Após anúncio de greve, Edilson Silva pede que Governo do Estado negocie com servidores da Apac

temperatura

Oposicionistas acusam governo de recusar diálogo (Foto: ilustração)

A greve dos servidores da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) repercutiu no Plenário nesta quinta (17), por meio da leitura de carta aberta da categoria, pelo deputado Edilson Silva (PSOL). O documento expõe a ausência de negociação para conter perdas salariais dos servidores e também da disposição de diálogo por parte da Secretaria da Fazenda Estadual. “É nossa obrigação, como parlamentares, contribuir para a desobstrução desse diálogo, intermediando essa negociação”, declarou o psolista.

Edilson afirmou, ainda, que vai articular junto à Comissão de Administração, presidida pelo deputado Ângelo Ferreira(PSB), uma audiência com o secretário da pasta, Milton Coelho, e a representação do sindicato da categoria. “Precisamos tirar da pauta o ponto da falta de diálogo. Esses servidores realizam um trabalho de grande relevância e merecem melhor tratamento.” O grupo, que acompanhou a Reunião Plenária, reivindica um reajuste de 17,12%, referente à reposição inflacionária de 1º de junho de 2014 a 31 de maio de 2016, além de ganho real de 2,5%.

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Agricultura e do Meio Ambiente (Sintape), Manuel Saraiva avaliou que a categoria tem sido desconsiderada: “Profissionais que têm excelentes níveis acadêmicos estão sendo bastante desprezados e precisam ser ouvidos. O Estado deve regulamentar a operação dessa agência, pois está agindo com incompetência na gestão de pessoas e de recursos”.

Em aparte, o líder da Oposição, Sílvio Costa Filho (PRB) também se posicionou a favor do grupo, em greve desde quarta (16). “Que gestão é essa que em momento de crise despreza o diálogo? Temos hoje um Governo Estadual que não ouve os servidores”, criticou. “Tive acesso à pauta de reivindicações, além do item salarial, que tem relação com a questão econômica, tem outros pontos, como a formação do conselho diretor da Apac, que não tem qualquer impacto e, mesmo assim, também está represado. Precisamos ajudar nessa negociação”, acrescentou Edilson Silva.

Com informações de Alepe

Deixe uma resposta