Dilma pedirá que STF apure vazamento de investigação sobre ela

Para Dilma, o vazamento das informações que estavam sob sigilo, às vésperas da votação do impeachment pelo Senado, foi feito por pessoas "com interesses escusos inconfessáveis"/Foto: arquivo

Para Dilma, o vazamento das informações que estavam sob sigilo, às vésperas da votação do impeachment pelo Senado, foi feito por pessoas “com interesses escusos inconfessáveis”/Foto: arquivo

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (4) que vai pedir uma investigação sobre o vazamento do pedido de abertura de inquérito contra ela feito ao STF (Supremo Tribunal Federal) pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Segundo a presidente, as denúncias feitas pelo senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), que dão base ao pedido, “são absolutamente levianas e, sobretudo, mentirosas”. Para Dilma, o vazamento das informações que estavam sob sigilo, às vésperas da votação do impeachment pelo Senado, foi feito por pessoas “com interesses escusos inconfessáveis”.

“Lamento, mais uma vez, que algo muito grave tenha acontecido. O vazamento de algo pela imprensa, algo que, ao que tudo indica, estava sob sigilo e, estranhamente, vaza às vésperas do julgamento do Senado. Aqueles que vazaram têm interesses escusos inconfessáveis. Eu vou solicitar ao ministro da AGU (Advocacia-Geral da União) que solicite a abertura, no Supremo, para apurar esses vazamentos”, disse a presidente.

Janot enviou ao STF um pedido de abertura de inquérito contra Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da AGU (Advocacia-Geral da União), José Eduardo Cardozo, sob suspeitas de terem atuado para obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

A investigação se baseia na delação do senador Delcídio, que relatou ação de Dilma para nomear um ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) com o objetivo de libertar empreiteiros presos.
A petista afirmou ainda que os vazamentos “têm uma característica” que é causar “danos”. “Primeiro, você vaza. Depois, se caracterizar que nada há, o dano já foi feito. E o que querem com isso é o dano feito”, disse Dilma.

A presidente afirmou mais uma vez que “sempre foi a favor de investigações” e que não será diferente agora. “Inclusive quero saber quem é o autor ou os autores do vazamento”.

As declarações de Dilma foram feitas após cerimônia de lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2016/2017, no Palácio do Planalto.
Com informações da Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta