Alunos, professores e corpo técnico de escola em Petrolina fazem tributo à professora Simone Ramos

Durante a homenagem, pelo transcurso de um ano da sua morte, vítima de um câncer, familiares, amigos e colaboradores do Plenus Colégio e Curso – que ela ajudou a fundar há 25 anos- reuniram-se na Unidade Orla para lembrar momentos marcantes/Foto:Clas

Durante a homenagem, pelo transcurso de um ano da sua morte, vítima de um câncer, familiares, amigos e colaboradores do Plenus Colégio e Curso – que ela ajudou a fundar há 25 anos- reuniram-se na Unidade Orla para lembrar momentos marcantes/Foto:Clas

Visionária, corajosa, determinada e amorosa, essas foram quatro das inúmeras palavras ditas na noite desta quinta-feira (19) para traduzir a personalidade emblemática da professora juazeirense Simone Cerqueira Ramos. Durante a homenagem, pelo transcurso de um ano da sua morte, vítima de um câncer, familiares, amigos e colaboradores do Plenus Colégio e Curso – que ela ajudou a fundar há 25 anos- reuniram-se na Unidade Orla para lembrar momentos marcantes com muita poesia, música e cinema.

A diretora pedagógica, Sílvia Santos, abriu a solenidade evidenciando a importância da história e do exemplo de vida da homenageada. “Simone nasceu em Juazeiro – BA, em 1963, formou-se em Salvador – BA, e, de volta à região, realizou o sonho de todo professor: transformar em realidade um colégio que hoje é modelo e referência em ensino e cidadania para o segmento educacional do Vale do São Francisco”, ressaltou a gestora.

Em seguida, o marido de Simone, o músico e diretor administrativo do Plenus, Nilton Freitas, começou uma viagem musical pelas canções preferidas da homenageada; mas, bastante emocionado, entregou o violão aos amigos e as lágrimas lhe tomaram a voz.  E a noite seguiu em recital e mostra de vídeos, revivendo as memórias e lembranças da professora, que se formou em Letras pela Universidade Católica de Salvador e antes de segurar o diploma já lecionava na Fundação José Carvalho, uma instituição de alunos superdotados do Recôncavo Baiano.

Os professores Vlader Nobre e Emanuel Sá evocaram nomes imortais da Literatura Brasileira, a exemplo de Manuel Bandeira e Guimarães Rosa, para traduzirem em versos a imagem viva da mesma Simone que hoje também é lembrada por ter criado os projetos Clube de Leitura, Clube de Cinema e Zoom.

Outro momento rico em significados aconteceu quando rosas vermelhas foram entregues e as pessoas convidadas a definirem a homenageada em uma só palavra. Um a um, os convidados diziam alto e em bom som do sentimento e da gratidão por terem convivido com a professora. “Conheci minha mãe lutando. Ela lutou para fundar o colégio, se esforçou para que seus alunos gostassem do que ela ensinava e brigou até o fim com a doença. Ela viveu intensamente até o último dia”, resumiu o filho da professora, Miguel Ramos, que esteve no tributo, com a família.

E para encerrar o memorial, o Clube de Cinema Plenus, exibiu o drama Laços de Ternura, do diretor James L. Brooks. Os presentes também puderam conferir uma exposição com fotos e filmes preferidos da homenageada.

Com informações da CLAS Comunicação e Marketing

Deixe uma resposta