Após atentado contra secretário da Ammpla, segurança de Miguel Coelho e de demais envolvidos em licitação será reforçada

(Foto: Thamires Santos)

As especulações sobre o que motivou o atentado contra o Secretário da Ammpla, José Carlos, ocorrida na manhã de hoje (11), são muitas. No entanto, a Polícia Civil de Pernambuco não confirmou nenhuma informação e disse que só se pronunciará ao final das investigações.

O fato é que, desde o início do processo de licitação da nova empresa responsável pelo transporte coletivo de Petrolina, o prefeito Miguel Coelho, o secretário José Carlos, o ex-diretor do órgão, Geraldo Miranda e o  diretor da Ammpla, Edilsão do Trânsito, foram ameaçados.

“A gente sabia que existiam as ameaças, mas a gente não imaginava, exatamente por nunca ter acontecido em  Petrolina, chegar a um ponto tão extremo como uma tentativa de homicídio, como ocorreu na manhã de hoje”, disse Miguel Coelho durante coletiva de imprensa.

Diante do ocorrido que vitimou o secretário José Carlos, as ameaças agora são levadas em conta, e segundo o prefeito Miguel Coelho, sua segurança e dos demais envolvidos na “licitação do transporte coletivo”, será reforçada.

“Depois de hoje medidas a mais terão que ser tomadas. O próprio governador colocou a segurança disponível, não só para a nossa equipe, mas para todas as pessoas que tiveram participação no processo de licitação desse novo contrato. A empresa também sofreu ameaças e eu fui informado de que eles já abriram Boletim de Ocorrência”, ressaltou Miguel.

Deixe uma resposta