Caso Beatriz Mota: retrato falado foi construído a partir de testemunho de três pessoas

retrato falado beatriz 2

A polícia divulgou, em coletiva na manhã desta segunda-feira (22), o retrato faltado do suspeito de assassinar a garota Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, durante uma festa em um colégio de Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

 O crime ocorreu no dia 10 de dezembro de 2015. Até o momento, o homem descrito no retrato não foi identificado. A polícia chegou ao rosto do suposto assassino após ouvir o depoimento de três testemunhas que viram um homem saindo do banheiro feminino e da escola.

A criança foi encontrada com várias facadas pelo corpo atrás de um armário, na sala de materiais esportivos do Colégio Maria Auxiliadora, no Centro da Cidade. A menina era filha de um professor de inglês que participava da Aula da Saudade dos alunos. De acordo com testemunhas, Beatriz estava brincando na quadra da escola quando desapareceu.

Com informações de NE10

Deixe uma resposta