Curso de “Acessibilidade comunicacional nas artes” está com inscrições abertas em Petrolina

Andreza Nóbrega, coordenadora da VouVer Acessibilidade, mestre em educação inclusiva, licenciada em artes cênicas e especialista em audiodescrição.

Através do FUNCULTURA, a VouVer Acessibilidade realiza o curso de “Acessibilidade comunicacional nas artes”, que aprofundará o estudo das práticas inclusivas no universo artístico. Os encontros, que terão 60 horas de duração, acontecerão no SESC Petrolina, a partir do dia 15 de julho, durante duas semanas. As inscrições estão abertas até o dia 27 de junho e podem ser feitas pela internet, as vagas são limitadas. O valor é uma taxa única de R$50.

O curso vai discutir conceitos e práticas inclusivas envolvendo pessoas com deficiência no universo das artes em geral, como teatro, dança, circo, artes visuais e as aplicabilidades da audiodescrição, libras, braille, fontes ampliadas, entre outras tecnologias assistivas. Além disso, serão apresentadas ações inovadoras no campo da acessibilidade comunicacional que possam estimular a experimentação e o desenvolvimento de novas estratégias de mediações inclusivas na cena artística. Os temas trabalhados contemplam diversas áreas de formação, como produtores, artistas, arte-educadores, gestores culturais, pedagogos, historiadores, monitores e interessados em arte e acessibilidade em geral, maiores de 18 anos.

Para Andreza Nóbrega, coordenadora da VouVer Acessibilidade, o fato da acessibilidade passar a ser um dos critérios de pontuação de alguns editais de financiamento, faz com que o tema tenha que ser aprofundado em outras esferas. “O curso tem como princípio trabalhar os afetos e a empatia por meio do convívio, do mergulho teórico e prático no campo da acessibilidade, buscando promover as transformações necessárias para a criação de ambientes/relações permeados pelas diferenças”, diz Andreza.

Além de Andreza, mestre em educação inclusiva, licenciada em artes cênicas e especialista em audiodescrição, as aulas serão conduzidas por outros três ministrantes: Igor Rocha, especialista em educação para surdos, graduado em letras/libras; Marcelo Pedrosa, arquiteto que realiza projetos que dialogam a acessibilidade arquitetônica com a comunicacional e Milton Carvalho, graduado em publicidade, consultor em audiodescrição e professor e revisor de braille.

Deixe uma resposta