Daniele Hypólito visita Petrolina e conhece atletas da APA

Ginasta fará palestra em Juazeiro (BA) durante a noite (Foto: Blog Waldiney Passos)

Em sua primeira passagem pelo Vale do São Francisco, a ginasta olímpica Daniele Hypólito conheceu atletas da Associação Petrolinense de Atletismo (APA) na manhã dessa quinta-feira (25), em Petrolina. Ela também conversou com o Blog e destacou a importância dos esportistas viajarem pelo país para, não apenas interagir com os fãs, mas ver de perto a realidade dos atletas locais.

A vinda de Daniele está inserida nas comemorações de um ano de implantação da Faculdade Estácio de Sá, em Juazeiro (BA), onde à noite ela dá uma palestra a alunos do curso de Medicina. “A Estácio tem esse programa, de trazer os atletas que ela apoia. A gente se doa bastante pelo esporte, mas é sim importante você manter o estudo e ter uma carreira após o esporte. O esporte, ele passa. A educação está constantemente presente em nossas vidas, relatou.

Viagens pelo Brasil

Afastada das atividades esportivas devido a uma lesão no ano passado, ela não abdicou da carreira e confidenciou ao Blog que pretende investir na Comunicação (já que cursa Marketing) quando se aposentar. Nesse período sabático, ela aproveita para rodar o país e ter um contato mais próximo com os brasileiros.

Equipe da APA conhece ginasta (Foto: Blog Waldiney Passos)

“A gente não tem noção do quanto é querido, de que algo que eu fale e influencie uma pessoa. Vivi 30 anos pela ginástica, ainda vivo por ela e são poucos os momentos que a gente sai para fazer palestra”, afirmou.

Incentivo ao esporte

Depois da entrevista ela conheceu alguns atletas da APA que já vivenciaram e vivenciam algo comum a todos os esportistas nacionais: falta de apoio financeiro. Segundo Daniele é um sentimento frustante e esse cenário precisa mudar:

“Digo por experiência de ter competido na Olimpíada do Rio, de que seria um divisor de águas no Brasil e a gente acabou voltando como era há muitos anos. É muito difícil? É, mas só nós podemos quebrar essa barreira. Não está fácil para nenhum brasileiro, mas é aquela coisa: eu quero, é difícil? Mas o importante é você fazer o que você ama, saber que você pode mudar sua história e das pessoas que te acompanham. Tenho dois parceiros que me acompanham. Aquilo que você tem, você tem que cuidar”, finalizou.

Deixe uma resposta