Auditor fiscal em pernambuco é investigado pela Polícia Federal na 6ª fase da Operação Zelotes

zelotes

Todo o material recolhido em Pernambuco durante a 6ª fase da Operação Zelotes da Polícia Federal  – tablets, computadores, agendas, CDs e documentos – deve ser encaminhado para análise nesta sexta-feira (26) a Polícia Federal em Brasília, sede da investigação. Os objetos foram recolhidos nesta quinta-feira (25), resultado do mandado de busca e apreensão na residência de um auditor fiscal da Receita Federal no estado.

O auditor, que não teve o nome divulgado, é suspeito de envolvimento nas fraudes em julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF) ligado ao Ministério da Fazenda. De acordo com a Polícia Federal em Pernambuco, ele foi presidente da primeira sessão de julgamento no CARF entre os anos de 2012 e 2015. Tinha o poder de julgar, com outros integrantes da receita, as multas tributárias contra as empresas. Um mandado de condução coercitiva contra o auditor fiscal também foi cumprido.

O depoimento dele na sede da Polícia Federal, no centro do Recife, durou mais de três horas na manhã desta quinta-feira (25). O assessor de comunicação da PF, Giovanni Santoro, diz que o nome do auditor não pode ser divulgado e que ele ainda pode ser indiciado. “Nós não revelamos o nome dessa pessoa que está sendo ouvida aqui(…) Se depois houver uma contradição ou nesses materiais que nós arrecadamos tiver indício suficiente como também em outros estados da sua participação efetiva aí ele pode ser chamado novamente e aí indiciado por outros crimes que estão sendo investigados dentro dessa operação Zelotes”, disse.

Depois de responder as perguntas elaboradas pelos policiais federais em Brasília, o auditor fiscal foi liberado. Ainda segundo Giovani Santoro é cedo dizer qual é a participação exata do suspeito nas fraudes. “Ainda é prematuro a gente estar indiciando ele por algum tipo de participação, porque é necessário que a gente examine todos esses documentos e aparelhos de informática que foram apreendidos em sua residência”, contou

A Operação Zelotes foi deflagrada em Pernambuco e em outros quatro estados do país: São Paulo, Rio De Janeiro, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. Ao todo foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão e 22 de condução coercitiva, quando a pessoa presta depoimento e depois é liberada. Um dos mandados de condução foi para o presidente do Grupo Gerdau, André Gerdau.

Com informações de Rádio Jornal

Deixe uma resposta