Atirador entra em boate gay e deixa 50 mortos em Orlando

boate gay

Familiares e policiais momentos após o ataque que matou cerca de 50 pessoas e deixou 53 feridos.

Um atirador deixou cerca de 50 mortos, após abrir fogo dentro de uma boate voltada ao público LGBT em Orlando, na Flórida, na madrugada deste domingo. O autor morreu durante uma troca de tiros com a polícia e cerca de 50 feridos, entre eles um policial, foram levados ao hospital. A polícia identificou o suspeito como Omar Saddiqui Mateen, de 27 anos, nascido em Port St Lucie, na Flórida, porém o FBI, que comanda as investigações, na segunda entrevista coletiva, não confirmou o nome informado e afirmou que o atirador agiu “de forma organizada”. O Itamaraty informou que, por enquanto, não há registro de brasileiros entre as vítimas.

Cerca de 50 pessoas morreram e outras 53 ficaram feridas — muitas delas em estado grave — no ataque, afirmou o prefeito de Orlando Buddy Dyer, que declarou estado de emergência na cidade e no estado da Flórida.

Armado com um rifle e um revólver, o atirador abriu fogo no clube noturno Pulse por volta das 2h (5h no horário de Brasília), antes de fazer vários reféns, de acordo com relatos da mídia local. Foram disparados até 40 tiros e o autor tinha um dispositivo junto ao corpo, que pode ser uma bomba.

Um policial que trabalhava como segurança dentro da boate Pulse trocou tiros com o suspeito e, na sequência, uma equipe de policiais entrou no local e matou o atirador. Não foi esclarecido em que momento o homem armado atirou nas vítimas.

Ao menos um policial ficou ferido no tiroteio, mas a ação da polícia salvou ao menos 30 vidas, disse o chefe de polícia de Orlando, John Mina, em uma entrevista coletiva à imprensa.

O episódio ocorreu durante uma festa de tema latino, que reunia mais de 300 pessoas na casa. Segundo testemunhas, as pessoas se jogaram no chão quando notaram os disparos.

Logo após a ocorrência, a página da casa noturna no Facebook postou uma mensagem pedindo para que todos deixassem o local e continuassem a correr.

Um forte barulho foi ouvido na região do episódio, e a polícia classificou como uma “explosão controlada”. Veículos de emergência estão no local e os feridos estão sendo levados ao Hospital Regional de Orlando.

Com informações O Globo

Deixe uma resposta