Brasil supera 10 mil enfermeiros afastados e 88 mortos, o dobro da Itália

Médicos fazem treinamento no hospital de campanha para tratamento de covid-19 do Complexo Esportivo do Ibirapuera.

A pandemia do novo coronavírus já causou o afastamento de mais de 10 mil profissionais de enfermagem no Brasil. São 88 mortes relacionadas à doença. Os números são do Comitê Gestor de Crise do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), que lançou hoje um site, o Observatório da Enfermagem, para atualizar sobre a evolução da Covid-19 entre os enfermeiros.

Ainda de acordo com o Cofen, os 88 enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem mortos representam o dobro dos números na Itália, um dos grandes centros da crise. O Comitê acusa a falta de cuidados com os profissionais como principal fator de explicação.

O Cofen acionou a Justiça para garantir que profissionais que sejam de grupos de risco possam se afastar de funções que exijam contato direto com casos suspeitos ou confirmados da doença e para assegurar a realização de testes nas equipes de enfermagem. Uma liminar de segunda-feira (4) garantiu o afastamento destes trabalhadores.

O Comitê considera que os casos registrados oficialmente estão subnotificados e que são “o pico do iceberg”.

Deixe uma resposta