Audiência Pública discute diretrizes para licitação do transporte coletivo de Petrolina

Durante a manhã dessa sexta-feira (20) foi realizada uma Audiência Pública com a finalidade de discutir a nova licitação do transporte coletivo em Petrolina. A etapa precede o lançamento do edital e teve como prioridade ouvir as demandas populares na formulação do processo licitatório.

O Procurador-geral do município, Diniz Eduardo explicou como será o edital, que selecionará a proposta com menor tarifa cobrada ao público e poderá contar com a participação de qualquer empresa. “Essa audiência pública tem o intuito de apresentar diretrizes e a base para o edital e é com base nesse trabalho que pretendemos realizar uma licitação para a escolha de uma operadora que vai prestar esse serviço”, explicou o procurador.

Renovação

De acordo com Diniz Eduardo, quando a nova gestão assumiu a Prefeitura percebeu-se a necessidade de repensar o transporte coletivo, que segundo ele estava em situação precária.

O diretor-presidente da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA), Geraldo Miranda endossou o discurso do município sobre a necessidade da audiência, para que o novo sistema de transporte coletivo contemple todas as demandas populares. Segundo Geraldo Miranda, a concessão será de 15 anos.

“Existia um distanciamento por parte dos prestadores de serviço para a efetiva prestação do bom serviço à comunidade. Se o sistema de transporte não é bom, de imediato já fica uma negatividade perante o ente público. Esse processo de licitação será regido pela Lei Federal em seus critérios e eu quero deixar uma coisa bem clara para todos os participantes que a formatação desse edital está baseada na legalidade. Hoje o que acontece é que nós temos que cobrar as instâncias locais que esse processo seja deflagrado“, disse.

Exigências

Um dos pontos importantes do novo sistema de transporte coletivo é a criação de mecanismos de fiscalização da qualidade do serviço, o que anteriormente não estava em funcionamento. 80% dos veículos colocados à disposição da comunidade deve ser formado por ônibus novos e outra exigência é 100% com rampas de acessibilidade a deficientes físicos.

Ônibus híbridos e energéticos também estão entre os pontos abordados pela Prefeitura na elaboração do edital, revelou Geraldo Miranda. O diretor-presidente da AMMPLA também explicou que as mudanças serão feitas em médio e longo prazo.

Participação popular

Vários petrolinenses participaram da Audiência Pública apresentando os problemas de suas comunidades. Participaram da discussão os vereadores da Casa Plínio Amorim, representantes do Ministério Público de Pernambuco e lideranças comunitárias.

Deixe uma resposta