Contra e a favor da CPMF, Dilma se contradiz ao defender recriação do imposto

A presidente Dilma Rousseff (PT), está mobilizando os governadores em torno da proposta de reedição da famigerada CPMF, vale salientar que durante toda a campanha eleitoral de 2014 a própria mandatária reiterou ser contra o retorno dessa contribuição para financiar a saúde no país. O que mudou então de lá para cá para a presidente trocar de opinião? Sinceramente, não dá mais para confiar em políticos que falam uma coisa em campanha e na prática agem completamente ao contrário.

Quando menino prestava sempre atenção nos conselhos dos meus pais e avós “a palavra de um homem vale mais que dinheiro”, homem, neste caso, refere-se as pessoas independentemente da questão de gênero, qualquer um que honre com o que fala e não recorre ao expediente da mentira para obter vantagens na vida.

A CPMF é na realidade mais uma imposição a quem já está calejado de tanto pagar impostos, taxas, tributos e por aí vai. É tirar de quem menos tem culpa na triste situação financeira por que passa o país. É até contraditório também se pregar o equilíbrio das contas públicas em campanha e logo após meter a mão no bolso da gente sem pena, nem dó. É aumento da gasolina, da conta de luz, da comida, da roupa, do transporte, tudo, tudo está subindo e muito neste Brasil de esperança, a única coisa que caiu mesmo nos últimos meses foi a popularidade da presidente Dilma por não ter cumprido com o que prometera.

Pois bem, não se engane. Sabe quando a CPMF vai resolver o problema da saúde no Brasil? Nunca! Isso mesmo, basta olhar para um passaado não tão distante e concluir como era a nossa saúde durante o tempo em que esse imposto vigorou,  uma vergonha, talvez pior do que é hoje. Sua instituição só resolveu mesmo os problemas financeiros dos milhares de políticos corruptos desse país, é nisso que eles estão de olho, no aumento do montante que é retirado do nosso bolso para financiar suas mordomias, eis a verdade.

A pergunta é, por que a presidente não reduz pela metade o número de ministérios, não enxuga a máquina que está inchada com um monte de gente desocupada só mamando nas tetas do governo? Só com essa medida garanto que os recursos que são jogados fora serviram para tapar o rombo nas contas públicas e financiar a saúde como eles pregam. Mas como a corda só rompe no lado mais fraco é bom ir preparando o bolso porque vão meter a mão e tomar um pouco mais do que você ganha com tanto esforço e suor.

Deixe uma resposta