Câmara de Vereadores suspende sessão que apreciaria projeto sobre dupla função dos motoristas de ônibus em Petrolina por falta de quórum e revolta presentes

O presidente da Casa explicou que não havia quórum suficiente e que todos os presentes presenciaram o fato. (Foto: blog Waldiney Passos)

A sessão desta terça-feira (13), que tinha na pauta a votação do projeto sobre a dupla função do motorista dos ônibus de Petrolina (PE), foi encerrada por falta de quórum. Somente cinco vereadores compareceram à sessão. É necessário o mínimo de sete vereadores para dar início aos trabalhos na Casa.

O fato que mais chamou a atenção foi um documento, que pode ser visto ao final da matéria, recebido pelo presidente da Câmara, Osório Siqueira (PSB), do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do Vale do São Francisco (Setranvasf) que pedia o adiamento da sessão para melhor apreciação da matéria. Coincidência ou não, o fato é que não houve sessão.

A decisão revoltou os presentes que estavam na Casa. Eles disseram que se o projeto não fosse votado, as homenagens e entregas de títulos marcadas para depois da sessão também não iriam acontecer. Os populares fecharam o local por onde os homenageados entrariam.

O líder comunitário do bairro São Gonçalo, Cícero Romão de Souza, afirmou que havia o total de oito vereadores na Casa e que o presidente da Câmara adiou a votação por causa da carta enviada pela Setranvasf. Romão disse ainda que a atitude presenciada na sessão era um desrespeito com o povo. O presidente da Casa explicou que não havia quórum suficiente e que todos os presentes presenciaram o fato.

“Eu acho que é uma falta de respeito com o povo, pois já houve o parecer do jurídico e o presidente da Casa afirmou que colocaria o projeto na pauta de hoje. Infelizmente, ele disse que não havia quórum, mas havia sim. Tinham oito vereadores esperando para começar a sessão. A verdade é que Osório recebeu uma carta agora de manhã da Setranvasf para não votar o projeto hoje e ganhar tempo, e de repente ele encerrou a sessão. Quinta-feira eu tenho certeza que o projeto não vai entrar na pauta e quem vai ficar no prejuízo é o povo. Osório está aqui é para defender o povo e não as empresas de ônibus, ou não é? Isso foi uma manobra dele para que o projeto não fosse votado hoje”, afirmou.

Cícero Romão lembrou ainda da suspensão do benefício da gratuidade nas passagens de ônibus para os idosos e para os portadores de necessidades especiais em Petrolina.

“Sobre o cancelamento do cartão dos idosos e dos deficientes, o prefeito Júlio Lossio passou oito anos na prefeitura e não levantou uma baia para proteger o idoso e os deficientes. Agora esses estão abandonados sem cartão para usar o transporte. Nós estivemos com o prefeito e ele afirmou que o assunto estava resolvido, resolveram? Não! Quem sofre não é ele, é o povo. Eu já vi cadeirante chorando em ponto de ônibus, que se quer tem cobertura. O pessoal da APAE ganha meio salário mínimo e não tem dinheiro para bancar passagens de ônibus todo dia. E agora, como a gente fica?”.

(Foto: blog Waldiney Passos)

O vereador Geraldo Acerola (PT), autor do projeto que estava em pauta, também comentou a atuação do presidente ao encerrar a sessão. Segundo ele, deveria haver uma maior tolerância, já que, além da importância do projeto, em outras ocasiões as sessões chegaram a atrasar até dez minutos.

“Eu reconheço que eu me atrasei, mesmo sendo dois minutos. É claro que algumas sessões as vezes começa com cinco ou seis vereadores e vai chegando os demais. E, pela importância do projeto, poderia ter existido um pouco mais de tolerância por parte do presidente. Ele prometeu que na próxima quinta-feira o projeto voltará para pauta e será votado”.

Deixe uma resposta