Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Durante ocupação, MST critica edital para Projeto Pontal: “vai atender uma minoria”

(Foto: MST Petrolina)

Na manhã dessa terça-feira (20) trabalhadores rurais ligados ao Movimento Sem Terra (MST) ocuparam a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Petrolina. Durante o ato, integrantes do movimento falaram sobre as reivindicações do grupo, sendo a principal delas o edital da Codevasf para a aquisição de lotes no Projeto Pontal.

De acordo com o MST, agricultores e agricultoras dos Acampamentos Democracia, Dom Tomás, José Almeida 1 (Lagoa Grande) e José Almeida (Petrolina) participaram da ocupação.

Reivindicações do MST

Segundo Florisvaldo Alves, representante do MST a principal reivindicação dos trabalhadores rurais é o edital da Codevasf. “Estamos levando a pauta das famílias que estão acampadas no Pontal, porque até o momento Governo Federal e Incra, ninguém cumpriu o que foi acertado e a princípio ocupamos o INCRA, mas estamos preparando outras ações em Petrolina” afirmou o agricultor.

Ainda de acordo com Florisvaldo, a ocupação é uma maneira de chamar atenção do Governo Federal e do INCRA. Somente no Projeto Pontal existem 500 famílias trabalhando reconhecidamente pela CODEVASF, porém com o direito negado pelo Governo Federal.

O agricultor destacou que as ações podem durar a semana inteira. “Nós estamos em luta durante o dia de hoje e vamos permanecer até nossas reivindicações serem atendidas e vamos tentar uma reunião em Brasília, mas não vamos abrir mão dos direitos dos trabalhadores e do Pontal” explicou.

Críticas a Codevasf

O edital nº35/2017 da Codevasf seleciona agricultores para a aquisição de 299 unidades familiares para plantação. Na visão do MST, o procedimento não vem contemplando os agricultores que realmente necessitam de terras.

“Sabemos que está acontecendo uma licitação, mas somos contra a maneira que eles estão fazendo, porque não vai atender aos pequenos e os trabalhadores. Somos a favor do desenvolvimento da nossa região e do crescimento do agricultor, mas do jeito que eles estão fazendo nenhum trabalhador terá direito” ressaltou Florisvaldo.

Segundo o coordenador do MST, durante a semana serão realizadas negociações na sede do INCRA e a luta do movimento é para que não seja dado mais um “golpe” contra os direitos dos brasileiros. “Mais uma vez, vamos levar um golpe porque estamos perdendo tempo nas filas para garantir as inscrições, porque o edital vai atender uma minoria” finalizou Florisvaldo.

Codevasf emite nota sobre ocupação

Ainda pela manhã o Incra emitiu uma nota por meio de sua assessoria de comunicação, informando que aguarda o retorno do superintendente a cidade, para que o MST apresente as propostas do movimento. Confira a íntegra da nota:

O Incra do Médio São Francisco, em Petrolina/PE, comunica que, na manha desta terça-feira (20) a sede foi ocupada pelo Movimento dos trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e que por este motivo o atendimento ao público está suspenso. Entretanto o movimento social aguarda o retorno do Superintendente, Bruno Medrado, em viagem a serviço fora do município, para apresentar a pauta de reivindicação. A previsão é que aconteça uma reunião no final da tarde de hoje para decidir sobre a desocupação do prédio.

Deixe uma resposta