Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

SDS emite nota sobre a possível demissão do presidente do SINPOL

(Foto: TV Jornal/Reprodução)

Na última quarta-feira (6) o Blog Waldiney Passos publicou um matéria sobre a manifestação de Policiais Civis de todo o Brasil contra a demissão do presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL), Áureo Cisneiros. O protesto foi realizado na última quinta-feira (7), no Parque 13 de maio, em Recife (PE).

De acordo com o SINPOL, Áureo Cisneiros e demais diretores do sindicato, estão sendo vítimas de perseguições políticas por parte do Governo do Estado de Pernambuco, que teria ameaçado demitir o presidente do SINPOL.

LEIA TAMBÉM

Policiais Civis de todo o Brasil confirmam participação de ato contra a demissão de Áureo Cisneiros nesta quinta-feira

Áureo Cisneiros é eleito presidente da Federação Interestadual de Trabalhadores Policiais Civis do Nordeste

Para saber o posicionamento do Governo do Estado sobre as denúncias feitas pelo SINPOL, a equipe de Produção do Blog Waldiney Passos contactou a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, que por meio de nota não confirmou a demissão de Áureo Cisneiros, mas explicou a atual situação trabalhista do presidente do SIINPOL. Confira a nota na íntegra: 

“A Corregedoria Geral da SDS informa que o comissário Áureo Cisneiros Luna Filho responde atualmente a três Procedimentos Administrativos Disciplinares (PADs). Recentemente, um outro PAD foi concluído, desta vez por contumácia, ou seja, quando o servidor transgride as normas disciplinares de forma repetida. O  servidor em questão já havia sido penalizado em 6 processos administrativos, tendo sido garantido o direito à ampla defesa e ao contraditório.

A Corregedoria da SDS respeita o livre exercício de manifestação, e reafirma que o amplo direito de defesa é garantido em todos os processos disciplinares. É importante esclarecer que esses processos, conduzidos de forma técnica, investigam a atuação de servidores enquanto policiais, sem qualquer relação com atividade sindical. Não há, no trabalho da Corregedoria, qualquer juízo de valor, apenas o cumprimento da legislação e regimentos das corporações.”

Deixe uma resposta