Em Pernambuco, cultos em presídios têm novas regras por medidas de segurança

Não está explícito no documento, mas a medida, segundo quem vive o dia a dia do sistema, tem o objetivo de aumentar a segurança. (Foto: Internet/Ilustração)

A entrada de pessoas para desenvolver atividades religiosas em unidades prisionais de Pernambuco ficou mais rigorosa. A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) publicou, em seu boletim interno, uma portaria em que estabelece restrições de horários, número de visitantes e locais em que missas, cultos e ações sociais poderão ocorrer.

A portaria é a 803/2017, assinada pelo secretário Cícero Rodrigues. O texto determina que passa a ser necessário o cadastramento de instituições religiosas e de seus membros para a realização das atividades dentro dos presídios e penitenciárias, inclusive com apresentação de cópias de RG, CPF e comprovante de residência das pessoas físicas, além do CNPJ e contrato social da entidade. Cada igreja ou projeto só poderá cadastrar até dez integrantes. O acesso às unidades só poderá ocorrer mediante autorização de seus gestores. Eventos só poderão ser realizados se agendados com antecedência mínima de três dias úteis. Outra medida é de que sejam promovidos em espaços ecumênicos, com instalação previamente autorizada pela Seres.

Não está explícito no documento, mas a medida, segundo quem vive o dia a dia do sistema, tem o objetivo de aumentar a segurança, já que há casos extraoficiais de suspeitos que usam atividades filantrópicas como disfarce para chegar mais perto de detentos e repassar drogas ou armas.

Com informações do FolhaPE

Deixe uma resposta