Alunos da rede municipal de Juazeiro conquistam 6 medalhas na Olimpíada de Astronomia e Astronáutica

alunos

De acordo com a gestora, Meire Barros, os alunos que receberam ouro tiraram nota 10 no exame e as de bronze foram para os que alcançaram a média nove./ Foto: Ascom

Quatro medalhas de ouro e duas de bronze. Este foi o número de premiações que os alunos da Escola Municipal Judite Leal Costa, localizada em Juazeiro (BA), receberam na Olimpíada de Astronomia e Astronáutica (OBA) de 2016. A prova foi realizada no dia 13 de maio para as turmas do 5º ano, mas o resultado chegou de surpresa na semana passada.

De acordo com a gestora, Meire Barros, os alunos que receberam ouro tiraram nota 10 no exame e as de bronze foram para os que alcançaram a média nove. Ela ainda destaca que os demais estudantes, apesar de não terem conquistado medalhas, também obtiveram resultados acima da média. “É muito gratificante ver a felicidade dos que foram contemplados. Estamos planejando fazer uma solenidade para a entrega das medalhas”, diz com satisfação.

Ananda Victória tirou 10 na avaliação do OBA, mas conta que a prova não foi fácil. “O que aprendemos nas aulas sobre astronáutica e astronomia me ajudaram, mas nunca pensei que seria 10”, exclama a garota. Com a mesma nota, Kamila Ferreira acredita que seus pais vão ficar orgulhosos com o resultado. “Eu fiquei surpresa, mas foi muito legal fazer a prova”, afirma.

O secretário municipal de Educação e Esportes do município, Clériston Andrade, parabeniza a escola pelo desempenho na competição e lembra os bons resultados que a Educação em Juazeiro conquistou neste ano. “Recebemos recentemente o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de 2015, e Juazeiro já alcançou a meta estabelecida para 2021, se posicionando como a primeira entre as 10 maiores cidades da Bahia. Agora a única escola da cidade participante da competição conquistou 6 medalhas”, salienta.

A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB). A participação é aberta para escolas das redes pública e privada, sem uma exigência de número mínimo ou máximo de alunos. São distribuídas cerca de 40.000 medalhas, entre ouro, prata e bronze, para os alunos que obtêm maiores notas.

Com informações de Ascom

Deixe uma resposta