Prisão de Delcídio Amaral e agravamento da crise política podem comprometer o país em 2016, afirma senador Fernando Bezerra Coelho

FBC

“Um fato sem precedente na política do país e na história do Senado Federal”, assim avaliou o senador Fernando Bezerra Coelho o episódio da prisão do senador Delcídio Amaral (PT/MS),  que teve a prisão decretada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e confirmada pela Senado. Para Fernando Bezerra, votar a favor da manutenção da prisão do líder do governo no Senado foi uma situação de muito constrangimento, independentemente dos atos que foram levados a público pelas gravações realizadas e que serviram de base  para a manifestação e a decisão do STF. “O senador Delcídio Amaral sempre desfrutou de muita consideração pelos seus pares, até pela forma muito educada e gentil, que ele tratou a todos”, enfatizou.

Fernando afirmou que nesse primeiro ano de mandato no senado conseguiu o apoio do senador Delcídio Amaral, quando esse estava investido das funções de presidente da Comissão de  Assuntos Econômicos do Senado Federal CAE), a aprovação da proposta de lei de sua autoria que cria o Plano Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR).

O senador avaliou que a prisão de Delcídio agrava ainda mais a crise política no país. “Nós vamos ter um ano muito mais problemático do que imaginávamos, temos uma pauta ainda no Congresso Nacional para 2016: a votação do Plano Pluri anual (PPA) e  a votação da nova meta fiscal do governo federal para o ano de 2015, todas matérias muito importantes e certamente isso repercutirá na velocidade que serão tramitadas podendo gerar mais desgastes nos campos político e econômico”, pontuou.

MAIS DESGASTE PARA A PRESIDENTE DILMA

Por fim, Bezerra Coelho disse acreditar num desgaste ainda maior da presidente Dilma Rousselff. “Creio que sim, nós não temos ainda pesquisas divulgadas mais certamente os grandes veículos de comunicação deverão está fazendo sondagens e brevemente a gente vai poder constatar os efeitos disso na opinião pública do nosso país”, concluiu.

Deixe uma resposta