Em entrevista ao Blog, Miguel Coelho reafirma que Compesa não seguirá operando na cidade

Miguel Coelho foi o 1º entrevistado (Foto: Blog Waldiney Passos)

O Blog Waldiney Passos começou, nessa sexta-feira (16), a rodada de entrevistas com os candidatos a prefeito de Petrolina (confira a íntegra aqui). O convidado de hoje foi o atual gestor, Miguel Coelho (MDB). Ele iniciou a entrevista – que foi transmitida ao vivo pelo Blog e YouTube – destacando os servidos prestados no seu atual mandato.

“Nós estamos transformando a Petrolina dos nossos sonhos na Petrolina real. Vamos ter muitos mais projetos nos próximos quatros anos. Por esses projetos, de uma Petrolina melhor para os quatro anos, nós estamos nos apresentando. Para que você possa fazer a reflexão“, afirmou o atual prefeito.

Em 30 minutos de entrevista, conduzida pelo radialista Waldiney Passos, Miguel enfatizou sua aprovação. “A gente fica feliz de chegar a esse fim desse mandato, de acordo com a última pesquisa, com mais de 95% de aprovação. Isso aumenta nossa responsabilidade de fazer mais“, pontuou.

Entrevista foi conduzida por Waldiney Passos

Futuro da Compesa em Petrolina

De acordo com o prefeito, se eleito para o novo mandato, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) não permanecerá na cidade. Inicialmente ele explicou a celeuma judicial, após um pedido do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE), na véspera da licitação para escolha de uma nova empresa.

“Fizemos todo o trâmite como manda a lei e agora o Novo Marco Regulatório do Saneamento Básico também determina. A nossa licitação foi auditada e avalizada pelo Tribunal de Contas e a gente conta com apoio da Fundação Getúlio Vargas. Houve na véspera da licitação o Tribunal pediu mais alguns ajustes, atendemos e republicamos a data prevista para 30 de novembro“, destacou.

Nova licitação 

Vamos conseguir investir muito nos próximos anos, porque fizemos um Plano municipal de saneamento básico que prevê, dentro da próxima concessão que tem um prazo de 30 anos, a empresa vencedora da licitação terá que investir mais de R$ 1 bilhão em coleta de água e esgoto”, disse.

A meta é universalizar o abastecimento de água – na área urbana e rural – em cinco anos, ressaltou o candidato à reeleição. Miguel destacou a lentidão da Compesa em executar suas obras nas bacias do Jatobá (2017) e Antônio Cassimiro (2018). “No quesito tratamento de esgoto ainda temos muito que fazer, vamos fazer tirando a Compesa de Petrolina e colocando uma nova empresa e fazendo seguir o plano de investimento”, afirmou.

Deixe uma resposta