga contratos na área da saúde celebrados pelo governo do Estado do Rio de Janeiro e pelo Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad).

A Fatura Exposta é um desdobramento da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro e apura desvios na compra de equipamentos e insumos hospitalares no Rio de Janeiro.

De acordo com os investigadores, havia uma organização criminosa voltada à formação de cartel e à fraude em licitações para o fornecimento de equipamentos médicos e materiais hospitalares para a secretaria de Saúde e para o Into.

Na ação de hoje, são investigadas 37 empresas e os crimes de formação de cartel, corrupção, fraude em licitações, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Dos mandados de prisão, 13 são preventivos –sem prazo– e outros 9 temporários –de até cinco dias. Segundo a PF, há ainda 43 mandados de busca e apreensão sendo cumpridos no Distrito Federal e nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba e Minas Gerais.

As ordens judiciais foram autorizadas pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal no Rio de Janeiro. Ele também determinou o bloqueio de R$ 1,2 bilhão dos investigados. Os nomes não foram divulgados.

A operação é realizada em conjunto com o MPF (Ministério Público Federal), Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), TCU (Tribunal de Contas da União) e CGU (Controladoria Geral da União).

Deixe uma resposta